AGRO & NEGÓCIO

Terceiro encontro virtual do Leite Seguro está remarcado para o dia 6

Publicado


No próximo dia 6 de novembro a Embrapa e instituições parceiras do programa Leite Seguro realizam a terceira live de apresentação do trabalho. O encontro virtual vai apresentar o Laboratório de Qualidade do Leite da Embrapa (LABLEITE), as Instruções Normativas 76 e 77 e os trabalhos de pesquisa de Resíduos e Contaminantes. No último evento, em 21 de outubro, por problemas técnicos inerentes à Empresa, o encontro virtual foi transferido.

Serão realizadas cinco lives ao todo do Programa, sendo que esta terceira irá centrar-se num sistema de monitoramento de resíduos e contaminantes, com possibilidade de incorporar o Monitoramento Espacial-Temporal de Qualidade do Leite (SIMQL) e também de desenvolver um Sistema de Gerenciamento e Alerta de Crises e Emergências em Lácteos (SIGALAC), para informação e proteção do consumidor em caso de eventos adversos na cadeia produtiva, a exemplo das fraudes que ocorreram há poucos anos no RS.

Os encontros virtuais
A primeira live foi de apresentação do Programa e a segunda sobre Boas Práticas Agropecuárias e o uso da ferramenta Protambo. Após esta terceira, estão marcadas outras duas, uma no dia 20 de novembro que abordará sobre as Tecnologias da Embrapa para a atividade leiteira e a última, no dia 11 de dezembro,  sobre Benefícios do Consumo de Leite.

O projeto Programa Leite Seguro é um projeto em parceria da Embrapa Clima Temperado e o Laboratório Federal de Defesa Agropecuária – LFDA/RS, com a perspectiva de gerar e transferir tecnologias para aumentar a segurança, a qualidade e a integridade do leite e seus derivados nos estados do RS, SC e PR.

Serviço:Terceira Live do Programa Leite Seguro

Data: 6 de novembro
Horário: às 14h
Local: 
 https://bit.ly/34zlWdH

Fonte: Embrapa

Comentários Facebook
publicidade

AGRO & NEGÓCIO

MERCADO DE TRABALHO/CEPEA: Por ora, número de ocupados na agropecuária frente à covid-19 se normaliza

Publicado


Clique aqui e baixe o release completo em word.

Clique aqui e confira o relatório completo.

 

Cepea, 30/11/2020 – Pelo menos por ora, o impacto da covid-19 sobre o número de pessoas ocupadas na agropecuária passou. Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, do IBGE, mostram que, no trimestre móvel encerrado em setembro (julho-agosto-setembro), 8,280 milhões de pessoas estavam ocupadas na agropecuária, sendo apenas 0,3% (ou 28 mil pessoas) abaixo do esperado para esse período, conforme modelo criado pelo Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP.

 

Segundo pesquisadores do Cepea, a tendência de redução do número observada desde o trimestre móvel encerrado em março já havia sido interrompida em julho e, desde a incorporação de informações de agosto, tem sido observada tendência de leve recuperação.

 

Assim, a queda no número de ocupados no trimestre móvel encerrado em setembro frente ao mesmo período de 2019 diminuiu de intensidade, sendo de apenas 2,7%. Vale lembrar que a taxa de queda chegou a ser de significativos 7,8%, observada na comparação entre abril-maio-junho de 2019 e de 2020.

 

COVID-19 – Em relatórios anteriores, as análises do Cepea indicaram que as quedas da população ocupada na agropecuária relacionadas à pandemia surgiram já em março, se acentuaram ao longo dos meses, chegando a seu ápice no trimestre móvel encerrado em maio, e se estabilizaram no trimestre encerrado em junho. Em julho, foi registrada a primeira e ainda leve melhora na situação, ao passo que no último relatório, que focava o trimestre encerrado em agosto, o modelo do Cepea apontou que o número de ocupados na agropecuária pôde ser considerado dentro da normalidade – indicando que o impacto da covid-19 poderia estar se dissipando.

 

ASSESSORIA DE IMPRENSA: Outras informações sobre o mercado de trabalho do agronegócio aqui e por meio da Comunicação Cepea, com o prof. Geraldo Barros e com a pesquisadora Nicole Rennó: [email protected]

Fonte: CEPEA

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana