AGRO & NEGÓCIO

Soja Legal é lançado pela Aprosoja MT

Publicados

em


Sustentabilidade

Soja Legal é lançado pela Aprosoja MT

O programa vai fomentar a melhoria continua da propriedade rural, com a integração dos aspectos ambientais e socioeconômicos

22/06/2021

“Um novo conceito de sustentabilidade para o Brasil e para o mundo”, foi com esse olhar que o presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja MT), Fernando Cadore, lançou o Programa Soja Legal, na noite desta terça-feira (22.06), em Brasília. A cerimônia contou com a presença de ministros, parlamentares e chefes de poderes.

No discurso, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Tereza Cristina, afirmou que “Aprosoja MT mais uma vez sai na frente com o lançamento do Soja Legal. É um passo para se chegar na certificação, mostrando para o mundo que a soja brasileira é sustentável”.

Já o ministro Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas reforçou que o Governo Federal vai trabalhar para que o setor produtivo de grãos se desenvolva cada vez mais. “Iniciamos tratativas com bancos para linhas de crédito para armazenagem menos burocráticas e financiamentos mais simples para os nossos produtores”, declarou.

“Esse lançamento é um passo para reverter a falsa narrativa que foi instituída em relação ao agro. Os produtores brasileiros são exemplos de sustentabilidade. Mato Grosso representa uma potência para o país e o mundo”, disse o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

O presidente Aprosoja Brasil, Antonio Galvan, que acompanhou desde o início a criação do programa enfatizou que é um marco para a agricultura brasileira. “O Soja Legal nasceu em Mato Grosso e vai disseminar pelo Brasil. Afinal, dos 66% de vegetação nativa protegida e preservada dentro do território brasileiro, 26% estão em propriedades rurais”, ressaltou Galvan.

Atuação do Programa

O Soja Legal está à disposição dos mais de 7.400 produtores associados da Aprosoja MT. A equipe de campo da entidade fará implantação nas propriedades, com aplicação de questionários, orientações de adequações e formação contínuas com cursos presenciais e online.

As ações incorporam os critérios essenciais de conformidade com oito diretrizes: qualidade de vida no campo e no trabalho, gestão consciente da água, gerenciamento de resíduos, melhores práticas agrícolas, viabilidade econômica, qualidade do produto, relacionamento com o entorno e a governança.

“O Soja Legal nasceu para legitimar a nossa sustentabilidade, para mostrar a realidade que temos no campo, a preservação, as melhorias continuas nas partes trabalhistas e tudo que envolve a porteira para dentro”, destacou Cadore.

Fonte: Marcella Lírio

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

Comentários Facebook
Propaganda

AGRO & NEGÓCIO

Mercado para frutas da Amazônia é apresentado por pesquisadora da Embrapa Amapá na pré-cúpula dos Sistemas Alimentares

Publicados

em


A Embrapa Amapá participa de evento internacional preparatório à Cúpula dos Sistemas Alimentares, que será realizada em setembro deste ano durante a semana de Alto Nível da Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque (EUA). A pesquisadora engenheira florestal Ana Euler vai palestrar, nesta terça-feira,27/7, às 14h30 (horário de Brasília), sobre o tema “Produtos alimentares da floresta que oferecem oportunidades de mercado e meios de subsistência”. Link de acesso:  https://www.cifor-icraf.org/event/pre-summit-of-the-un-food-systems-summit/4897/tomorrows-food-systems-need-forests-and-trees.  Não haverá tradução para português.   

Este evento pré-cúpula é realizado em videoconferência, organizado pelo Centro Internacional de Investigação Florestal (Cifor) e Faculdade de Silvicultura da Universidade de Columbia. A programação completa é composta dos seguintes painéis: “Florestas e árvores transformando sistemas alimentares” (Terry Sunderland – Universidade Columbia Britânica); “Os papéis das florestas e das árvores nos sistemas alimentares indígenas e tradicionais” (Phrang Roy – Parceria Indígena para a Agrobiodiversidade e Soberania Alimentar); “Produtos de árvores alimentícias que fornecem oportunidades de mercado e meios de subsistência” (Ana Euler – Embrapa Amapá); e “Restaurando terras degradadas com árvores de alimentos para nutrição” (Alain Touta Traoré – ong belga Solidagro em Burkina Faso).  

Ana Euler, única participante da América Latina neste evento, vai enfatizar produtos alimentares da região amazônica, como açaí, bacaba, tucumã, guaraná, pupunha, uxi, entre outros que fazem parte dos portóflios de pesquisas e transferência de tecnologias das unidades da Embrapa na região, sendo uma das iniciativas o projeto Manejo Florestal e Extrativismo (MFE), financiado pelo Fundo Amazônia.

A pesquisadora também vai apresentar dados referentes à dinâmica produtiva das populações locais, com destaque para o açaí, a qual está diretamente associada à diversidade sociocultural. “Contamos com um milhão de hectares de florestas nativas sob uso na região amazônica, onde cerca de 200 mil famílias são agroextrativistas e produzem em torno de 1,5 milhão de toneladas de frutos por safra anual. Deste total, 85% da produção são consumidos pela população da região, gerando uma estimativa de renda de 900 milhões de dólares para produtores e mercado local. Os demais 15% da produção de frutos são comercializados nas demais regiões do Brasil e em alguns países”, detalhou Ana Euler.

SERVIÇO:

Videoconferência: Pré-Cúpula da Cúpula de Sistemas Alimentares da ONU

Data: 27/7 (terça-feira)

Horário (Brasília): 14h30

Link de acesso: https://www.cifor-icraf.org/event/pre-summit-of-the-un-food-systems-summit/4897/tomorrows-food-systems-need-forests-and-trees. Não haverá tradução para português.

Fonte: Embrapa

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana