AGRO & NEGÓCIO

Webinar “Agricultura e a Agenda 2030” reúne ministros, cientistas e representantes do agronegócio e celebra cinco anos do compromisso

Publicado


.

A agricultura é multifuncional e tem forte relação com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Para debater as contribuições, oportunidades e desafios do setor para o alcance das metas dos ODS, a Embrapa reunirá especialistas em agricultura e desenvolvimento sustentável na próxima sexta-feira (25), na webinar “Agricultura e a Agenda 2030”. A transmissão será pelo canal da Embrapa no Youtube (www.youtube.com/embrapa), às 15h. A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Tereza Cristina Dias, e o presidente da Embrapa, Celso Moretti, participam da abertura do evento virtual. A coordenação do evento é da Rede ODS Embrapa.

Os convidados para o debate são o ex-ministro da Agricultura e coordenador do Centro de Agronegócio da Fundação Getúlio Vargas, Roberto Rodrigues, o assessor sênior do Programa das Nações Unidas no Brasil (PNUD), Haroldo Machado Filho, a coordenadora da Rede ODS Embrapa, pesquisadora da Secretaria de Inteligência e Relações Estratégicas (Sire), Valéria Hammes e o jornalista especializado em agronegócio, José Luiz Tejon, que irá moderar o painel.

O evento acontece no dia em que são celebrados os cinco anos da assinatura da Agenda 2030 das Nações Unidas. Os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) foram estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2015 e compõem uma agenda mundial para a construção e implementação de políticas públicas que visam guiar a humanidade até 2030. A Agenda é composta por 17 objetivos e 169 metas.

A pesquisa agropecuária nacional é forte aliada do Brasil e do Planeta no alcance das metas da Agenda 2030 e, diante dos novos desafios advindos da pandemia da Covid-19, torna-se ainda mais necessária para contribuir com a segurança alimentar global. Ao gerar conhecimentos e ativos tecnológicos para a sustentabilidade da agropecuária brasileira, a Embrapa vinculou sua atuação, direta ou indiretamente, a todos os ODS. É também uma forma de prestar contas à sociedade sobre os impactos positivos da pesquisa agropecuária para o combate à fome e à pobreza, aumento da eficiência do uso dos recursos naturais, redução das emissões de gases de efeito estufa na produção agropecuária, entre outras contribuições alinhadas aos ODS.

Conheça  as contribuições da Embrapa para os 17 ODS acessando aqui

O presidente Celso Moretti destaca que a presença da Embrapa no debate sobre temas como a erradicação da fome no mundo, sustentabilidade, acesso à água, juntamente com 193 países, é uma oportunidade de apresentar o esforço e os resultados obtidos pela ciência brasileira em uma agenda de interesse global.

Por sua vez a ONU no Brasil destaca o senso de urgência da Agenda 2030, que se tornou ainda maior com a pandemia do Coronavírus, pois temas que já estavam expressos na Agenda em 2015, como o acesso à água e a saneamento básico e a universalização dos serviços de saúde, se mostram imprescindíveis para a superação desta crise ocasionada pela pandemia.

Confira a matéria: Censo de urgência da Agenda 2030 é ainda maior com a pandemia, diz ONU no Brasil

Valéria Hammes, coordenadora da Rede ODS na Embrapa, destaca que é essencial para qualquer instituição estar atenta à Agenda 2030 e aos 17 ODS. “É uma estratégia que pode permear as ações da Empresa e o desdobramento de metas conforme a missão de cada Unidade. Além de dar foco no desenvolvimento sustentável, esta estratégia amplia o escopo, benefícios e consequente percepção de impacto das ações de pesquisa, inovação e transferência de tecnologia, para além do setor agropecuário, ampliando por decorrência a capacidade de atração de recursos por meio de novos parceiros”, afirma Valéria, lembrando que a Embrapa contribui com 81 das 169 metas, ou seja, 47,9%.

Entre as ações de PD&Ie TT, são exemplos de contribuição da Embrapa com a Agenda 2030: a tecnologia social das barragens subterrâneas, desenvolvida pela Embrapa há cerca de 30 anos e adotada por famílias agricultoras no Semiárido, que foi uma das finalistas da primeira edição do Prêmio ODS Brasil na categoria Ensino, Pesquisa e Extensão (acesse aqui para saber mais). A pesquisa com os alimentos biofortificados que hoje integram a rede de segurança alimentar de escolas públicas, a agricultura provedora de servidos ambientais, o uso de tecnologias para adaptação a mudanças climáticas, a fossa séptica biodigestora, as tecnologias para a valorização da biodiversidade, entre outras.

Perdas e Desperdícios

A redução das perdas e do desperdício de alimentos (PDA) também faz parte de uma agenda global alinhada aos ODS. Um dos principais desafios para promover essa redução é entender melhor o contexto latino-americano, uma região que exporta alimentos para o mundo, mas paradoxalmente, ainda enfrenta insegurança alimentar moderada. A Embrapa atua, em parceria com outras instituições públicas e privadas, e com organismos internacionais, em ações que visam à redução de perdas e desperdícios de alimentos.

Saiba mais sobre a atuação da Embrapa neste tema acessando aqui

Ciclo de debates virtuais

Esta live é a segunda de um ciclo de debates virtuais organizados pela Embrapa com o objetivo de discutir e propor iniciativas que contribuam para que os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e as metas propostas pela Agenda 2030 sejam fortalecidas na Empresa, no âmbito da programação de pesquisa, desenvolvimento e inovação. O primeiro encontro foi realizado com os empregados e gestores da Empresa e debateu o alinhamento do tema junto ao VII Plano Diretor da Empresa.

Serviço:

Webinar “A agricultura e a Agenda 2030” – Canal Youtube da Embrapa
25/09/2020 – às 15h
Acesse aqui para participar

Fonte: Embrapa

Comentários Facebook
publicidade

AGRO & NEGÓCIO

Tradição de Natal, panetone já é encontrado em atacarejos de Mato Grosso

Publicado

Faltando pouco mais de dois meses para o Natal, começou a venda dos tradicionais panetones. Com frutas cristalizadas ou gotas de chocolate, esse pão é sinônimo das celebrações de fim de ano e já chegou às gôndolas do Fort Atacadista em Cuiabá e Várzea Grande.

Para este ano, as maiores e melhores marcas do produto prepararam variadas versões do alimento e pretendem atrair a atenção dos consumidores, que mesmo em ano de pandemia, não devem deixar de degustar uma das maiores tradições natalinas. a

Nas lojas do Fort Atacadista os pães natalinos de grandes marcas, como Bauducco, Visconti e Tommy, ocupam posições de destaque, com preços para todos os bolsos. “É com muita expectativa que começamos a abastecer as prateleiras com os panetones e chocotones, produtos tradicionais, que remetem à alegria e esperança de Natal e Ano Novo”, declara a coordenadora de Marketing Regional do Fort Atacadista, Rafaellen Duarte.

Produtos da Bauducco variam de R$ 5,49 a R$ 35,90, com opções de Chocottone Maxi, recheado de mouse de chocolate, a partir de R$ 19,99. O panetone tradicional da Visconti, de 400 gramas, sai por R$ 13,90, e a versão com trufa de chocolate da marca, a partir de R$ 17,90. O pão de frutas Tommy pode ser encontrado a partir de R$ 9,99. Existem também as produções regionais, boa alternativa para quem adora panetone, mas não está disposto a gastar muito.

Rafaellen aponta que o Fort Atacadista oferece uma ótima experiência de compra, com preços competitivos e variedade de produtos para casa e comércio, com a possibilidade de parcelamento das compras, tanto com cartão de crédito normal, quanto pelo Vuon Card, próprio da rede.

Segundo a Associação Brasileira da Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados (Abimapi), no ano passado, a produção de panetone movimentou R$ 735 milhões entre novembro e janeiro. Para este ano, a associação ainda faz cálculos de como será o desempenho do setor.

Em Cuiabá, as unidades do Fort Atacadista estão presentes nas Avenidas Miguel Sutil e Fernando Corrêa da Costa e, em Várzea Grande, na Avenida da FEB.

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana