ecossistemas

Dentre Estados com florestas tropicais, MT é único com mulher a frente do Meio Ambiente

Metade dos cargos de alta liderança da Sema são ocupados por mulheres. A Promotora de Justiça Ana Luiza Peterlini foi a primeira mulher a frente da Pasta, tendo ocupado o cargo entre os anos de 2015 e 2016

Publicados

em


Christiano Antonucci

Metade dos cargos de alto escalão da Sema é ocupado por mulheres - Christiano Antonucci.jpg

Mauren Lazzaretti, secretária de Estado de Meio Ambiente, também é a única mulher a chefiar o órgão ambiental na Amazônia, a maior floresta tropical do mundo

As florestas tropicais estão no centro da discussão global no enfrentamento às mudanças climáticas. Esses biomas são grandes responsáveis por estocar gás carbônico, contribuindo para a manuntenção do clima. Dentre 39 jurisdições de 11 países que abrigam florestas tropicais, Mato Grosso é o único Estado a ter uma mulher chefiando o órgão responsável pela conservação da floresta. 

 

Sendo a única liderança regional feminina dentro do quadro da Força Tarefa dos Governadores para o Clima (GCF Task Force), a adogada Mauren Lazzaretti, secretária de Estado de Meio Ambiente, também é a única mulher a chefiar o órgão ambiental na Amazônia, a maior floresta tropical do mundo. 

 

Na diretoria da Associação Brasileira de Entidades Estaduais do Meio Ambiente (Abema), Mauren e Márcia Telles, diretora-geral do Instuto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia, são as únicas mulheres. Mauren responde pela vice-presidência, enquanto Márcia é primeira secretária.  

 

“Durante a última Conferência do Clima [realizada em Madri], colocamos em pauta a importância de ampliarmos a participação de mulheres em cargos de liderança e decisão. É importante que, não só em datas como 8 de março, mas durante o ano todo estejamos atentas a estender a mão umas às outras, porque se uma pode, todas as outras também podem”, incentiva Mauren.

 

A frente do órgão, Mauren é responsável por liderar um time de 721 servidores, distribuídos em 10 muncípios de Mato Grosso, na missão de implementar políticas públicas ambientais no terceiro maior Estado do País e que ainda possui a singularidade de abrigar três importantes biomas: Amazônia, Cerrado e Pantanal.

 

“É uma honra estar a frente deste time em que temos tantas lideranças femininas. E o mais interessante é que na Sema temos a oportunidade de trabalhar com mulheres que atuam em profissões que normalmente são consideradas masculinas, como as engenharias, agronomia, geologia e outras”, completa.

 

Além de Mauren, mais duas mulheres compõem o time da alta liderança da Sema, indicando que 50% do alto escalão da Pasta é composto por mulheres. A agrônoma Lilian Santos está à frente da Adjunta de Licenciamento e Recursos Hídricos e é servidora da Sema há cerca de 20 anos. Já a administradora Luciane Berttinato, comanda a Adjunta de Gestão Ambiental, é produtora rural e já foi secretária de Meio Ambiente em Lucas do Rio Verde e Sinop.

 

Atualmente, cerca de 40% dos cargos de gestão da Sema estão ocupados por mulheres. Desde a criação de um órgão ambiental em Mato Grosso, esta é a segunda vez que uma mulher ocupada Pasta. A Promotora de Justiça Ana Luiza Peterlini foi a primeira mulher a frente da pasta, tendo ocupado o cargo entre os anos de 2015 e 2016.

Comentários Facebook
Propaganda

ecossistemas

Fotógrafo mexicano filma onça atacando jacaré no Pantanal de Mato Grosso; veja o vídeo

Publicados

em

O fotógrafo mexicano Diego Rodriguez filmou o ataque de uma onça-pintada a um jacaré durante uma expedição no Pantanal mato-grossense.

Veja vídeo:

Apesar de viajar o mundo registrando a vida selvagem, Rodriguez disse que foi a primeira vez que conseguiu gravar um ataque como esse.

Nas imagens, é possível ver a onça tentando levar o jacaré, ainda vivo, para a mata. O jacaré consegue escapar em determinado momento, mas é pego pelo felino novamente.

Segundo o fotógrafo, as imagens foram feitas nas margens do Rio Cuiabá, na região de Porto Jofre. A área é conhecida por ter a maior concentração de onças-pintadas do mundo. A reserva tem 108 mil hectares. Turistas do país e do exterior procuram o parque para ver as onças-pintadas, durante passeios de barco.

O melhor período para observar a onça é entre julho e final de setembro, período da seca. Nesses meses, as onças ficam mais próximas das margens dos rios em busca de água e caça, então, é mais fácil se deparar com o animal.

Em 2013 o fotógrafo americano Justin Black flagrou cena semelhante e publicou as seguintes fotos:

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana