esportes

Surfe: brasileiro fatura título de duplas em piscina com ondas

Publicado


.

Logo na primeira competição de surfe após meses de paralisação e cancelamento do Circuito Mundial de 2020 – por conta da pandemia do novo coronavírus (covid-19) – teve final e pódio brasileiros na Califórnia (Estados Unidos), neste domingo (9). Quem se deu muito bem foi o paulista de Ubatuba (SP) Filipe Toledo que venceu, em parceria com a havaiana Coco Ho, o Desafio de Ondas Artificiais, evento de caridade promovido pelo multicampeão Kelly Slater, na piscina idealizada pelo norte-americano na cidade de Lemoore. A dupla de Filipinho superou o duo da compatriota Tatiana Weston-Webb com o japonês Kanoa Igarashi. 

A decisão do título teve direito a show do paulista que executou dois aéreos de direita,conseguindo nota final de 9,67, que somada à nota 6,57 de Coco, resultou em 16,24.. Já dupla adversária obteve apenas 14,63.  

“Minha última chance, minha última onda, e consegui”, comemorou Toledo ao final da prova, em entrevista ao site da Word Surf League (WSL). E completou: “E tenho que agradecer a Coco, ela foi incrível!”.  A dupla doou o valor da premiação – U$ 10 mil, aproximadamente R$ 50 mil – à Surfrider Foundation, uma Organização Não Governamental (ONG), voltada à proteção do meio ambiente.

Animado com o resultado, Filipinho comentou no Instagram o retorno às competições.

 
 
 

 
 
 
 
 

 
 

 
 
 

O Brasil continua dominando o surf mundial. No retorno das disputas da World Surf League (WSL) após a quarentena do coronavírus, Filipe Toledo foi o dono da festa neste domingo (9) no ‘Michelob Ultra Pure Gold Rumble at the Ranch’, o evento especial na piscina de ondas criada pelo ícone Kelly Slater. Ele fez dupla com a havaiana Coco Ho e na final superando a dupla que teve outra brasileira, Tatiana Weston-Webb, que também fez bonito na competição com a maior nota feminina, junto com o japonês Kanoa Igarashi. O outro brasileiro na disputa, Adriano de Souza ficou em terceiro lugar com a americana Caroline Marks, sendo superado pela dupla Tati e Kanoa. No sábado, no “aquecimento” para o evento principal, Filipe já havia comemorado o primeiro lugar individual em duplas garantiu a vitória com a maior nota, um 9,67, para somarem 16,24 (com o 6,57 da havaiana) contra 14,63 de Tati e Kanoa. Entrevista de Filipe logo após a vitória. Agradecimentos a Ananda Marçal pelo apoio. PARABÉNS FILIPE, TATI E ADRIANO. #brazilianstorm #brasilcampeao #filipecampeao #filipetoledo

Uma publicação compartilhada por FMA Notícias (@fmanoticias) em 9 de Ago, 2020 às 4:50 PDT

 

A disputa contou ainda com a participação do campeão mundial (2015) Adriano de Souza, o Mineirinho, em parceria com a norte-americana Caroline Marks, mas o duo foi eliminado na semifinal pelo duo Weston-Webb e Igarashi. O evento reuniu 16 surfistas, divididos em oito duplas mistas. 

Edição: Cláudia Soares Rodrigues

Comentários Facebook
publicidade

esportes

Em jogo de muitos gols, São Paulo perde para o Lanús na Argentina

Publicado


O Estádio La Fortaleza, em Buenos Aires, foi palco da estreia do São Paulo e do Lanús na segunda etapa da Copa Sul-Americana desta temporada. Os brasileiros, campeões do torneio em 2012, foram a campo para iniciar a caminhada em busca do bicampeonato. Já os argentinos, campeões em 2013, também jogaram para seguir adiante e tentar a segunda taça.

Mesmo sem fazer uma partida oficial desde março, Lanús apertou bastante a saída de bola do São Paulo no início da partida. Chegou, inclusive, a criar oportunidades para abrir o placar. Mas quem balançou as redes foi o São Paulo. Aos 12 minutos, Tchê Tchê fez bela jogada. Abriu para Luciano que só ajeitou para o centroavante Brenner. Sozinho, o garoto, de 20 anos, abriu o placar. Foi o décimo segundo gol do atacante formado nas categorias de base do clube. Depois do gol, o cenário seguiu basicamente o mesmo do início do jogo. A pressão era do Lanús e o São Paulo apresentava dificuldades na saída de bola.

Aos 21 minutos, Di Placido cruzou e De La Vega cabeceou com muito perigo. Quase o empate. Aos 28, a zaga brasileira quase vazou novamente em outra bola aérea. Diego Costa quase faz contra. Depois da bola bater na trave, Tiago Volpi salvou o Tricolor. Aos 29, a forte pressão argentina seguiu com uma conclusão forte de De La Vega que bateu na rede, mas pelo lado de fora. O São Paulo só foi finalizar novamente aos 43 minutos. Luciano chutou e Morales defendeu sem maiores problemas.

Na etapa final, o São Paulo tentou fugir da pressão dos donos da casa e até que conseguiu nos primeiros minutos. Teve uma chance logo no primeiro minuto de jogo com o meia Igor Gomes, que foi travado de frente para o gol. Logo depois, aos três minutos, Brenner chutou de longe e carimbou a trave. Só que aos sete, os brasileiros foram castigados com o gol de empate. Di Placido foi no fundo e cruzou. Depois do desvio do Daniel Alves, a bola sobrou para o centroavante Sand empurrar para o gol. Aos 40 anos, o avante ampliou a liderança na artilharia histórica da equipe argentina. Agora tem 128 gols.

A equipe brasileira pareceu não se abater. Quase foi à frente novamente aos 11. Daniel Alves bateu uma falta inicialmente na barreira. Só que, no rebote, ele deu um chutaço de esquerda direto no travessão. Aos 28, Luciano conseguiu um bom cruzamento. Igor Gomes ganhou da zaga pelo alto e defesa local afastou o perigo no meio da área. Aos 38, o São Paulo chegou a marcar. Mais uma vez o garoto Brenner. Dessa vez, ele completou cruzamento de Reinaldo e balançou a rede. Mas a arbitragem anulou o lance que é extremamente duvidoso.

Aí veio o castigo. Em sete minutos saíram três gols, dois do Lanús e um do São Paulo. No primeiro dos argentinos, Daniel Alves errou no início do lance. Reinaldo, mal posicionado, não afastou. A bola chega na área do Tricolor até Orsini. Ele ajeitou para o veterano Sand. O centroavante dominou, girou e fuzilou. Virada: 2 a 1. Na noite que foi as redes duas vezes, o atacante chegou aos 129 gols pelo Lanús.

Só que quando a derrota parecida consolidada, o São Paulo teve forças para marcar mais um. Se o Lanús tem Sand, o Tricolor tem Brenner. Aos 41 minutos, Vitor Bueno lançou Luciano que ajeitou para a revelação brasileira empatar a partida. Segundo do São Paulo e segundo do Brenner. 2 a 2 na Argentina. Mas aos 45, o Lanús fechou o placar naquele que vem sendo o calcanhar de aquiles do São Paulo nessa temporada: a bola aérea. Em cruzamento de bola parada, Diego Costa não acompanhou o volante Quignón. De cabeça, o argentino superou Tiago Volpi e fechou o placar: 3 a 2 para os argentinos.

O jogo de volta está previsto para a próxima quarta-feira (4), no Morumbi, às 19h15. Já que o gol marcado fora de casa é critério de desempate na Sul-americana, o São Paulo se classifica às oitavas de final vencendo por 1 a 0 e 2 a 1. Uma vitória por 3 a 2 do Tricolor, leva a decisão aos pênaltis.

Edição: Liliane Farias

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana