Saúde

SP: Ricardo Nunes sanciona lei que define prática da telemedicina na capital

Publicados

em


source
Prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes
Foto: Reprodução/Prefeitura de SP

Prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes

Nesta terça-feira (23), o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB) , sancionou a lei municipal que define a prática da telemedicina de forma permanente na capital paulista.

A regulamentação dos procedimentos mínimos ficará a cargo da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), de acordo com as normas do Conselho Federal de Medicina (CFM), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Ministério da Saúde.

Os padrões de qualidade do atendimento nas especialidades médicas seguirão as diretrizes de boas práticas estabelecidas pelas sociedades de especialidades reconhecidas pela Associação Médica Brasileira ou pelo próprio Ministério da Saúde.

Segundo o texto aprovado, o método de atendimento só poderá ser realizado após a autorização do paciente ou do responsável legal.

Leia Também

A fim de esclarecer as dúvidas da população sobre a telemedicina na rede municipal de saúde, o município deve promover campanhas informativas.

Plataforma paulistana

O aplicativo e-saúdeSP é a plataforma de integração de dados clínicos e telemedicina que reúne todo o histórico do paciente do Sistema Único de Saúde (SUS) na capital paulista. 

Desde a sua implantação, em junho de 2020, já ultrapassou a marca de 4,5 milhões de acessos, 1,1 milhão de usuários, além de mais de 1 milhão de downloads. Até o momento, a plataforma já permitiu a realização de 444.953 teleatendimentos, telemonitoramentos e teleconsultas.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Propaganda

Saúde

Covid: visitas a internados são suspensas em hospitais do Rio

Publicados

em


source
Hospital Estadual Alberto Torres (HEAT), em São Gonçalo, é uma das unidades estaduais da rede
Reprodução

Hospital Estadual Alberto Torres (HEAT), em São Gonçalo, é uma das unidades estaduais da rede

A Secretaria Estadual de Saúde anunciou nesta terça-feira (18/1) a suspensão temporária das visitas aos pacientes internados na rede estadual. A decisão foi motivada pelo avanço da variante Ômicron, com o objetivo de tentar combater a disseminação do vírus nos hospitais. A pasta não deu prazo para o fim da proibição, mas afirmou que os acompanhantes foram avisados com antecedência.

A suspensão das visitas não atinge os pacientes de extrema gravidade ou vulnerabilidade, como aqueles internados com incapacidade psicológica, motora, ou intelectual. Nesses casos, após autorização da gestão da unidade de saúde, as visitas estarão autorizadas duas vezes por semana. Crianças, idosos e deficientes físicos, que por lei têm direito a acompanhantes, também continuarão com o benefício. No momento da entrada na unidade de saúde, os visitantes deverão assinar um termo dizendo que estão assintomáticos.

Nos casos em que as visitas não serão permitidas, uma espécie de ‘visita virtual’, através de chamada de vídeo, será liberada duas vezes por semana.

Na semana passada, as redes de saúde do estado e do município suspenderam por 30 dias a realização de cirurgias eletivas.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana