turismo

Turismo subaquático: 5 lugares incríveis para mergulhar no Brasil

Publicados

em


source
Mergulhar traz uma sensação indescritível
Pixabay

Mergulhar traz uma sensação indescritível

Viajar é, sem dúvida, uma das melhores experiências que podemos ter na vida. Mas, além de conhecer lugares incríveis, o viajante que procura por algo diferente, que traga liberdade e, ao mesmo tempo, um visual ímpar está precisando descobrir o mundo subaquático! Mergulhar (ou flutuar) te leva a uma viagem aos sons do mar, apreciando a biodiversidade marinha e cores absolutamente deslumbrantes.

Entre os diversos tipos de mergulhos, vamos focar no mais procurado quando o objetivo é uma atividade recreativa de contemplação da natureza, o mergulho de batismo . O serviço oferecido por agências e operadoras é destinado a pessoas que nunca fizeram o curso, então todo passeio é feito acompanhado de um profissional qualificado, não sendo necessário saber nadar (dúvida de muitas pessoas).

Para trazer mais informações sobre essa atividade tão maravilhora, o iG Turismo conversou com a empresária e agente de viagens Cyntia Reis, que salientou a importância estar em um local seguro, sempre com profissionais capacitados, para realizar o passeio com todos os cuidados.

Listamos abaixo os cinco lugares mais incríveis e seguros para você aproveitar ao máximo essa experiência. Confira!

Arraial do Cabo

Você pode perguntar, “por que Arraial do Cabo fica em primeiro lugar?” Ora, basta uma pesquisa rápida sobre qual é a Capital Brasileira de Mergulho? Sim,  Arraial do Cabo vai te impressionar em absolutamente tudo!

Entre os pontos mais procurados para conhecer o mundo subaquático estão Ilha do Cabo Frio, Saco do Cherne (10 m), Pedra Vermelha (6 a 12 m), Saco do Anequim (6 a 12 m) e Saco do Cardeiro (6 a 12 m). Além disso, é possível conhecer os destroços de navios afundados como o Naufrágio do Harlingen, na Furna das Mulheres, que está a 15 a 25 m de profundidade e o Naufrágio do Thetis, que está na Saco dos Ingleses a 7 a 18 m. 

A cidade fluminense possui uma localização que facilita conhecer outros lugares, então além do mergulho você poderá conhecer as cidades vizinhas, como Cabo Frio, Búzios ou mesmo a capital (Rio de Janeiro) que fica somente a 140 km de distância.

Conhecer o mundo subaquático da Capital do Mergulho Brasileiro é uma experiência que você guardará para o resto de sua vida.

Preço do mergulho de batismo:  a partir de R$ 180 por pessoa.

Angra dos Reis

Localizada no Sul do Rio de Janeiro, com 365 ilhas, isso mesmo, uma ilha para cada dia do ano e mais de 2 mil praias.

Apesar de sua história controversa, em que perdeu fama durante muitos anos, retornando somente da década de 1920 a ter prestígio nacional, Angra é indiscutivelmente a que possui um dos melhores locais para a prática de mergulho e flutuação do Brasil. Na enseada de Araçatiba também é possível encontrar a Laje Branca, que está a 16 m de profundidade. 

Na Enseada do Sítio Forte, o mergulhador pode se deslumbrar com o Naufrágio do navio Pingüino. É possível ver os destroços a poucos metros abaixo d’água e, os mais experientes, também podem entrar nos porões e corredores da embarcação. O naufrágio do Helicóptero, localizado na Laje do Matariz, também é outro ponto turístico que vale a pena ser visitado. 

Mas o ponto mais procurado pelos mergulhadores, sem dúvida, é a Ilha Grande, que tem águas cristalinas e um mar com tom verde esmeralda, um atrativo e tanto para quem quer conhecer a vida marinha. Outro ponto famoso é a Laje Alagada, onde é possível ver uma diversidade grande de estrelas do mar em meio às fendas das pedras gigantescas do local.  

Preço do mergulho de batismo:  a partir de R$ 260 por pessoa.

Chapada Diamantina

O Parque Nacional fica localizado no coração da Bahia e possui as maiores montanhas do Nordeste (sim, nordeste inteiro). Recomendamos que sempre conte com um guia credenciado para conhecer este local, pela dificuldade dos acessos aos pontos turísticos.

Você viu?

O local é repleto de belezas naturais com seu conjunto de cachoeiras, cavernas, cânions, cidades históricas e muita aventura. Lá, você vai encontrar o famoso  Poço Azul, na cidade de Nova Redenção (BA) e tem mais de 16 m de profundidade. 

A Gruta da Pratinha, na Fazenda Pratinha, em Iraquara, também reúne diferentes espécies de peixes em um aquário natural dentro de uma caverna. A água varia sua tonalidade entre azul, verde e prata, dependendo da luz do sol. Não esqueça sua lanterna para explorar melhor cada canto.

Preço do mergulho de batismo:  a partir de R$ 360 por pessoa.

Fernando de Noronha

Foto de golfinhos em um mergulho em Fernando de Noronha, uma experiência única
Roseli Reis brito

Foto de golfinhos em um mergulho em Fernando de Noronha, uma experiência única

Agora vamos para o estado de Pernambuco! E já vamos de ostentação no tamanho: são 17 km² apenas para a ilha principal. É verdade que  Fernando de Noronha está distante das grandes cidades, ficando a 545 km da capital pernambucana, Recife, e 360 km de Natal no Rio Grande do Norte, mas o visual para o mergulho compensa tudo!

Fernando de Noronha  tem o apelido de “Esmeralda do Atlântico”. Bom, nem precisa muito para entender o quão lindo é mergulhar em um lugar desses. O mergulho será absolutamente nítido e, por conta de suas águas e correntes, a nitidez debaixo d’água pode chegar a incríveis 50 metros.

A ilha é conhecida como um dos melhores locais do mundo para se mergulhar, então não deixe de visitar a Caverna da Sapata, que tem entre 15 m a 30 m de profundadide. Lá é possível ver raias-prego, meros e outros peixes maiores. Agora, se você quer um passeio mais “relax”, vale a pena pegar seu snorkel e óculos para correr para a Baía dos Porcos ou à Praia do Sancho.

Se a ideia do passeio for mais aventureira, o Naufrágio do Porto é uma das melhores opções. Na Praia do Porto você encontra dois antigos navios gregos afundados que podem ser vistos a apenas 3 m de profundidade. O local virou residência fixa de diversas espécies de animais marinhos como peixes, tartarugas, moreias, arraias e tubarões. Já o Corveta V17, na Ponta da Sapata, está a 70 m de profundidade na maré alta e pouco menos de 2 m na maré baixa, então esse mergulho é recomendado apenas aos mais experientes. Lá, é possível ver quase toda estrutura preservada, incluindo objetos deixados pela tripulação.

Preço do mergulho de batismo:  a partir de R$ 470 por pessoa.

Florianópolis

Florianópolis  ou “Floripa”, como é chamada pelos turistas, possui 54 Km de comprimento e é famosa por suas praias. Você aproveita o dia a beira-mar e a noite não deixa a desejar com sua agitação na vida noturna.

A cidade tem seis pontos de mergulho que são impressionantes, mas vale mais a pena visitar no verão para conhecer a diversidade de fauna e flora marinha. De todo modo, quem quiser ir somente no inverno, também vai encontrar muitos peixes e poderá até se deparar com uma baleia!

A Ilha Mata Fome é o local perfeito para os iniciantes, com paisagens a apenas 12 m de profundidade. O mergulhador encontra um aquário submerso com uma variedade extrema de peixes e corais. A Praia de Jurerê e a Cachoeira do Bom Jesus também são dois lugares para inexperientes, pois possuem águas calmas e cristalinas.

Já a Ilha do Arvoredo é o principal ponto de mergulho na capital é o lado sul da cidade. A Ilha do Xavier (formada por outras três ilhas: Galé, Deserta e Calau de São Pedro) fica bem em frente à Praia Mole e tem uma rica beleza natural a uma profundidade que varia entre 5 e 18 metros. A Ilha das Aranhas está entre as Praias do Santinho e Moçambique tem a melhor condição para mergulho na área. 

O Naufrágio dos Ingleses está a apenas 100 m da praia de mesmo nome e virou um verdadeiro santuário de peixes e ouriços. Não é recomendado entrar no navio devido ao alto índice de acidentes.

Preço do mergulho de batismo:  a partir de R$ 270 por pessoa.

ATENÇÃO

Mas esteja atento, os preços listados dependem de uma série de fatores (como época do ano, por exemplo), existem diversas empresas que realizam o mergulho, mas procure sempre uma empresa com referência no mercado e que possua profissionais qualificados.

Os preços podem sofrer alterações, então faça sempre as suas viagens com empresas credenciadas.

Sobre os procedimentos realizados com relação à  pandemia , as empresas de turismo devem possuir o selo Turismo Responsável , emitido pelo Ministério do Turismo e tomar todas as medidas necessárias de segurança, que são exigidas pelo governo.

Além disso, as empresas responsáveis apenas fazem roteiros em destinos liberados pelo governo. Isso gera mais segurança para todos!

Fonte: IG Turismo

Comentários Facebook
Propaganda

turismo

Hospedagem Pet Friendly: escolha um bom hotel para ficar com seu pet

Publicados

em


source
Hotéis e empresas de turismos estão cada vez mais emprenhadas em oferecer serviços para os bichinhos de estimação
Reprodução/Instagram

Hotéis e empresas de turismos estão cada vez mais emprenhadas em oferecer serviços para os bichinhos de estimação

Viajar  é uma das paixões dos brasileiros, mas uma grande preocupação na hora de por o pé na estrada é o que fazer com os pets que ficarão em casa. Existem alternativas como hotéis para animais, mas — para algumas pessoas — a presença do animalzinho é fundamental para aproveitar melhor os momentos. Uma prova disso é que, de acordo com uma pesquisa realizada pela Decode, uma empresa de levantamento de dados, após a quarentena o aumento por hospedagens pet friendly aumentou cerca de 238% na internet.

Não apenas os tutores têm interesse em partilhar seus momentos com os bichinhos, mas o mercado também está de olho nisso. Uma pesquisa feita pela Comac (Comissão de Animais de Companhia) prevê a movimentação de US$ 350 bilhões até 2027, um aumento de 50% no faturamento de 2020.

Armandinho e Nina são as grandes estrelas e mostram que um cãozinho pode e deve ser muito bem tratado nas viagens em família
Reprodução/Instagram

Armandinho e Nina são as grandes estrelas e mostram que um cãozinho pode e deve ser muito bem tratado nas viagens em família

Para a Patrícia, do “Eu, Você e os Pets”, que está desde 2016 viajando com seus dois cãezinhos da raça Yorkshire, o Armandinho e a Nina, o turismo pet friendly vem de fato crescendo ao longo dos anos. Para ela, há mais interesse em hotéis e empresas de turismo com relação aos cães, pois já não são apenas “cachorro de quintal” e sim membros da família.

“Para visualizar um cenário do quanto vêm melhorando, nós fomos para Socorro [São Paulo] recentemente e a pousada onde nós ficamos hospedados inaugurou uma piscina para os pets. Ela é só para os cães, ali eles podem ficar soltos e se divertirem”, conta. “Eles levam o café da manhã para o quarto, montam na varanda um espaço para que você possa tomar café na companhia do seu pet. A cidade de Socorro está se tornando um destino bastante amigável para eles. A gente já tinha ido há três anos e, voltando agora, notamos uma grande diferença”, explica.

Em parceria com as hospedagens, há empresas que oferecem atividades para se fazer com o pet, como passeios em trilhas, cachoeiras, rafting, o que não faltam são opções para se aventurar com o seu bichinho. Parques, shoppings e pontos turísticos também se adaptaram a essas necessidades.

Outra cidade que recebeu destaque foi Campos do Jordão, que também vem evoluindo bastante nessa questão. “Ficamos em um hotel maravilhoso, com piscina para pet e piscina de bolinhas. Eles já ganharam até prêmios de melhor trilha com cachorro. A parte do café da manhã e das refeições no geral, também é tudo adaptado para os cãezinhos, você nota um carinho”.

Hotéis oferecem todo um lazer para os peludos
Reproduão/Instagram

Hotéis oferecem todo um lazer para os peludos

Cuidado para não se enganar

O crescimento do mercado pet também obriga empresas aéreas, hotéis e turismo a se adaptarem, contudo nem sempre o conforto e bem estar dos tutores e dos animais é a pauta principal. Por este motivo é importante estar atento para não ser enganado com falsas promessas.

“Não é só a parte de hotelaria, mas o comércio em geral quer se tornar pet friendly, mas, para atender a esse público, ele precisa primeiro entender o que é o conceito. Qual é o perfil da pessoa que faz questão de levar o seu bichinho para uma viagem? O que que ela espera por isso?”, questiona Patrícia que criou a página no Instagram e o site para dar dicas e uma lista com avaliações de hotéis, para que as pessoas não caiam em armadilhas.

O site foi criado para incentivar novas descobertas, incentivar esse turismo, conectar pessoas que gostam de ter a companhia dos pets nas viagens, em tudo. No início, em 2016, Patrícia lembra que era muito difícil encontrar hotéis que aceitavam animais de estimação.

“Quando aceitavam, era apenas um. Hoje isso já melhorou muito. É normal aceitarem dois animais por hóspede e oferecem muitas opções”. Ela ainda alerta que, ver o potencial do mercado, também gerou o que chama de “pet friendly fake”. Há uma  lista  avaliando o ” nível petfriendly ” de cada local por onde passam em suas viagens. 

“É aquele hotel que diz que é, porém possue uma série de regras e exigências que, se a pessoa não estiver preparada e não pergunta sobre esse regulamento, não se aprofundar nos detalhes, ela cai na cilada!”, conta a influencer.

A influencer explica também que muitos hotéis cobram taxas absurdas e não oferecem nada em troca. Já outro, por sua vez, cobram taxas razoáveis, mas tem um mimo e uma recepção mais calorosa para os nossos amigos de quatro patas.

“Eles colocam a opção de mesas, para o café da manhã, em que você pode estar na companhia do pet. Eles podem cobrar um pouco a mais, mas vale super a pena!”, completa ela lembrando que o preço do serviço deve corresponder ao que oferecem.

Há hotéis que não cobram taxas adicionais pela presença do animal, mas é importante consultar antes.

Os animais tem locais reservados para suas refeições, dando tranquilidade aos tutores
Reprodução/Instagram

Os animais tem locais reservados para suas refeições, dando tranquilidade aos tutores

O que precisa melhorar?

Mesmo com uma aceitação maior de pets em hotéis e empresas, ainda há o problema de portes, a maioria das empresas aceitam apenas raças de pequeno a médio porte, deixando os tutores de cães maiores com menos opções.

“Para quem acompanha de perto, desde 2016, já evoluiu bastante. As companhias aéreas estão mais preocupadas com isso também, tentando melhorar esse serviço no geral. Nas rodovias, hoje você para em uma dessas grandes redes, quase todas já têm o espaço pet para quem está viajando com o seu cachorro poder parar. Ter onde ficar, de fato, não ter que comer no carro, ou em pé”, pontua.

Ela também destaca o caso de hotéis que se mostram amigáveis no site, mas ao chegar no local, se depara com todo um regulamento: o cachorro só pode andar no colo, não pode ficar sozinho no quarto e não é oferecido uma condição para você fazer as refeições na companhia do pet e não pode deixar o animal no quarto, só em um canil, que é oferecido.

“A pessoa que faz questão de levar o bichinho, quer estar com ele o tempo todo, aproveitar a experiência e não deixar em um canil. Você quer que ele se divirta. Tem que ser prazeroso para eles também, como parte da família. Aí você chega no hotel que não te dá condições e ainda cobram uma taxa absurda. Você precisa levar tudo, o potinho da comida, a caminha, então é complicado e você só esquenta a cabeça.”

Fonte: IG Turismo

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana