economia

Última parcela do auxílio emergencial começa a ser paga amanhã; veja quem recebe

Publicados

em

 

 

source
Auxílio emergencia
Redação 1Bilhão Educação Financeira

Auxílio emergencia

A sétima e última parcela prevista do auxílio emergencial 2021 começará a ser paga na próxima segunda-feira (dia 18), para os beneficiários do Bolsa Família. No primeiro dia, serão contemplados aqueles com Número de Identificação Social (NIS) de final 1. O calendário de pagamentos vai se estender até o dia 29 deste mês. Confira as datas abaixo.

No caso dos titulares do programa de distribuição de renda, o dinheiro — depositado em contas poupança sociais digitais da Caixa Econômica Federal — já pode ser imediatamente sacado. A retirada deve ser feita em agências do banco, casas lotéricas ou correspondentes Caixa Aqui.

Os valores do auxílio emergencial 2021 correspondem a R$ 150 (para quem mora sozinho), R$ 250 (para famílias com dois ou mais integrantes) e R$ 375 (para mães chefes de família).

Vale destacar que os beneficiários do Bolsa Família têm direito ao pagamento de maior valor: o auxílio emergencial ou o benefício social anterior, o que for mais vantajoso.

Leia Também

A ideia do governo é que, com o fim dos pagamentos do auxílio emergencial, as famílias passem a receber o novo Bolsa Família, batizado de Auxílio Brasil. Mas os valores ainda não foram confirmados pelo governo federal.

Leia Também

Calendário da sétima parcela – Somente para o Bolsa Família

  • NIS de final 1 – 18 de outubro
  • NIS de final 2 – 19 de outubro
  • NIS de final 3 – 20 de outubro
  • NIS de final 4 – 21 de outubro
  • NIS de final 5 – 22 de outubro
  • NIS de final 6 – 25 de outubro
  • NIS de final 7 – 26 de outubro
  • NIS de final 8 – 27 de outubro
  • NIS de final 9 – 28 de outubro
  • NIS de final 0 – 29 de outubro.

Passo a passo para retirada

1) Para sacar o dinheiro pelo app Caixa Tem, é preciso fazer o login no aplicativo, selecionar a opção “Saque sem cartão” e “Gerar código de saque”.

2) Depois, basta inserir a senha para ter acesso ao código de saque na tela do celular, o qual tem validade de uma hora e deve ser informado nas agências, nas unidades lotéricas ou nos correspondentes Caixa Aqui.

Os recursos também podem ser sacados por meio do Cartão Bolsa Família ou do Cartão Cidadão.

Para quem não faz parte do Bolsa Família, há outros calendários, divididos em depósitos e liberações de saques. Confira:

Ciclo 6: saque por mês de nascimento

  • 04/10 – Janeiro;
  • 05/10 – Fevereiro e março;
  • 06/10 – Abril;
  • 08/10 – Maio;
  • 11/10 – Junho;
  • 13/10 – Julho;
  • 14/10 – Agosto;
  • 15/10 – Setembro;
  • 18/10 – Outubro; e
  • 19/10 – Novembro e dezembro.

Ciclo 7: crédito por mês de nascimento

  • 20/10 – Janeiro;
  • 21/10 – Fevereiro;
  • 22/10 – Março;
  • 23/10 – Abril e maio;
  • 26/10 – Junho;
  • 27/10 – Julho;
  • 28/10 – Agosto;
  • 29/10 – Setembro;
  • 30/10 – Outubro e novembro; e
  • 01/11 – Dezembro.

Ciclo 7: saque por mês de nascimento

  • 01/11 – Janeiro;
  • 03/11 – Fevereiro;
  • 04/11 – Março;
  • 05/11 – Abril;
  • 09/11 – Maio;
  • 10/11 – Junho;
  • 11/11 – Julho;
  • 12/11 – Agosto;
  • 16/11 – Setembro;
  • 17/11 – Outubro;
  • 18/11 – Novembro; e
  • 19/11 – Dezembro.

Comentários Facebook
Propaganda

economia

PEC dos Precatórios será promulgada fatiada nesta quarta-feira

Publicados

em


source
Rodrigo Pacheco e Arthur Lira fecharam acordo nesta terça-feira
Reprodução/TV Câmara

Rodrigo Pacheco e Arthur Lira fecharam acordo nesta terça-feira

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios será promulgada de forma fatiada nesta quarta-feira (8). A decisão foi tomada na terça-feira pelos presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco, que anunciaram que as alterações da PEC propostas pelo Senado serão votadas na próxima terça-feira (14) no Plenário da Câmara.

Depois do acordo entre Câmara e Senado, o presidente  Jair Bolsonaro (PL) publicou a medida provisória que insititui o Auxílio Brasil.

Lira explicou que as inovações dos senadores ao texto, como tornar o programa Auxílio Brasil permanente, serão incorporadas à PEC 176/12, que está pronta para ser apreciada pelo Plenário. Segundo o presidente da Câmara, esse procedimento permitirá a votação da proposta com mais celeridade.

Segundo Lira, o importante é garantir a abertura de espaço fiscal no Orçamento para o pagamento do Auxílio Brasil. “A parte mais importante é a abertura do espaço fiscal do Orçamento para o pagamento do Auxílio Brasil, a manutenção das regras das duas Casas para compensação dos precatórios e para o parcelamento dos débitos previdenciários dos municípios, entre outros”, explicou.

Leia Também

“As questões de mérito serão discutidas pelas lideranças e teremos, de agora até a próxima terça-feira, conversas para alinhar o máximo possível de texto comum”, disse Lira.

Auxílio Brasil

A PEC abre, no Orçamento da União de 2022, um espaço fiscal aproximado de R$ 50 bilhões para bancar R$ 400 mensais aos beneficiários do Auxílio Brasil – programa de transferência de renda sucessor do Bolsa Família – por meio da mudança da fórmula de cálculo do teto de gastos imposto pela Emenda Constitucional 95, de 2016 e da criação de um subteto para o pagamento de precatórios, as dívidas da União e dos entes federativos oriundas de sentenças judiciais definitivas.

Rodrigo Pacheco afirmou que os senadores entenderam o senso de urgência na implantação do novo programa social do governo. “A alternativa mais viável, com o apoio de uma ampla maioria dos líderes, foi a possibilidade, nos textos onde há pontos comuns, de sua promulgação. Mas a promulgação desses pontos comuns só serão possíveis com a condição de que as inovações possam ser apreciados pela Câmara”, explicou Pacheco.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana