ecossistemas

Projeto Bichos do Pantanal promove campanha de conscientização

Estimativas indicam que 15 animais morrem nas estradas brasileiras a cada segundo. Estes atropelamentos estão entre as principais causas de mortalidade de animais silvestres no país. O número de mortes de animais por dia chega a 1,3 milhão

Publicados

em


Reprodução

Projeto bichos do pantanal

Projeto Bichos do Pantanal promove campanha de conscientização

O Projeto Bichos do Pantanal – patrocinado pela Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental – em parceria com a Polícia Rodoviária Federal (3º Delegacia) vai promover a campanha DIREÇÃO LEGAL: RESPEITE A FAUNA com o objetivo de sensibilizar motoristas e população sobre o grave problema do atropelamento de animais silvestres nas rodovias.

 

Estimativas indicam que 15 animais morrem nas estradas brasileiras a cada segundo. Estes atropelamentos estão entre as principais causas de mortalidade de animais silvestres no país. O número de mortes de animais por dia chega a 1,3 milhão, ultrapassando 470 milhões de animais mortos por ano.

 

Para tentar diminuir estes números alarmantes, a equipe de Educação Ambiental do Projeto Bichos do pantanal – com apoio de voluntários e da PRF – estará mobilizada entre os dias 27 e 30 de janeiro, nos períodos da manhã e tarde, distribuindo panfletos educativos no Posto Policial da PRF, que fica na BR 070, Km 741, Cáceres/MT.

 

“É muito ruim avistar animais atropelados nas estradas, todo mundo concorda. Mas nem todos sabem a gravidade deste problema para nossa biodiversidade” diz Mahal Massavi, professor da UNEMAT (Universidade Estadual do Mato Grosso) e coordenador da equipe de Educação Ambiental do Projeto Bichos do Pantanal. Segundo ele, a maioria dos animais vítimas de atropelamentos são de pequeno porte, mas os de médio e grande porte – como as onças-pintadas, por exemplo – também aumentam as estatísticas de atropelamentos. “Além do problema ambiental, atropelamentos de animais podem provocar acidentes, colocando em risco os ocupantes dos carros envolvidos e até mesmo de outros veículos que podem estar transitando no momento” completa o professor.

 

Segundo o ecólogo Douglas Trent, chefe de pesquisas do Projeto Bichos do Pantanal, é muito importante informar o cidadão sobre este problema e incentivar a direção defensiva e responsável. Porém, as soluções para o problema do atropelamento de fauna devem extrapolar as ações de conscientização e Educação Ambiental.

 

“Ações como esta são muito importantes, pois sensibilizam a população acerca do problema. Mas a solução efetiva, segundo diversas pesquisas realizadas no Brasil e em outros países, é a construção das chamadas ‘passagens de fauna’, localizadas em locais estratégicos, definidos com base em levantamentos técnicos-científicos” explica.

 

Passagens de fauna são estruturas como túneis, pontes, viadutos ou até mesmo escadas, que permitem o trânsito seguro de animais ao atravessar as estradas. Para Ana Rúbia Oliveira, Gestora de Projetos e Marketing Instituto Sustentar, entidade que realiza o Projeto Bichos do Pantanal, ao abordar a questão da passagem de fauna a campanha DIREÇÃO LEGAL: RESPEITE A FAUNA promovida pelo projeto traz um diferencial em relação às outras campanhas.

 

“Em geral estas ações focam no comportamento dos motoristas, estimulando a direção defensiva – o que é extremamente importante. Chamar a atenção para as passagens de fauna amplia o conhecimento sobre o problema e suas soluções” explica a Gestora.

 

“É importante que o cidadão saiba que, além da mudança de comportamento nas estradas, ele pode também cobrar do poder público as soluções efetivas para este problema que além de grave é muito triste” completa. Ana Rúbia ainda ressalta que a iniciativa privada também pode e deve assumir sua responsabilidade e contribuir positivamente na busca de soluções. “Estradas privatizadas ou sob concessão sempre possuem obrigações contratuais de reformas e melhorias em sua infraestrutura. Assim, o setor privado também pode contribuir para mitigar ou até cessar os atropelamentos de nossa fauna”.

 

Projeto Bichos do Pantanal

 

Com patrocínio da Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental, o Projeto Bichos do Pantanal atua na região do Alto Pantanal (Cáceres e Porto Estrela, MT) desde 2013. O foco é nas áreas de Educação Ambiental, pesquisas que ampliam o conhecimento científico visando a preservação de espécies da fauna pantaneira e a promoção da sustentabilidade local por meio do Turismo Sustentável.

 

O Projeto já mobilizou, em diversas atividades (entre cursos, eventos, capacitações, atividades de mobilização social e Educação Ambiental), mais de 450 mil pessoas entre crianças, jovens e adultos, comunidade escolar, moradores, visitantes e turistas nos municípios de Cáceres e Porto Estrela – MT.

 

Saiba mais em: http://www.bichosdopantanal.org/

 

Instituto Sustentar

 

O Projeto Bichos do Pantanal é realizado pelo Instituto Sustentar, OSCIP com sede em Belo Horizonte e atuação nacional e internacional. A entidade é dedicada à implementação e execução de projetos que buscam a sustentabilidade econômica, social e ambiental, junto à iniciativa privada, entidades da sociedade civil e setor governamental. O objetivo é promover pesquisas técnico-científicas e boas práticas institucionais e empresariais que permitam o desenvolvimento sustentável de nossa sociedade.

 

Saiba mais em: http://institutosustentar.net/

 

Serviço:

Campanha DIREÇÃO LEGAL: RESPEITE A FAUNA

Data: entre 27 e 30 de janeiro de 2020

Hora: períodos da manhã e tarde

Local: Posto Policial da Polícia Rodoviária Federal, BR 070, Km 741, Cáceres/MT.

Para mais informações:

Thiago Bernardo – Assessor de Comunicação – Instituto Sustentar/Bichos do Pantanal

[email protected]

Cel.: 31 – 99357-4025

 

Comentários Facebook
Propaganda

ecossistemas

Fotógrafo mexicano filma onça atacando jacaré no Pantanal de Mato Grosso; veja o vídeo

Publicados

em

O fotógrafo mexicano Diego Rodriguez filmou o ataque de uma onça-pintada a um jacaré durante uma expedição no Pantanal mato-grossense.

Veja vídeo:

Apesar de viajar o mundo registrando a vida selvagem, Rodriguez disse que foi a primeira vez que conseguiu gravar um ataque como esse.

Nas imagens, é possível ver a onça tentando levar o jacaré, ainda vivo, para a mata. O jacaré consegue escapar em determinado momento, mas é pego pelo felino novamente.

Segundo o fotógrafo, as imagens foram feitas nas margens do Rio Cuiabá, na região de Porto Jofre. A área é conhecida por ter a maior concentração de onças-pintadas do mundo. A reserva tem 108 mil hectares. Turistas do país e do exterior procuram o parque para ver as onças-pintadas, durante passeios de barco.

O melhor período para observar a onça é entre julho e final de setembro, período da seca. Nesses meses, as onças ficam mais próximas das margens dos rios em busca de água e caça, então, é mais fácil se deparar com o animal.

Em 2013 o fotógrafo americano Justin Black flagrou cena semelhante e publicou as seguintes fotos:

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana