Cuiabá

Vereadores derrubam parecer contrário ao projeto que autoriza construção do Centro de Referência Pós Covid-19

Publicados

em


Carol Siqueira/Secom Câmara

De acordo com o vereador Pastor Jeferson a ideia do projeto é garantir um espaço para ajudar no tratamento das pessoas que ficaram com sequelas da covid.

Com 13 votos, o parecer de rejeição sobre o projeto foi derrubado durante a sessão desta quinta-feira (17).


Os vereadores derrubaram na sessão ordinária desta quinta-feira (17) o parecer contrário da CCJC (Comissão de Constituição, Justiça e Redação) ao Projeto de Lei que autoriza o Poder Executivo a criar Centro de Referência para tratamento de sequelas de pacientes que se curaram da covid-19. Em um entendimento firmado, os parlamentares entenderam a importância e relevância do projeto e derrubaram o parecer. Foram registrados 13 votos durante a sessão.&nbsp


De acordo com o autor da proposição, vereador Pastor Jeferson (PSD), o intuito é assegurar a demanda que a pandemia gerou e ao mesmo tempo ter um olhar especial para as pessoas que superaram o vírus, mas apresentaram alguma sequela.&nbsp&nbsp


“O tratamento da Covid-19 não acaba quando o paciente recebe alta, existe um trabalho posterior a ser executado para que o paciente recuperado tenha de volta a confiança necessária para retomar as suas atividades, é um projeto importante que vai beneficiar a população, não apenas no que diz respeito ao oferecimento de serviços básicos, mas na conexão de políticas que de fato oferecem bem estar, esperança e desenvolvimento.” ressalta o parlamentar.&nbsp


De acordo com a proposição, o espaço contará com uma equipe multiprofissional, como nutricionistas, fisioterapeutas, psicólogos, e equipamentos necessários para o seu funcionamento, seguindo os protocolos de saúde definidos pelas autoridades de saúde do Município, permitindo um trabalho de recuperação com qualidade.

Juliana Maciel/Gabinete Vereador Pastor Jeferson

Comentários Facebook
Propaganda

Cuiabá

Reeducando prestam serviços para Prefeitura de Cuiabá e veem oportunidade de recomeço

Publicados

em


Assessoria

Clique para ampliar

Homens e mulheres que cumprem pena no Sistema Penitenciário de Mato Grosso passaram a nutrir o sentimento de esperança, a partir das oportunidades ofertadas por meio de um convênio firmado entre a Prefeitura de Cuiabá e a Fundação Nova Chance (Funac). Desde o mês de junho, um grupo de reeducandos está atuando nas atividades de limpeza e manutenção das vias e praças públicas da cidade.

A parceria conta ainda com as participações da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (SEJUDH) e da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SESP) e tem como objetivo contribuir com o processo de ressocialização dessas pessoas por meio do trabalho. Neste momento, são 65 recuperandos atendidos com a iniciativa, sendo 33 homens e 32 mulheres. A previsão é de que esse número chegue até a 120.

“No último mês renovamos o convênio e agora já contamos com um grupo de reeducandos trabalhando em diversas atividades de serviços urbanos. O prefeito Emanuel Pinheiro foi quem deu o primeiro passo nessa iniciativa, por entender que a Prefeitura também deve contribuir na reinserção social dessas pessoas”, explica diretor-presidente da Empresa Cuiabana de Zeladoria e Serviços Urbanos (Limpurb), Vanderlúcio Rodrigues.  

Os serviços prestados são os de paisagismo, jardinagem, pintura, limpeza de logradouros públicos, dentre outros. Rosana Oliveira é uma das reeducandas que vê no projeto uma oportunidade de transformação. ‘’É uma ação muito boa. Muitos acham que não merecemos mais nenhuma oportunidade de recomeçar. Mas, nós queremos essa segunda chance, para seguir em um novo caminho”, relata.

Desde 2017 o prefeito Emanuel Pinheiro vem fortalecendo essa política de inclusão envolvendo reeducandos do Sistema Penitenciário de Mato Grosso. Nesse período, mais de 600 pessoas foram beneficiadas com esse projeto no Município. Todos os contemplados cumprem uma carga horária de 44 horas semanais, sendo oito horas de prestação de serviço de segunda a sexta-feira e, no máximo, quatro horas aos sábados.

Os recuperando selecionados para a prestação do serviço à Prefeitura recebem pelo trabalho a remuneração de R$ 1.100, equivalente a um salário mínimo. O valor pago é dividido em duas partes iguais. Dessa forma, uma cota tem como destinação uma caderneta de poupança, para ser entregue ao condenado quando posto em liberdade, e a outra é repassada para a família, como forma de assistência.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana