TECNOLOGIA

Twitch bane 7,5 milhões de contas que geram falsa audiência

Publicados

em


source
Twitch vai banir contas falsas
Unsplash/Caspar Camille Rubin

Twitch vai banir contas falsas

A Twitch anunciou que está removendo da plataforma cerca de 7,5 milhões de contas falsas encontradas no serviço de transmissão ao vivo. De acordo com o comunicado, esses perfis eram usados para aumentar a audiência e o engajamento de lives .

“Temos monitorado o aumento do engajamento falso na Twitch e identificamos mais de 7,5 milhões de contas que quebram nossos termos de uso. Estamos tomando medidas em relação a essas contas e agradecemos todos os relatórios sobre esse problema”, disse no comunicado.

Twitch começa a banir contas falsas

Com a mudança, é provável que alguns “ streamers ” detectem uma queda de audiência nos próximos dias e até mesmo de seguidores. A Twitch não especificou se essas contas falsas pertencem a um mesmo grupo ou país.

Você viu?

“Como resultado dessas remoções, você poderá notar diminuições repentinas na contagem de seguidores e espectadores nos próximos dias. Se você acredita que foi seguido ou visualizado por um bot, consulte nosso artigo de ajuda”, completa. “A maioria dessas contas foi detectada por meio de tecnologia de aprendizado de máquina contínua, que continuará a melhorar e a operar no futuro. Nós nos envolvemos na aplicação quando necessário, incluindo ações legais”, finaliza o aviso.

Essa é mais uma mudança recente anunciada pela plataforma de lives . Na última semana, a Twitch anunciou que vai começar a banir contas de usuários por assédio mesmo que o caso ocorra fora da rede social .

A empresa adicionou uma nova categoria em sua política de má conduta, que engloba “crimes graves que representam um risco de segurança substancial para a comunidade Twitch ”. Entram nessa classe casos de extremismo violento, ameaças de violência em massa, participação em um grupo de ódio conhecido, exploração sexual de crianças e atividades sexuais não consensuais, entre outros.

Comentários Facebook
Propaganda

TECNOLOGIA

Streamers brasileiros criam “sindicato” para contestar preços da Twitch

Publicados

em


source
Twitch
Unsplash

Twitch

Streamers brasileiros estão se organizando para contestar as mudanças impostas pela Twitch nos últimos dias. A plataforma mudou os preços para quem deseja se tornar assinante de canais,  reduzindo de R$ 22,99 para R$ 7,90 – o problema é que isso também afetou diretamente os ganhos de quem transmite na plataforma, para a pior.

A iniciativa foi formulada por diversas pessoas da comunidade, mas divulgada por Matheus “Pipoca” Tavares, streamer e também jogador profissional de League of Legends . Em seu Twitter ele convoca que streamers preencham um formulário para o “sindicato de streamers”.

O nome, esclarece Pipoca, é brincadeira, mas o sentido é o mesmo. Trata-se de uma união de pessoas que utilizam a mesma ferramenta de trabalho, que buscam formas mais justas de serem remunerados por seus serviços – neste caso, a transmissão de conteúdo via Twitch.

“Não tem data nem hora marca ainda, estamos reunindo o máximo de streamer possível para discutir o futuro da plataforma”, escreve Pipoca em seu Tweet. A ideia é que, com muita gente reunida, as insatisfações possam ser levadas à Twitch para discussão e para saber melhor como isso vai afetar a todos no futuro.

Você viu?

Além disso, também foi aberto um servidor no Discord para reunir as pessoas e ter a troca de ideias e informações.

Twitch piorou?

Em tese, com o novo preço de R$ 7,90, o percentual que fica com o dono do canal reduziu drasticamente. De acordo com a revista digital Stiles Gaming, cada assinante (sub) pago neste valor mais básico rende apenas US$ 0,48 para o streamer. Se o sub for dado de gift por outro usuário o dono do canal fica com US$ 0,45. São valores quase irrisórios, mesmo com a cotação do dólar em alta.

Em tese, a melhor alternativa, no momento, é incentivar que seus espectadores doem bits e não assinem, ainda que percam uma série de benefícios com isso. A Stiles Gaming informa que 100 Bits equivalem a R$ 6,50, enquanto US$ 1 fica com o dono do canal – o espectador gasta menos e ajuda mais.

Os valores correspondem a assinaturas e gastos usando o computador, via celular pode ser um pouco mais caro. Sobre o futuro da plataforma resta aguardar por novidades da união de streamers criada pela comunidade e ver como a Twitch deve reagir a isso no país. A Twitch, porém, já chegou a prometer mais auxílio aos gamers, mas, por enquanto, não se sabe como vai passar a valer para o Brasil.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana