economia

Vendas do comércio crescem 5,2% de junho para julho, diz IBGE

Publicado


.

O volume de vendas do comércio varejista teve alta de 5,2% na passagem de junho para julho deste ano, segundo dados da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgados hoje (10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Essa é a terceira alta consecutiva do indicador, que cresceu 8,5% em junho e 13,3% em maio, e o melhor resultado para o mês, desde o início da série histórica, em 2000.

Segundo o IBGE, depois das quedas de 2,4% em março e de 16,6% em abril, devido à pandemia de covid-19, os três resultados positivos (maio, junho e julho) conseguiram recuperar as perdas com o isolamento social provocado pela doença.

O volume de vendas também teve altas de 8,7% na média móvel trimestral, de 5,5% na comparação com julho de 2019 e de 0,2% no acumulado de 12 meses. No acumulado do ano, no entanto, ainda apresenta queda (-1,8%).

Em julho, houve alta no volume de vendas em sete das oito atividades pesquisadas: livros, jornais, revistas e papelaria (26,1%), tecidos, vestuário e calçados (25,2%), equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (11,4%), artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (7,1%), combustíveis e lubrificantes (6,2%), outros artigos de uso pessoal e doméstico (5,0%) e móveis e eletrodomésticos (4,5%).

O setor de supermercados, alimentos, bebidas e fumo manteve-se estável em relação ao mês anterior.

O varejo ampliado, que inclui também os segmentos de materiais de construção e de veículos e peças, cresceu, 7,2% na passagem de junho para julho. O setor de veículos, motos, partes e peças teve alta de 13,2%, enquanto material de construção avançou 6,7%.

“Como o indicador despencou de fevereiro até abril, a base ficou muito baixa e essa recuperação vem trazendo todos os indicadores para os níveis pré-pandemia. Alguns setores estão bem acima dos níveis de fevereiro, como móveis e eletrodomésticos (16,9% acima), hiper e supermercados (8,9%) e artigos farmacêuticos (7,3%), além dos materiais de construção (13,9%), no varejo ampliado”, afirma o gerente da pesquisa, Cristiano Santos.

O varejo ampliado também teve crescimentos de 11,2% na média móvel trimestral e de 1,6% na comparação com julho de 2019. Nos acumulados do ano e dos últimos 12 meses, no entanto, houve perdas de 6,2% e 1,9%, respectivamente.

A receita nominal do varejo teve altas de 5,7% na comparação com junho deste ano, de 8,6% na média móvel trimestral, de 8,8% em relação a julho do ano passado, de 1,4% no acumulado do ano e de 3% no acumulado de 12 meses.

Já a receita do varejo ampliado teve altas de 8,4% na comparação com junho deste ano, de 11,3% na média móvel trimestral, de 4,9% na comparação com julho de 2019 e de 0,7% no acumulado de 12 meses. No acumulado do ano, houve queda de 3,1%.

Edição: Valéria Aguiar

Comentários Facebook
publicidade

economia

Banco do Brasil permite fazer transações do Pix pelo WhatsApp; veja como

Publicado


source

Olhar Digital

pix whatsapp banco do brasil
Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Pix poderá ser usado através do WhatsApp

O Banco do Brasil disponibilizou para seus clientes a possibilidade de usar o Pix via WhatsApp . Isso é possível graças ao assistente virtual (chatbot) da empresa, através do número (61) 4004-0001. É possível fazer o cadastro da chave para usar o novo sistema de pagamentos, ou então realizar transações utilizando o serviço.

No mensageiro, na janela de conversa com o chatbot , basta enviar “PIX” para que as opções de uso sejam listadas. Além do cadastro da chave do cliente, o chatbot permite enviar dinheiro pelo serviço ou então receber. Também é possível, por exemplo, enviar uma mensagem de áudio com algum comando – como “enviar um PIX” -, e então a operação pode ser realizada.

Essa não é a primeira vez que o Banco do Brasil introduz comandos via mensagem de áudio ao chatbot. A função, em si, foi lançada em meados de 2019. No entanto, o BB é o primeiro a oferecer o serviço de pagamentos instantâneos do Banco Central utilizando o WhatsApp .

Para realizar um pagamento via Pix , o chatbot do banco pede a chave de identificação do cliente e, depois, o valor. Em seguida, o nome e o banco do destinatário são exibidos, para que o usuário confirme a transação. Por último, para validar a transação, o usuário é enviado para um link externo, em uma página do próprio BB, para digitar sua senha e confirmar o pagamento.

A chave do Pix pode ser o e-mail, número de telefone ou CPF do cliente. Para receber dinheiro com ajuda do chatbot no WhatsApp , o banco fornece um código QR que pode ser compartilhado com o pagador.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana