castanheira

Prefeitura de Castanheira deve efetuar registro de 14 agentes de saúde

Aos demais profissionais que atuam nos cargos e não foram nomeados, a prefeita Mabel de Fátima Melanezi Almici deve oportunizar o direito ao contraditório e à ampla defesa, após instauração de Processo Administrativo.

Publicados

em


Reprodução

mabel de fatima almici prefeita de castanheira

Prefeita de Castanheira, Mabel de Fátima Melanezi Almici

O Pleno do Tribunal de Contas de Mato Grosso determinou que a Prefeitura de Castanheira efetue o registro de 14 nomeações decorrentes dos Processos Seletivos Públicos realizados em 1998, 2000, 2001, 2002, 2003 e 2005 para os cargos de Agente Comunitário de Saúde (ACS) e Agente Comunitário de Endemias (ACE).

 

ASSISTA AO JULGAMENTO

 

Aos demais profissionais que atuam nos cargos e não foram nomeados, a prefeita Mabel de Fátima Melanezi Almici deve oportunizar o direito ao contraditório e à ampla defesa, após instauração de Processo Administrativo. A decisão ocorreu na sessão plenária de 11 de abril.

Thiago Bergamasco | TCE-MT

Conselheira interina do TCE-MT - Jaqueline Jacobsen

Conselheira interina do TCE-MT, Jaqueline Jacobsen

Por unanimidade, o colegiado acompanhou voto da relatora do Processo nº 236101/2016, que trata da Certificação de Processo Seletivo Público, conselheira interina Jaqueline Jacobsen. Houve entendimento dos membros do Pleno de que, no período de 1996 a 2006, os processos seletivos para o provimento dos cargos de ACS e ACE eram realizados pela Secretaria de Estado de Saúde, juntamente com o Escritório Regional de Saúde de cada região, sendo neste caso o de Juína.

 

Por meio de documentação apresentada pela gestoras, foi possível certificar a nomeação dos seguintes servidores: Aparecida José da Conceição, Carla Sandrina Trajano Freire, Celma Aparecida Marques Rodrigues, Cicera Maria Luiz da Silva, Doralice de Oliveira Batista, Edivaldo Alves de Almeida, Edna Pedro de Oliveira, Flávia Quirino de Farias, Ivani Soares dos Santos Vitorino, Jussara Pereira dos Santos, Keila Maura de Souza, Maria José de Abreu, Miguel Francisco Aparecido e Nelsi Antonia Westphal, que participaram efetivamente dos processos seletivos realizados pelo Escritório Regional de

Juína.

 

Terão garantia de ampla defesa as servidoras Rosa Maria Oliveira de Almeida, Rosângela Funayama Campos, Sheila Xavier dos Santos, Terezinha Aparecida da Silva e Zelir Ruaro Bogo, uma vez que não foram encontrados documentos comprobatórios da realização de processos de seleção realizados por elas. Também as servidoras Vani Odete Ganze e Izilda Fátima Carvalho, apesar de a comissão de certificação ter opinado pela não certificação dos supostos processos de seleção aos quais ambas foram submetidas, por não encontrar provas quanto a sua realização. E, por fim, a servidora Luzia Auxiliadora Silva, cuja legalidade do vínculo sequer foi investigada, uma vez que ela ingressou no serviço público após a promulgação da Emenda Constitucional 51/2006.

Comentários Facebook
Propaganda

castanheira

Mulher acusada de mandar matar jovem de 22 anos foi presa pela Polícia Civil

A prisão foi efetuada nesta quarta-feira (23.01), em Juína (735 km a Noroeste), e pode ter sido motivada por dívida relacionada ao tráfico de drogas. Dois homens que participaram da execução foram presos na ocasião do crime.

Publicados

em

Por


acusada de assassinato Marta Souza Amorim

Mulher que mandou matar jovem de 22 anos foi presa pela Polícia Civil

A Polícia Judiciária Civil cumpriu mandado de prisão preventiva contra Marta Souza Amorim, 26 anos, acusada de mandar matar uma jovem de 22 anos na cidade de Castanheira (779 km a Noroeste).

 

A prisão foi efetuada nesta quarta-feira (23.01), em Juína (735 km a Noroeste), e pode ter sido motivada por dívida relacionada ao tráfico de drogas. Dois homens que participaram da execução foram presos na ocasião do crime.

 

O crime ocorreu no dia 17 de janeiro, vitimando Raquel Meira Duarte, de 22 anos. O irmão da vítima estava junto e conseguiu escapar ileso dos tiros disparados por um suspeito, correndo para o outro lado da estrada e se escondendo em uma mata. Após duas horas escondido, ele pegou carona em um ônibus que passava pelo local e conseguiu chegar em sua casa.

 

Segundo o irmão da vítima, o suspeito acompanhado de outro homem foi até sua casa em uma moto e chamou ele e sua irmã para irem buscar uma motocicleta na MT-170, próximo a linha Novo Horizonte e que daria entorpecentes para eles no caminho.

 

Ao chegarem ao local, o homem que estava na garupa da moto, sacou um revólver da cintura e começou a fazer disparos contra as vítimas, vindo a acertar sua irmã Raquel Meira Duarte, que foi à óbito ainda no local de crime.

 

Ao ouvir os disparos, o jovem de 18 anos (irmão da vítima) saiu correndo e o suspeito começou a atirar em sua direção, porém, não conseguiu atingi-lo. A vítima correu para o outro lado da estrada e se escondeu em uma mata. Após duas horas escondido, ele pegou carona em um ônibus que passava pelo local e conseguiu chegar em sua casa.

PJC | MT

dinheiro apreendido pjc

Foram apreendidos R$ 5.670,80, cadernos de anotações de dívidas de drogas, comprovantes de depósitos, e outros materiais.

Na ocasião do crime, dois homens foram presos. São eles: Alex do Ouro da Silva, 31 anos, e Wagner da Silva Ramos, 19 anos. O suspeito Alex do Ouro confessou ter efetuados os disparos e Wagner deu apoio levando o executor até o local na motocicleta. A arma do crime e a motocicleta foram encontrados cerca de 4 km do local do crime. O revólver calibre 357 estava enrolado em uma jaqueta dentro de um capacete escondido em uma moita.

 

As investigações apontam que Marta Souza Amorim comanda o tráfico de drogas na região e pertence a uma facção criminosa. Ela teria encomendado a morte dos irmãos por dívidas ou rixa ligada ao tráfico drogas. Ela responde a três processos criminais na Justiça. Seu marido e irmã também têm envolvimento com o tráfico de drogas e estão presos na cadeia pública da região.

 

Durante a prisão, foi encontrada na casa da mulher cerca de  três quilos de entorpecentes, uma balança de precisão, duas motocicletas, sendo uma a que foi usada para levar o executor até Castanheira e outra usada na distribuição de drogas. Também foi apreendido R$ 5.670,80, cadernos de anotações de dívidas de drogas,  comprovantes de depósitos, e outros materiais.

 

Um adolescente de 16 anos também foi encontrado na casa da mandante e segundo os levantamentos ambos são responsáveis por efetuarem cobranças e recolhimentos de dinheiros junto a traficantes. Em buscas na casa dele, em outro endereço, foram encontrados drogas, balança, um simulacro de arma de fogo e outros apetrechos.

 

A mãe do menor também foi levada para delegacia e autuada em flagrante por associação ao tráfico. O adolescente responderá ato infracional de tráfico de drogas e por integrar organização criminosa.

 

A mandante ainda será interrogada e após será autuada também em flagrante por tráfico de drogas, resistência, desacato e lesão corporal (por ter agredido um dos policiais no momento da prisão) e organização criminosa.

 

*Com informações da Assessoria de Comunicação da PJC | MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana