AGRO & NEGÓCIO

Vice-presidente Mourão abre congresso destacando papel da ciência no desenvolvimento da cadeia da soja no Brasil

Publicados

em

O IX Congresso Brasileiro de Soja e o Mercosoja foram abertos na noite desta segunda-feira, dia 16, em Foz do Iguaçu (PR). Nas palavras do vice-presidente da República, Antônio Hamilton Mourão, este evento “sintetiza o Brasil que deu certo, um Brasil de apostou na ciência e tecnologia para seu desenvolvimento”.

O general Mourão participou da cerimônia de abertura do congresso promovido pela Embrapa Soja e destacou as contribuições que a Embrapa deu para que o país se tornasse um dos principais produtores de alimentos do mundo. Citando tecnologias como o melhoramento genético, a fixação biológica de nitrogênio, o manejo integrado de pragas e doenças, a integração lavoura-pecuária, a recuperação de pastagens e o plantio direto, ele ressaltou o diferencial da produção brasileira, o que coloca o país em posição de vanguarda na produção de alimentos.

“Falar de soja, agronegócio e segurança alimentar pressupõe práticas sustentáveis e preservação ambiental. Pautas inegociáveis nos novos tempos e que obrigam o Brasil e toda cadeia do agronegócio a encarar com desassombre e determinação o inadiável desafio de continuar ampliando a produção nas fronteiras agrícolas, preservando o meio ambiente e em particular a nossa Amazônia”, disse o vice-presidente da República.

O presidente em exercício da Embrapa e diretor-executivo de Pesquisa e Desenvolvimento, Guy de Capdeville, falou sobre a capacidade científica do Brasil e como ela tem contribuído para o aumento da produtividade sem que houvesse aumento proporcional da área utilizada.

“Se produzíssemos o volume que produzimos hoje com a tecnologia da década de 1970, nós teríamos hoje que ter 200% a mais de área. Isso significa que tivemos um efeito poupa terra pelo uso de tecnologias da ordem de 70 milhões de hectares. Usando a ciência, seremos capazes de ser autossuficientes e alcançarmos nossa segurança alimentar sem destruir nossas florestas”, disse o diretor, citando não só os avanços na cadeia da soja, mas também o mais recente desenvolvimento na cadeia do trigo.

O IX Congresso Brasileiro de Soja e Mercosoja têm como tema “Os desafios para a produção sustentável no Mercosul”. Nesse sentido, o secretário de estado de Agricultura e Abastecimento do Paraná, Norberto Ortigara, ressaltou que somente com a adoção da tecnologia já disponível, é possível aumentar a produção de soja. Lamentando as perdas da última safra no Sul do país em decorrência da falta de chuvas, ele afirmou que com uso correto de técnicas como plantio direto na palha e uso de outras boas práticas é possível reduzir os riscos e ampliar a produção.

“Fazer mais e melhor, com menos recursos é o nosso desafio. Por isso, esse congresso tão bem desenhado deve ser muito bem aproveitado, para que a gente continue dando saltos qualitativos neste grande setor que o Brasil tem competência”, disse.

As perdas com a seca, a pior dos últimos 40 anos, também foram mencionadas pelo presidente do congresso e pesquisador da Embrapa Soja, Adeney de Freitas Bueno. Esse é um dos desafios que se impõem à cultura, como também a menor oferta de fertilizantes e a necessidade de uso mais eficiente dos insumos.

De acordo com ele, a programação do congresso foi montada visando trazer os mais recentes avanços tecnológicos na cadeia da soja para os mais de 1500 inscritos para participação presencial e os cerca de 200 inscritos para acompanhamento on-line.

“Nosso compromisso é nada mais, nada menos do que trazer o que há de melhor e mais moderno no mundo em relação à produção sustentável de soja”, resume o presidente do evento.

A cerimônia de abertura do Congresso foi transmitida pelo Canal da Embrapa Soja no Youtube e pode ser revista em https://www.youtube.com/watch?v=76V-M2G-vBU.  Logo em seguida, foi realizada a primeira conferência do evento, com o tema “Desafios e oportunidades para a produção sustentável de soja” e proferida pela diretora da Secretaria de Inovação, Desenvolvimento Sustentável e Irrigação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Fabiana Villa Alves.

Programação técnica

O IX Congresso Brasileiro de Soja e do Mercosoja 2022 estão sendo realizados no Rafain Palace Hotel & Convention Center, em Foz do Iguaçu (PR). Até quinta-feira a programação contará com seis conferências e 18 painéis, totalizando 50 palestras. Também serão apresentados 287 trabalhos técnicos em formato de pôster ou oralmente.

Serão discutidos assuntos ligados aos atuais desafios tecnológicos dos sistemas de produção de soja e às novas oportunidades que estão surgindo para a cadeia da oleaginosa, sempre tendo a sustentabilidade como tema transversal.

Uma novidade nesta edição é a Arena de Inovação Soja, um ambiente que pretende integrar os participantes do ecossistema brasileiro de inovação, reunido desde startups a empresas de agricultura digital, além de apresentar as mais recentes aplicações emergentes e disruptivas para a cadeia produtiva da soja.

Além de toda a programação técnica, os participantes do congresso terão acesso à feira de expositores, onde 35 empresas apresentarão as mais recentes tecnologias desenvolvidas para a cadeia de produção de soja.

Em paralelo ao CB Soja, também está sendo realizada nos dias 16 e 17 a reunião Rede de Laboratórios para a Recomendação, Padronização e Difusão de Tecnologia de Inoculantes Microbianos de Interesse Agrícola (RELARE). É a primeira vez que os eventos ocorrem juntos.

Confira a programação completa do CB Soja em http://cbsoja.com.br/.

Fonte: Embrapa

Comentários Facebook
Propaganda

AGRO & NEGÓCIO

Operação fiscaliza produção de fertilizantes no estado de São Paulo

Publicados

em

De 08 e 12 de agosto, uma equipe do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) realizou uma operação de fiscalização da produção de fertilizantes no estado de São Paulo. O estado é o maior em número de estabelecimentos produtores de fertilizantes do país.

Na operação foram apreendidos 100 mil litros de produtos fluidos e 412 toneladas de fertilizantes sólidos. Além disso, 34 empresas da região de Ribeirão Preto, São José do Rio Preto e Barretos foram fiscalizadas e 26 coletas de produtos para análises fiscais, as amostras de inoculantes representam o equivalente a 260 mil doses de produto. A ação tinha como objetivo auditar os processos de produção e os procedimentos de controle de qualidade de fertilizantes.

No total, foram emitidos 22 autos de infração e oito empresas foram embargadas cautelarmente para a realização de adequações. A principal irregularidade constatada foi a ausência ou insuficiência de análises de controle de qualidade das matérias-primas e produtos acabados. 

Ainda foram constatados que diversas empresas produtoras de fertilizantes fluidos estão produzindo adjuvantes. 

Participaram da ação 16 auditores fiscais federais agropecuários, com apoio logístico das Unidades Técnicas Regionais e da Superintendência Federal de Agricultura no Estado de São Paulo (SFA-SP).

Fonte: AgroPlus

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana