diamantino

Workshop leva qualificação a produtores culturais sobre elaboração de projetos em Diamantino

Publicados

em

A Secretaria Municipal de Cultura e Turismo promoveu um Workshop destinado a orientar e qualificar produtores culturais de Diamantino.  No encontro, equipes de profissionais explicaram sobre as etapas de elaboração de projetos culturais para os artistas locais participarem dos editais de seleção desenvolvidos pelo Governo do Estado de Mato Grosso por meio da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel).  A proposta tem o objetivo de incentivar e valorizar a produção cultural local, viabilizando recursos financeiros destinados a esta finalidade.

O titular da pasta, Caique Loureiro, ressaltou que a iniciativa tem como foco sensibilizar, motivar e auxiliar os artistas locais. “Logo que assumi a secretaria, soube que os produtores culturais não participam dos movimentos artísticos, apesar das divulgações. Minha ideia foi mudar nossa abordagem, identificar as dificuldades deles e fazermos juntos a elaboração dos projetos. Sensibilizamos, motivamos e auxiliamos nossos atores da cultura a produzir”, pontuou.

A partir daí, as equipes da Cultura foram mobilizadas a reunir os artistas locais em um dia de atividade prática com o objetivo de buscar as ferramentas necessárias para estarem aptos a participar dos editais do Governo. “Se não mudarmos o que já está sendo feito não mudaremos os resultados. A iniciativa deu super certo, tivemos 20 produtores da cidade que tiveram um dia de orientações práticas, escrevendo os seus próprios projetos”, acrescentou.

A gerente de patrimônio e museus, Mylene Wirgues Paese, explicou como foram abordados os conteúdos essenciais para o planejamento e elaboração de um projeto cultural. “As orientações tiveram como base três editais com inscrições abertas que apresentam pouca procura por parte dos artistas locais. São vários segmentos como dança, música, teatro, podendo ter participantes do público jovem, crianças, circenses, grupo LGBT e outros”, explicou.

Durante as atividades do Workshop, os produtores conheceram na prática como é estruturado um projeto cultural composto por diversos tópicos: apresentação, metodologia, objetivo, justificativa, público alvo, equipe integrante, etapas de trabalho, cronograma de atividades, orçamento, plano de divulgação.

Representando a Associação de Capoeira Arte e Cultura, Fátima Aparecida aprovou a ação. “O Workshop foi muito proveitoso. Achei muito importante porque muitas vezes a gente não tem conhecimento das informações e as equipes estavam lá muito preparadas para tirar nossas dúvidas sobre os projetos, verbas que vêm para a cultura e que nós usuários às vezes não ficamos sabendo. Quero parabenizar a secretaria de cultura pela ótima iniciativa e por colocar ”, disse.

O produtor artístico João Aparecido (Joãozinho) também participou das atividades. Ele representou o grupo musical “Gurizada do Pagode”, composto por 14 integrantes. “Achei diferenciado o jeito que fomos tratados e a forma como nos deram respaldo colocando os servidores à disposição para auxiliar na elaboração dos projetos. Da mesma forma, estão preocupados em envolver a comunidade através do nosso trabalho. Isso que é legal”, declarou.   

Comentários Facebook
Propaganda

diamantino

Laboratório Municipal de Diamantino recebe capacitação em diagnóstico laboratorial de tuberculose pelo Lacen-MT

Publicados

em

O Laboratório Municipal de Diamantino recebeu, no último dia 22 de junho, capacitação em diagnóstico laboratorial de Tuberculose, ofertada pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Estado de Mato Grosso (Lacen/MT).

O objetivo da ação é treinar e atualizar os profissionais envolvidos no diagnóstico da doença, que atualmente figura entre as infecções mais graves no Brasil capaz de levar à morte por ainda ser negligenciada.

A capacitação conduzida pela farmacêutica do Lacen-MT, Doracilde Terumi,  foi ofertada para todos os técnicos de enfermagem e demais profissionais da Rede Municipal de Saúde que atuam no laboratório.

O biomédico Dr. Emerson Alves de Sá, coordenador do Laboratório Municipal, ressaltou sobre a importância de manter a equipe atualizada no que tange às mudanças de um dos agravos que mais fecha diagnóstico. Segundo o profissional da saúde, Diamantino tem apresentado de 5 a 8 casos diagnosticados no mês.

“É uma qualificação muito importante para nossa equipe porque permite atualizar sobre o diagnóstico da tuberculose no preparo e confecção de lâmina, além da orientação que deve ser repassada ao paciente. As coisas vão mudando dentro da técnica, do método nos procedimentos e precisamos buscar essas atualizações”, explica.

Terume enfatizou que a capacitação tem como propósito “favorecer para que a população tenha acesso a esse exame e realizar o diagnóstico precoce da doença, por meio da investigação apropriada, a fim de fazer o tratamento adequado. Quem fecha o diagnóstico dos casos de tuberculose é o laboratório, daí a relevância de aprofundar sobre o estudo das microbactérias causadoras tanto de tuberculose como outras doenças respiratórias com sintomatologia semelhantes”, ressaltou.

A farmacêutica também fez um alerta sobre a incidência dos casos de tuberculose no Brasil e como a doença tem sido negligenciada, o que torna imprescindível a qualificação. Pontuou que, no Brasil, a tuberculose está entre as 10 doenças infecciosas que mais mata.

“É uma das doenças que acometem todas as classes sociais, e de todas as idades, ou seja, todas as pessoas são susceptíveis de contrair esse microorganismo via respiratória. É muito importante capacitar esses profissionais porque a tuberculose é uma doença milenar de saúde pública e que incide na população sistematicamente, principalmente no Brasil, é uma das doenças mais graves e que mais matam, em termos de causa infecciosa. A tuberculose ainda é uma doença negligenciada, infelizmente”, advertiu.  

Outro apontamento diz respeito à forma como os pacientes podem ter a saúde comprometida por não realizarem o tratamento correto por falta de informação.

“Hoje, mesmo o paciente tendo acesso ao SUS e medicação gratuita, ele ainda não consegue fazer esse diagnóstico a tempo, muitas vezes pela demora do diagnóstico ou porque ao perceber uma certa melhora ele para de tratar. Esse abandono aumenta a resistência da bactéria frente às drogas utilizadas e que são tradicionalmente perfeitamente experimentadas e que em um tempo curto de tratamento é bastante eficaz”, finalizou.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana