BRASIL E MUNDO

Tiroteio em festa de aniversário de criança deixa nove jovens feridos nos EUA

Publicados

em


source
Cerca de 60 pessoas participavam na festa de aniversário
Reprodução/AP

Cerca de 60 pessoas participavam na festa de aniversário

Um tiroteio em uma festa de aniversário de criança em Louisiana, nos Estados Unidos , deixou nove jovens feridos no último sábado (17). De acordo com as investigações, os tiros começaram após uma discussão entre dois grupos de adolescentes. Os responsáveis ainda não foram presos. As informações são do portal Daily Mail .

Segundo a publicação, a violência começou por volta das 20h30 em uma casa no subúrbio de Nova Orleans, onde cerca de 60 jovens se reuniram para comemorar o aniversário de uma criança de 12 anos. O xerife Mike Tregre disse que dois grupos de adolescentes, que tinham uma rixa em andamento, se encontraram na casa e inciaram uma discussão, disparando vários  tiros com mais de uma arma .

Nove jovens foram feridos e, desses, sete foram levados a um hospital local e já tiveram alta. Dois ainda estão internados, mas seguem estáveis. Entre as vítimas estão um menino de 17 anos  baleado no braço, um jovem de 16 anos pastou nas costelas; um menino de 15 anos com um ferimento no tornozelo; um garoto de 15 anos com um tiro no pé; um garoto de 14 anos com um tiro na perna; um garoto de 13 anos com um tiro na perna; e um menino de 12 anos baleado nas duas pernas. O menino de 16 anos que levou um tiro no estômago e o de 14 anos que foi ferido na cabeça permanecem internados.

O xerife afirmou que a investigação do caso é “frustrante”, já que eles receberam algumas dicas, mas ninguém fez uma declaração formal até o momento. “Não temos uma testemunha, nenhuma pessoa que tenha visto nada ainda. Então, estamos tentando resolver por conta própria agora”, disse Tregre ao  The Times-Picayune . “Nós não vamos parar. Vamos continuar assim. Alguém tem que se apresentar. Isso não pode ser assim”, continuou.

Devido à dificuldade na investigação do caso, uma recompensa de $2.500,00 (cerca de R$ 13.865,25) está sendo oferecida para quem fornecer informações sobre os responsáveis.

Fonte: IG Mundo

Comentários Facebook
Propaganda

BRASIL E MUNDO

Juíza aceita denúncia e torna Jairinho e Monique réus pela morte de Henry

Publicados

em


source
Jairinho e Monique foram denunciados pela morte no menino Henry Borel
Reprodução

Jairinho e Monique foram denunciados pela morte no menino Henry Borel

O vereador Jairinho e sua namorada, Monique Medeiros , se tornaram réus nesta sexta-feira (7) pela morte do menino Henry Borel , de 4 anos, e tiveram suas prisões temporárias convertidas em preventivas. A decisão foi tomada após a juíza Elizabeth Machado Louro, da 2ª Vara Criminal da Capital, aceitar denúncia contra o casal. A informação é do jornal Folha de S.Paulo .

A mãe e padrasto de Henry cumpriam prisão temporária desde 8 de abril, quando foram presos em endereço distinto de onde moravam. Agora na condição de réus, os dois têm prazo de dez dias para se manifestar.

No entendimento da magistrada, os dois estarem em endereços diferentes no momento da detenção pesou para a conversão da prisão deles de temporária para preventiva. A juíza também levou em consideração a ameaça de coação de testemunhas, já que a babá de Henry e a empegada doméstica tiveram que prestar um segundo depoimento à polícia.

“Para além da revolta generalizada que os apontados agentes atraíram contra si antes mesmo de serem denunciados pelo órgão com atribuição para tal, releva assinalar que o modus operandi das condutas incriminadas reforça o risco a que estará exposta a ordem pública, bem como a paz social, se soltos estiverem os ora acusados”, escreveu Elizabeth.

Você viu?

“As circunstâncias do fato, pois, estão a reclamar a pronta resposta do Estado com a adoção da medida extrema provisória, até como forma de aplacar a nefasta sensação de impunidade”, completou a magistrada.

Ainda segundo a juíza, o caso exige “a adoção da medida extrema de cautela” e “qualquer das medidas substitutivas, mais brandas” não “suficientes”.

A decisão foi tomada um dia depois de o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro denunciar Dr. Jairinho e Monique Medeiros pelo homicídio triplamente qualificado de Henry, no dia 8 de março. Ambos também foram denunciados pelos crimes de tortura, fraude processual e coação de testemunhas.

Monique ainda responderá por crime de falsidade ideológica pelo fato de, em 13 de fevereiro, ter prestado declaração falsa no Hospital Real D’Or, em Bangu, sobre as causas de um ferimento do filho.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana