Saúde

Variante não é principal causa de aumento de internações em SP, dizem médicos

Publicados

em


source
São Paulo tem recorde de internações em UTI Covid
Marcello Casal Jr/Agência Brasil

São Paulo tem recorde de internações em UTI Covid

O recorde de internações por Covid-19 em UTIs no estado de São Paulo não está relacionado à chegada das variantes do novo coronavírus (Sars-Cov-2) , dizem os especialistas. Apesar de admitirem a preocupação, os médicos afirmam que a falta de testagem e de sequenciamento genético dos infectados são barreiras para entender a influência dessas mutações.

Ao Estadão,  especialistas afirmaram que, além das mutações, preocupam também as aglomerações observadas nas últimas semanas, motivadas, principalmente, pelas festas de fim de ano e pelo feriado de caranaval.

 “Ainda não tínhamos essas variantes quando a segunda onda começou (fim de 2020). Começamos a ter a contribuição das variantes agora e em localidades específicas (…) O que acontece é que temos um grande número de casos e, agora, essas variantes começam a ocupar porcentual maior deles.” Pelo menos dez Estados já registraram a cepa amazônica do vírus, cujos estudos iniciais já apontaram maior potencial de transmissão”, diz o infectologista Max Igor Lopes ao jornal.

Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência da Covid-19 em São Paulo, afirma que a variante ainda faz parte de uma parcela pequena dos casos, mas admite “muita preocupação”.

“Se ela for de fato mais transmissível é algo que pode contribuir para o recrudescimento de casos, internações e mortes”, afirma.

Você viu?

O especialista explica que medidas restritivas são a única forma de reduzir a transmissão. 

São Paulo deve adotar lockdown das 22h às 05h em todo o estado.  A expectativa é que o anúncio seja feito nesta quarta-feira (23).

“Os ingredientes para termos o aumento estão todos aí: permeabilidade muito grande nas fronteiras no País, a gente não faz ‘lockdown’, os voos saem direto de Manaus para lá e para cá, as medidas de isolamento não têm grande adesão da população. A quantidade de pessoas não vacinadas ainda é enorme. Então, a produção de variantes Brasil afora é fato”, afirma Renato Kfouri, diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações.


Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Propaganda

Saúde

Covi-19: prefeitura do Rio divulga calendário de vacinação para março

Publicados

em


A Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro divulgou, nesta terça-feira (2), o calendário de vacinação contra covid-19 para o mês de março. Nesta quarta-feira (3), serão vacinadas pessoas com 79 anos de idade ou mais, diminuindo a faixa etária até o dia 31, quando estarão sendo imunizados idosos com 67 anos.

Em manifestação pelas redes sociais, o prefeito Eduardo Paes comemorou a chegada de novos lotes de vacina contra a covid-19: “Hoje recebemos um cronograma de entregas da vacina. Sendo cumprido, segue o novo cronograma de vacinação da prefeitura do Rio. Até amanhã estaremos vacinando pessoas com 79 anos e, na quinta, sexta e sábado, pessoas com 78 anos.”

Segundo o cronograma liberado pela prefeitura, os dias 4 e 5 serão reservados à vacinação de pessoas com 78 anos. No sábado (6), haverá “repescagem” para pessoas acima de 78 anos. Nos dias 8 e 9, serão vacinados idosos com 77 anos e nos dias 10 e 11, aqueles com 76 anos. No dia 12, serão imunizados os que têm 75 anos e, no dia 13, haverá “repescagem” a partir de 75 anos.

Na semana seguinte, dias 15 e 16, receberão a vacina pessoas com 74 anos; nos dias 17 e 18, com 73 anos. No dia 19, serão imunizados os que estão na faixa de 72 anos. Para o dia 20, está prevista a “repescagem” para idosos a partir de 72 anos. Nos dias 22 e 23, serão vacinado os que têm 71 anos e, nos dias 24 e 25, os de 70 anos. Aqueles que estão com 69 anos receberão o imunizante no dia 26. Idosos a partir de 69 anos terão a chance da repescagem no dia 27.

Nos dias 29 e 30, serão vacinadas pessoas com 68 anos. E no dia 31, receberão a vacina os que estão na faixa de 67 anos de idade.

Até o momento, o município do Rio já imunizou 361.336 pessoas, o que corresponde a 5,35% da população da capital.

Edição: Nádia Franco

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana