Saúde

Universidade do Ceará vai testar vacina contra Covid-19 em humanos

Publicados

em


source
Universidade do Ceará vai testar vacina em humanos
Foto: Manuella Brandolff/ Palácio Piratini

Universidade do Ceará vai testar vacina em humanos

A Universidade Estadual do Ceará (UECE) está desenvolvendo sua própria vacina contra a Covid-19 . O desenvolvimento do imunizante, chamado HH-120-Defenser, está ocorrendo desde abril do ano passado.

Agora, as pesquisas chegaram em uma nova etapa: a realização de testes em humanos. A universidade vai entrar com o processo de liberação junto à Anvisa para começar esta etapa de pesquisas. Segundo a instituição, a primeira fase da pesquisa, com testes em camundongos, foi realizada com sucesso.

Assim que aprovada pela Anvisa, a fase clínica se dividirá em três etapas. Na primeira, o imunizante será administrado em cerca de 100 voluntários adultos, com idades entre 18 e 60 anos, que sejam saúdáveis. A seguir, serão incluídas pessoas com comorbidades. Naa Fase 3, os testes incluirão milhares de pessoas, com diversos perfis e caracteristicas.

Como o imunizante é feito?

A proposta desta vacina é usar um coronavírus aviário atenuado (enfraquecido), já conhecido há década e sem nenhum tipo de risco para humanos. Segundo os pesquisadores, o principal motivo da escolha dessa cepa de coronavírus é por ser muito parecida com o SARS-CoV-2.

Além disso, este imunizante promete ter um baixo custo de produção. Em um comunicado, o pesquisador Ney Carvalho explica que a concentração de vírus vacinal proposta em cada dose é suficiente para que um frasco, comprado por R$ 11 possa conter 250 doses da vacina. Cada dose da CoronaVac, por exemplo, custa, em média, R$ 16.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Propaganda

Saúde

São Paulo: postos interrompem vacinação contra Covid-19 por falta de doses

Publicados

em


source
Após receber as denúncias, as reclamações são encaminhadas para uma unidade do Ministério Público para que as providências legais sejam tomadas
Rovena Rosa/Agência Brasil

Após receber as denúncias, as reclamações são encaminhadas para uma unidade do Ministério Público para que as providências legais sejam tomadas


Mais de 250 Unidades Básicas de Saúde (UBS) não tinham mais vacinas contra a Covid-19 na cidade de São Paulo nesta segunda-feira (21). Segundo a plataforma “De Olho na Fila”, apenas unidades da Zona Oeste da capital paulista possuíam doses para a vacinação.

Segundo a Prefeitura de São Paulo, este é um problema pontual causado pela alta demanda após a abertura de novos grupos de vacinação. “Para atender a demanda, estão sendo feitos remanejamento/abastecimento de doses entre as unidades vacinadoras do município, para garantir a vacinação nos territórios”, afirmou em nota.

Na última sexta-feira (18), a capital paulista passou a permitir que pessoas com 18 anos ou mais pudessem se inscrever na fila de espera para doses remanescentes — conhecida como “xepa da vacina”. A medida gerou uma corrida para o cadastro e longas filas.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana