economia

Vídeo: fã se acorrenta ao McDonald’s na Rússia para impedir fechamento

Publicados

em


source
Cliente se acorrenta ao McDonald's na Rússia para impedir fechamento
Reprodução Baza

Cliente se acorrenta ao McDonald’s na Rússia para impedir fechamento

Um cliente russo do McDonald’s se acorrentou a um restaurante da rede em Moscou em uma tentativa desesperada de impedir que ele fechasse. 

O McDonald’s anunciou na última terça-feira (8) a decisão de fechar temporariamente seus 850 restaurantes na Rússia e suspender todas as operações no país, seguindo o passo de várias multinacionais que decidiram se distanciar de Moscou após a invasão russa na Ucrânia.

Entre no canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia  https://t.me/iGBrasilEconomico

Segundo o jornal The Mirror, Luka Safronov foi filmado encenando um protesto de última hora apenas algumas horas antes de todos os arcos dourados da Rússia fecharem indefinidamente.

A gigante do fast food emprega cerca de 62.000 pessoas na Rússia.

Coca-Cola e Starbucks também fecham

Em comunicado, a Coca-Cola Co. disse que está suspendendo os negócios na Rússia após a invasão da Ucrânia pela nação. “Nossos corações estão com as pessoas que estão resistindo a efeitos inconcebíveis desses trágicos eventos na Ucrânia”, declarou a empresa no texto, que acrescentou que continuará a monitorar e avaliar a situação à medida que as circunstâncias evoluam.

Leia Também

Já a Starbucks, além de fechar suas lojas no país, também não enviará mais produtos administrados por licenciados. De acordo com a companhia de cafés, o Alshaya Group, com sede no Kuwait, que opera pelo menos 100 Starbucks na Rússia, “fornecerá apoio aos quase 2.000 parceiros na Rússia que dependem da Starbucks para sua subsistência”.

Vídeo



Comentários Facebook
Propaganda

economia

Empresa que gerencia BK no Brasil recomenda recusa em oferta de venda

Publicados

em

Fundo árabe ofereceu R$ 900 milhões para controlar restaurantes do Buger King no Brasil
Ana Carol Soares

Fundo árabe ofereceu R$ 900 milhões para controlar restaurantes do Buger King no Brasil

O Conselho Administrativo da Zamp, empresa que gerencia o Burger King no Brasil, recomendou a recusa da oferta do fundo árabe Mubadala Capital para venda das operações do restaurante no país. Segundo a Zamp, a oferta foi abaixo do que apurado por sua consultoria financeira.

A Mubadala Capital ofereceu cerca de R$ 938 milhões para comprar 45,1% das ações da rede de restaurantes. O valor é correspondente a R$ 7,55 por ação.

Após a proposta, a Zamp contratou o banco BTG Pactual para analisar o valor proposto pela Mubadala. Segundo a consultoria, a ação da empresa varia entre R$ 9,96 a R$ 13,47.

“Os acionistas devem avaliar, em sua tomada de decisão, as credenciais do potencial novo acionista controlador, sua estratégia de atuação e a oportunidade de liquidez”, afirma o documento entregue a empresa.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

“Haverá uma redução relevante na liquidez das ações de emissão. Não sendo possível precisar o impacto dessa redução de liquidez”, completa o documento.

Os acionistas da Zamp devem se reunir no dia 15 de setembro na B3, em São Paulo, para decidir se aceitarão ou não a proposta do fundo árabe. A expectativa é que o quadro acionário siga a recomendação do Conselho de Administração.

Atualmente, a Mubadala Capital conta com 4,9% do controle da Zamp. Se o acordo for concretizado, o fundo assumirá 50% do controle da rede de restaurantes.

“Os interesses do potencial novo atual acionista controlador podem ser conflitantes com os interesses dos demais acionistas”, ressaltou o conselho.


Fonte: IG ECONOMIA

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana