AGRO & NEGÓCIO

Unidade lamenta a morte de parceiro da cultura da mandioca

Publicado


.

A Embrapa Mandioca e Fruticultura (Cruz das Almas, BA), Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, lamenta profundamente a morte, no último sábado (19), do engenheiro-agrônomo Izaltiene Gomes, coordenador técnico da Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (Bahiater), unidade da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR).
A liderança nata de Izaltiene Rodrigues, com quem boa parte da equipe técnica da Embrapa Mandioca e Fruticultura teve um estreito relacionamento profissional e pessoal, fez diferença na vida de milhares de agricultores baianos. Natural de Barra do Choça (BA), Izaltiene foi um dos fundadores e o primeiro presidente da Cooperativa Mista Agropecuária do Sudoeste da Bahia (Coopasub), que teve início com 108 agricultores e chegou a ter 2.306 agricultores associados. A Embrapa esteve presente desde as primeiras discussões, antes mesmo da sua implantação, em 2005.
Já em 2012, à frente da Câmara Setorial da Mandioca e Derivados da Bahia, Izaltiene foi um dos responsáveis pela implementação do projeto Reniva (Rede de multiplicação e transferência de manivas-semente de mandioca com qualidade genética e fitossanitária), que tanto tem beneficiado pequenos produtores pelo Brasil. Com foco no pequeno agricultor, a rede tem como meta contribuir para a estruturação da cadeia da mandiocultura para minimizar, futuramente, os efeitos das secas prolongadas.
Aos familiares, colegas e amigos de Izaltiene, nossa solidariedade neste momento de dor.

 

 

Fonte: Embrapa

Comentários Facebook
publicidade

AGRO & NEGÓCIO

Embrapa e Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro celebram acordo de cooperação técnica para pesquisa em desenvolvimento territorial, alimentação e saúde

Publicado


Parceria formal vai durar inicialmente cinco anos e abre novas fronteiras para

inovação, desenvolvimento científico e tecnológico entre Brasil e Portugal

Com o intuito de executar um planejamento de pesquisa para os próximos cinco anos, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) e a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) acabam de definir os termos finais de um acordo de cooperação técnica (ACT) para a realização conjunta de pesquisas nas áreas de Desenvolvimento Territorial, Alimentação e Saúde.

“O acordo é fruto da necessidade de consolidarmos uma parceria institucional de médio prazo com a UTAD, que é uma Universidade portuguesa com larga experiência especialmente nas áreas de atuação desta Unidade”, afirma João Flávio Veloso, chefe geral da Embrapa Alimentos e Territórios, centro de pesquisa da estatal instalado recentemente em Maceió (AL).

A UTAD será representada, na cooperação técnica, pelo seu Centro de Estudos Transdisciplinares para o Desenvolvimento (CETRAD), disponibilizando recursos humanos, técnicos e institucionais necessários à obtenção dos resultados objetos das pesquisas. O Centro mantém grupos de investigação nas temáticas de Turismo, Identidades, Património Cultural, Inovação, Mercados, Organizações e ainda sobre Sociedade, Território, Recursos e Políticas.

Ambas as instituições deverão também franquear, reciprocamente, aos pesquisadores, técnicos, empregados, envolvidos na execução de trabalhos vinculados ao acordo, a utilização de suas infraestruturas técnicas e também envidar esforços na captação de recursos através de projetos de pesquisa. Embrapa e UTDA indicarão três profissionais de seus quadros de servidores para compor um grupo gestor do plano de trabalho a ser proposto. 

“A Embrapa vai se responsabilizar pela gestão operativa e organização de reuniões de discussão, criação e manutenção de repositório de documentos e de outras atividades necessárias ao bom funcionamento do plano de trabalho oriundo desse acordo”, diz o analista, Rodolfo Osorio de Oliveira, designado como coordenador por parte da estatal brasileira. Pela UTAD, a coordenação se dará pelo atual vice-reitor de Planeamento e Internacionalização, Artur Fernando Arede Correia Cristóvão.

 

Agenda de pesquisas

Artur Fernando Cristóvão fará no próximo dia 03 de novembro a palestra de abertura do Seminário Internacional Estratégias de Valorização de Produtos Agroalimentares, que vai reunir especialistas de Portugal, França, Peru e Argentina. Ele vai falar sobre a experiência portuguesa para valorização de produtos agrícolas e agroalimentares tradicionais em Portugal. O evento, idealizado pela Embrapa Alimentos e Territórios e pelo SEBRAE-AL, ocorre totalmente em ambiente virtual pela internet. 

A cooperação com a Universidade portuguesa, que está localizada na cidade de Vila Real, na Região do Norte, tem como um dos focos iniciais a busca pelo incremento de mais qualidade aos produtos agroalimentares locais. A Embrapa se mostra efetivamente interessada em entender como se deram os esforços dos poderes públicos, das universidades e do terceiro setor naquele país, para a promoção de desenvolvimento territorial sustentável, revertendo as tendências dos processos de “despovoamento” e dando alternativas contra a desvitalização das economias rurais que também ocorreram em Portugal

A parceria inédita deverá gerar frutos para novos modelos de turismo rural, na perspectiva de que esse tipo de empreendimento caminhe de mãos dadas com políticas públicas de preservação do ambiente. “O que buscamos garantir é o fortalecimento de uma estruturação, por parte dos governos e da iniciativa privada, para a manutenção das chamadas ‘paisagens culturais’ e inseri-las na economia local”, informa Veloso. 

Fonte: Embrapa

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana