AGRO & NEGÓCIO

Vacathon, maratona de inovação, fomenta a pesquisa no mercado do leite

Publicado


A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Embrapa, promove entre os dias 22 e 30 de outubro, o Vacathon, maratona de inovação do setor do leite e derivados. Inspirada no conceito de Hackathon, imersão de programação, tem como objetivo o fomento da inovação de processos no mercado do leite e da aproximação de pesquisadores e mercado.

 

As equipes multidisciplinares são selecionadas pelas universidades. Alunos e professores passam 8 dias junto ao corpo técnico da Embrapa, empresários e especialistas do setor. O grupo fica conectado 24 horas e tem disponíveis debates, cursos, mentorias, encontros e lives.

 

Cada universidade tem um embaixador, professor responsável pelo desempenho dos grupos. A escolha das melhores soluções criadas durante a competição será feita via Internet, com a participação direta do público, em formato de reality show. A transmissão será em tempo real pelo canal da Embrapa no Youtube, além do Facebook e na Repileite.

 

Os temas deste ano seguem três eixos: FoodTech, Inovação e Empreendedorismo e Transformação Digital. Estão inscritas equipes de 27 universidades. Pela primeira vez na história do evento, participarão equipes de 3 universidades de Angola e Argentina. Todos os dias, os participantes terão um cronograma de conteúdos virtuais a serem acessados no canal de conteúdo do evento, o Milktube. Também será oferecida a mentoria agenda e feita virtualmente.

 

No ano passado, em 36 horas, pesquisadores elaboraram um método para a identificação da mastite (inflamação nas glândulas mamárias da vaca que causa grandes perdas na produção leiteira). “A Milcup é uma caneca com sensores eletrônicos que realiza a contagem de células somáticas, responsáveis pela formação de tecidos e órgãos, que é o principal indicador de mastite. A leitura é realizada na hora e sem a necessidade de reagentes. Basta colocar o leite na caneca”, explica Sérgio Luís de Castro Júnior, engenheiro de biossistemas e mestrando do Núcleo de Pesquisa em Ambiência (Nupea), da Esalq-USP Piracicaba. O pesquisador é um dos membros da equipe de vencedora do primeiro lugar do Vacathon 2019 pela criação da Milcup.

 

Ideas For Milk

O Vacathon é um dos eventos que compõe o movimento por inovação Ideas For Milk, que também engloba outros 3 eventos independentes que acontecem desde 2015: Caravana (visita a universidades), Desafio de Startups(fomento do negócio da pesquisa do mercado do leite) e Prêmio de Inovação (reconhecimento de propostas inovadoras). Uma proposta de revolução digital rumo ao leite 4.0.

 

Indústria do leite no Brasil

Segundo a Embrapa Gado de Leite, o Brasil é o quarto país no mundo em produção leiteira, gerando uma média de 30 bilhões de litros de leite inspecionado por ano. Em 2019, a cadeia leiteira empregou 4 milhões de trabalhadores no país e 1,1 milhão de produtores gerando um faturamento estimado de R$ 105 bilhões.

 

Quem faz o Ideas For Milk

O Ideas for Milk é uma realização da Embrapa Gado de Leite, em parceria com Agripoint, Bovcontrol, Ciatécnica, Texto Comunicação. Conta com o Patrocínio Diamante do Sebrae; Patrocínio Ouro da Tetrapak, Boehringer Ingelheim, TIM; Patrocínio Prata da Vaccinar, FAEMG/Inaes, Sistema Ocemg, Sistema OCB, Silemg e Patrocínio Bronze da Nestlé, CLAAS, DSM/Tortuga, ABDI, JA Saúde Animal, Piracanjuba, Vivalácteos, Belgo Bekaert, ABIQ, SENAR/GO, Alta Genetics, Abraleite, Vivare. Apoio da Microsoft, KER Innovation e Revista Balde Branco.

 

Imprensa Ideas For Milk: [email protected]

Élida Ramirez (31) 9 9526-0189 e Ana Flávia Moreira (31) 99390-1708

Fonte: Embrapa

Comentários Facebook
publicidade

AGRO & NEGÓCIO

Mulheres vencem a Jornada Científica da Embrapa Meio-Norte

Publicado


As mulheres voltaram a vencer a Jornada Científica da Embrapa Meio-Norte, versão 2020, que terminou nesta sexta-feira 27. Elas conquistaram os três primeiros lugares na modalidade Iniciação Científica, que é a base do estudo dos bolsistas na instituição. Também no concurso de fotografias relacionadas à pesquisa científica, categoria Estudante, deu mulher “na cabeça”. 

O primeiro lugar foi o trabalho “Assimetria flutuante como bioindicadora de estresse ambiental em Melipona subnitida Ducke”. Autora: Vanessa Gomes de Moura, que foi orientada pela pesquisadora Fábia Pereira. O segundo trabalho premiado foi “Componentes da produção do milho inoculado com bactérias promotoras de crescimento vegetativo, em Teresina, Piauí. Autora: Thais Santiago de Sousa. A orientadora foi a pesquisadora Rosa Maria Mota.

A estudante Cleidiane Macêdo Santos ficou em terceiro lugar com o trabalho de nome bem científico: “Diferenciação de Trichogramma Westwood 1833 (Hymenoptera : Trichogrammatidae) com base no gene citocromo oxidase I (COI) e na região do espaço transcrito interno 2 (ITS2). O pesquisador Paulo Sarmanho foi o orientador do trabalho..

O concurso de fotografia, que já é tradição nas seis versões da Jornada Científica da Embrapa Meio-Norte, este ano estreou a modalidade Empregado. O vencedor foi o técnico Francisco Gustavo Carvalho de Sousa, que é supervisor de campos experimentais em Teresina, com a foto “A lagarta”. Na categoria Estudante, deu empate entre as estudantes Ana Beatriz Sousa Silva, com a foto “Doce Mel, mel uruçu”, que ilustra esta notícia; e Gabriela Rodrigues Alencar Ferry, com a fotografia “Abelha na flor”. 

Todos os premiados receberão troféus. O evento, que foi 100% virtual e que já faz parte do calendário universitário de Teresina, foi coordenado pela pesquisadora Fábia Pereira.

Fonte: Embrapa

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana