sinop

Usina Hidrelétrica é multada em R$ 36 milhões pela mortandade de sete toneladas de peixes

Publicado

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) aplicou multa de R$ 36 milhões na Usina Hidrelétrica de Sinop pela mortandade de sete toneladas de peixes no rio Teles Pires ocorrida em 15 de agosto. A infração foi calculada aplicando sanção de R$ 6 milhões por operar em desacordo com a licença e mais R$ 6 milhões por não adotar medidas de precaução. Ao total de R$ 12 milhões, foi acrescentado o agravante da reincidência, majorando a multa para R$ 36 milhões.

De acordo com o parecer técnico feito pela equipe multidisciplinar que investigou o caso, a morte dos peixes foi causada por manobras de comportas e dos hidrogeradores. Os laudos apontam que os peixes foram encontrados com traumas mecânicos, já que são atraídos pela agitação das águas. As medições feitas pela Sema não encontraram alterações na qualidade da água.

Usina da Companhia Energética de Sinop

Diante das constatações, além da multa, a Sema determinou que as manobras das comportas do vertedouro, como também dos geradores UHE Sinop, só serão autorizadas após serem aprovadas os resultados das medidas restritivas e condicionantes implementadas para evitar novos eventos de mortandade de peixes A Sema solicitou estudos de viabilidade técnica para diversas medidas de mitigação, como implantação de sistema de repulsão de peixes, canal lateral para atração e transposição dos peixes, dentre outros.

O empreendedor deverá contratar consultoria externa qualificada para estabelecimento de novas regras operacionais. A Sema também solicita a contratação de auditoria independente, de notório saber na área, para acompanhar a operação e regras definitivas para funcionamento do empreendimento. Esta auditoria deverá se reportar diretamente ao órgão ambiental.

A UHE Sinop também deve realizar e apresentar quinzenalmente leitura do perfil vertical do reservatório, com medição de metro a metro, de parâmetros de qualidade da água.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

sinop

Sargento da Polícia Militar morre por complicações decorrentes da Covid-19

Publicado

A Polícia Militar de Mato Grosso informa com profundo pesar a morte do 2º sargento Vandeci de Moraes, 42 anos, ocorrida na madrugada desta segunda-feira (12.10), por complicações decorrentes da Covid-19. Vandeci morreu as 4h50, no Hospital Regional de Sinop (500 km de Cuiabá).

O sargento Vandeci estava internado nessa unidade hospital desde 14 de setembro. No dia seguinte a sua internação foi transferido para a Unidade de Tratamento Intensivo(UTI), de onde saiu no início da semana passada.

De acordo com policiais, amigos próximos da família, na passada, já fora na ala de pacientes com Covid, Vandeci chegou a falar com familiares por vídeo chamada. Ele aparentava boa recuperação, tinha expectativa de receber alta hospitalar esta semana, e os amigos e familiares planejavam recebe-lo com homenagens.

Entretanto, neste domingo(11.10) apresentou um quadro grave de infecção e voltou a ser internado na UTI, onde acabou morrendo.

CARREIRA DE DEDICAÇÃO

Mato-grossense de Porto dos Gaúchos, Vandeci de Moraes ingressou na Polícia Militar aos 20 anos, no dia três de julho de 1998, no posto de soldado. Desde então, serviu a população mato-grossense por meio de diversas unidades. Em Feliz Natal, comandou o 4º Pelotão da PMMT por quase 10 anos período.

Em Sinop, onde está lotado no 11º Batalhão, serviu a comunidade, fez amigos dentro e fora da PM, e formou família com Dadva Ferreira da Silva, com quem tem uma filha, Valéria Moraes, hoje com 14 anos, e o enteado Luan.

SEPULTAMENTO

Por ser morte por Covid, não haverá velório, conforme prevê o protocolo da pandemia. O corpo do sargento sairá do Hospital Regional hoje(12), às 16h30 direto para Cemitério Municipal de Sinop.

O 3º Comando Regional, por meio do 11º Batalhão de Polícia Militar de Sinop, designou policiais para acompanhar os funerais e dar assistência à família do sargento Vandeci.

Fonte: PM MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana