COVID-19

Taxa de ocupação das UTIs está em 97,1%; Mato Grosso registra 21.081 casos de coronavírus

Dos 21.081 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 10.996 estão em isolamento domiciliar e 8.534 estão recuperados. Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 233 internações em UTI, 337 em enfermaria e 821 óbitos. A taxa de ocupação está em 97,1% para UTIs e em 49,5% para enfermarias.

Publicado

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde deste domingo (05.07), 21.081 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 821 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado. 

As 35 mortes mais recentes envolveram residentes de Várzea Grande, Cuiabá, Rondonópolis, Lucas do Rio Verde, Sorriso, Barra do Garças, Pontes e Lacerda, Confresa, Santa Terezinha, Vila Rica e General Carneiro

Dentre os 20 municípios com maior número de casos de Covid-19 estão Cuiabá (4.949), Várzea Grande (1.597), Rondonópolis (1.480), Sorriso (946), Lucas do Rio Verde (909),  Tangará da Serra (816), Primavera do Leste (803), Sinop (570), Nova Mutum (534), Pontes e Lacerda (476), Campo Verde (400), Cáceres (363), Confresa (330), Barra do Garças (270), Campo Novo do Parecis (267), Sapezal (253), Colíder (252), Querência (239), Matupá (223) e Peixoto de Azevedo (208).  Veja AQUI o boletim completo

Nas últimas 24 horas, surgiram 753 novas confirmações no Estado. A área técnica ainda esclareceu que foram corrigidas cinco ocorrências de duplicidade no sistema. Além disso, um caso anteriormente notificado em Confresa foi reposicionado para Canabrava do Norte, município de residência do paciente.

Dos 21.081 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 10.996 estão em isolamento domiciliar e 8.534 estão recuperados. Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 233 internações em UTI e 337 em enfermaria. Isto é, a taxa de ocupação está em 97,1% para UTIs e em 49,5% para enfermarias.

Considerando o número total de casos em Mato Grosso, 51,1% dos diagnosticados são do sexo feminino e 48,9% masculino; além disso, 5.644 pacientes têm faixa-etária entre 31 a 40 anos. O documento ainda aponta que um total de 23.553 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 1.542 amostras em análise laboratorial.

Os pacientes são devidamente acompanhados pelas equipes de Vigilância Epidemiológica do Estado e dos municípios. Mais informações estão detalhadas na Nota Informativa divulgada diariamente pela SES disponível neste link, a partir das 17h.

Cenário nacional

Neste domingo (05), o Governo Federal confirmou 1.603.055 casos da Covid-19 no Brasil e 64.867 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 64.265 óbitos e 1.577.004 casos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus. 

Recomendações

Atualmente, não existe vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus. A melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca do novo coronavírus. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes. Ficar em casa quando estiver doente;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Comentários Facebook
publicidade

Saúde

Ministério da Saúde atualiza informações sobre covid-19

Publicado


.

O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo Medeiros; o diretor do Departamento de Análise em Saúde e Vigilância de Doenças Não Transmissíveis, Eduardo Macário; a diretora substituta do Departamento de Articulação Estratégica de Vigilância em Saúde, Greice Madeleine do Carmo; participaram de entrevista online nesta quarta (5) e atualizam informações sobre o cenário epidemiológico da covid-19. 

Veja na íntegra

De acordo o boletim divulgado pelo ministério ontem (4), desde o início da pandemia, 2.801.921 de brasileiros contraíram o novo coronavírus, 1.970.767 pessoas se recuperaram, 95.819 morreram e 735.335 pacientes estão em acompanhamento. 

Secretário adianta pontos da estratégia de vacinação para covid-19

O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo Correia, adiantou nesta quarta-feira (5) a preparação está sendo feita para a estratégia nacional de imunização de brasileiros quando a vacina contra a covid-19 estiver disponível no país. O assunto foi discutido na Comissão Externa da Câmara dos Deputados destinada a acompanhar o enfrentamento à pandemia.

Segundo Correia, está sendo feito o mesmo cálculo usado para a vacina contra influenza, cerca de 100 milhões de doses no país. O secretário disse que, tendo em vista as taxas de letalidade desse grupo, idosos e pessoas com comorbidades, como cardiopatia e obesidade, estarão entre os primeiros a receber a vacina. Também estarão no grupo prioritário os profissionais de saúde.

Mais cinco centros no Brasil iniciam testes com vacina chinesa

Mais cinco centros de pesquisa do país vão dar início ainda esta semana a testes com a vacina chinesa CoronaVac, da farmacêutica Sinovac, desenvolvida em parceria com o Instituto Butantan.

Os testes com a CoronaVac serão realizados em nove mil voluntários. Apenas profissionais da saúde que ainda não tiveram a doença e que atuam com pacientes com a covid-19 poderão participar dos testes. Para atender aos critérios, esses profissionais da saúde não poderão ter outras doenças e nem estarem em fase de testes para outras vacinas. As voluntárias mulheres também não poderão estar grávidas.

Universidade de Brasília e HUB iniciam teste de vacina contra covid-19

Começa a ser testada hoje (5) pela Universidade de Brasília (UnB) e pelo Hospital Universitário de Brasília (HUB) a vacina contra o novo coronavírus (covid-19), desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac Biotech. 

Os primeiros que vão participar do estudo-teste são cinco profissionais da saúde que atuam no atendimento de infectados, mas não tiveram ainda a doença.

A vacina que eles receberão é inativada e será aplicada em duas doses, com intervalo de 14 dias. De acordo com a UnB e o HUB, os resultados apresentados na Fase 2 de desenvolvimento “foram considerados promissores e demonstraram a produção de anticorpos neutralizantes em 90% dos participantes que receberam a imunização”.

O HUB é um dos 12 centros no Brasil que participam da Fase 3 do ensaio clínico nacional, coordenado pelo Instituto Butantan, de São Paulo, e autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Edição: Liliane Farias

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana