brasnorte

Operação conjunta das Polícias prende quadrilha que assaltava bancos em MT

Segundo o delegado que lavrou o flagrante, Adil Pinheiro de Paula, quatro dos suspeitos confessaram fazer parte de uma organização criminosa atuante em todo Estado de Mato Grosso.

Publicados

em


PJC

operacao conjunta policia militar civil brasnorte

Operação conjunta das Polícias prende quadrilha que assaltava banco em Mato Grosso

Os seis envolvidos no furto da agência do banco do Brasil de Brasnorte (579 km a Noroeste), detidos na segunda-feira (06.08), em ação integrada da Polícia Judiciária Civil e Polícia Militar, foram autuados em flagrante pelos crimes de furto qualificado, porte ilegal de arma de fogo, receptação e organização criminosa.

 

Além da prisão dos suspeitos, a ação resultou na apreensão de um veículo, duas armas de fogo, munições, coletes balísticos, dinheiro e ferramentas utilizadas no arrombamento do banco. Entre os presos estão, Pedro Rodrigues de Oliveira, 23, Alexandre Martins de Oliveira, 23, conhecido como “Zé Pequeno”, Thiago da Silva Pacheco, 19, Janderson Jales da Silva, 23, Eriely Cristina dos Santos de Assis, 24, Weberton Bruno Mendes Soares, 31.

 

Segundo o delegado que lavrou o flagrante, Adil Pinheiro de Paula, quatro dos suspeitos confessaram fazer parte de uma organização criminosa atuante em todo Estado de Mato Grosso.

Parecis.net

Adil Pinheiro de Paula delegado

Delegado Adil Pinheiro de Paula

“Os envolvidos no assalto foram autuados por furto qualificado por repouso noturno, rompimento de obstáculo e destruição. Eles também responderão por receptação do veículo roubado, utilizado para prática da ação criminosa, porte ilegal de arma de fogo, uma vez que duas armas foram apreendidas em poder da quadrilha e pelo crime considerado mais grave, a associação criminosa”, destacou o delegado.

 

As diligências que resultaram na prisão da quadrilha iniciaram assim que o sistema de monitoramento do banco acionou as equipes policiais informando que o alarme da agência foi acionado. Logo em seguida, policiais militares realizaram a abordagem de um veículo Volkswagem Fox, em atitude suspeita, em que foram detidos o casal Janderson e Eriely, que estavam atuando como “olheiros”, para garantir a execução do furto.

 

Em checagem do automóvel, foi constatado se tratar de veículo “dublê” e que através das placas originais foi verificado a queixa de roubo/furto. Com a informação que mais cinco integrantes da quadrilha estava dentro do banco, realizando o arrombamento de cofres, toda equipe da Polícia Militar e Polícia Civil de Brasnorte foi acionada para cercar o quarteirão da agência do Banco do Brasil, e assim evitar a fuga dos envolvidos no furto.

 

A equipe do Batalhão de Operações Especiais (Bope) também foi acionada e durante a varredura nas proximidades localizou os suspeitos Alexandre, Thiago e Pedro. Os suspeitos estavam em posse de duas armas de fogo com várias munições, coletes balísticos, aparelhos celulares e luvas de proteção. Após serem detidos, os acusados delataram o envolvimento do suspeito Weberton que foi detido no bairro Jardim Aeroporto, em Brasnorte.

 

Em continuidade as diligências, foi realizada verificação na agência bancária, onde foram encontrados diversas ferramentas utilizadas para arrombamentos de caixa eletrônico, além de pacotes com moedas e talões de cheques.

 

Comentários Facebook
Propaganda

brasnorte

Proprietária toma posse de imóvel rural de R$1 bilhão, após 20 anos

Publicados

em

Nesta quinta-feira (15.04), a juíza de Direito, Daiane Marilyn Vaz, da Vara Única da Comarca de Brasnorte/MT, proferiu sentença em ação reivindicatória encerrando uma disputa de terras que perdurou por cerca de 20 anos. A área em disputa, que possui 35 mil hectares e está avaliada em R$ 1 bilhão, será entregue à sua legítima proprietária.

A causa, defendida pelo escritório de advocacia Irajá Lacerda Advogados Associados, buscava a retomada do imóvel de propriedade da empresa Roderjan & Cia Ltda., que foi invadida no início dos anos 2000, por meio de falsificação de escritura pública de compra venda e outros expedientes espúrios praticados por uma quadrilha.

Na decisão, a juíza entendeu que as fraudes perpetradas nos documentos públicos deram causa à perda da posse pela empresa que ajuizou a ação, e que os réus estavam possuindo o imóvel de forma injusta, pois quando “compraram” a área, tinham conhecimento da falsificação, haja vista que sua existência foi devidamente averbada à margem da matrícula imobiliária da fazenda.

A magistrada destacou, ainda, que as falsificações também foram reconhecidas e anuladas por sentença proferida em outra ação que tramitou na Comarca de Curitiba/PR, o que reafirma que os réus ocupavam a área de forma injusta, já que a compra por eles realizada, tinha origem em atos criminosos.

Comprovado nos autos que a propriedade do imóvel é da empresa autora, que o imóvel se encontra corretamente individualizado e que os réus exerciam a posse injusta do bem, o pedido foi julgado procedente para mandar imitir a empresa Roderjan& Cia Ltda. na posse da fazenda.

Além de determinar a imissão da empresa autora da ação na posse do imóvel, a juíza também condenou os réus ao pagamento de indenização pelos danos causados enquanto estiveram na posse do imóvel, que será apurada em liquidação de sentença.

Para os representantes do escritório de advocacia, a decisão judicial dá fim a uma disputa de terras que vinha se arrastando por cerca de 20 anos e, com isso, o imóvel que ficou improdutivo por duas décadas, inclusive, sendo objeto de crimes ambientais nesse período, retornará a quem de direito, fazendo com que a propriedade volte a ser produtiva, gere empregos, renda e contribua com a economia do estado.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana