mato grosso

Sistema Penitenciário de MT adere ao Programa Nacional de Controle da Tuberculose

Publicado


Mato Grosso foi um dos estados que aderiu ao Programa Nacional de Controle da Tuberculose, do Ministério da Saúde. A Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), por meio da adjunta de Administração Penitenciária (SAAP), firmou termo de cooperação junto ao Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para desenvolver ações preventivas no combate às doenças nas unidades penais.

A campanha Prisões Livres de Tuberculose traz conteúdo informativo, voltado para Pessoas Privadas de Liberdade (PPL) e servidores, sobre educação em saúde, comunicação e fluxo da atenção em saúde, com objetivo de reduzir os casos de tuberculose.

Em Mato Grosso, as primeiras unidades a receberem o material educativo foram o Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto May e Penitenciária Central do Estado (PCE). Na próxima semana, as outras 45 instituições prisionais do Estado vão receber o material.

“As ações de enfrentamento às doenças emergentes no Sistema Prisional são importantes para reduzir os agravos. A tuberculose sempre foi um problema de saúde pública no Brasil e, após esforços coletivos das equipes de saúde in loco com parceiros, verificamos que o número de casos está reduzindo em Mato Grosso”, explicou a coordenadora de Saúde do Sistema Penitenciário, Lenil da Costa Figueiredo.

Mesmo nesse cenário de pandemia do novo coronavírus, a Coordenadoria de Saúde tem atendido não só as demandas geradas pela Covid-19, como também das demais doenças.

“Nosso trabalho continua na prevenção à tuberculose, hanseníase e demais doenças, pois elas não deixaram de existir e as equipes de saúde estão atuantes na prevenção, assistência, recuperação e vigilância em saúde”, enfatizou.

Mato Grosso tem pouco mais de 11 mil homens e mulheres nas unidades penais e cerca de três mil servidores.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

mato grosso

Servidores da Sedec MT contam o porquê de escolherem a carreira

Publicado


O Dia do Servidor é comemorado nesta quarta-feira (28.10) e é um trabalho de grande importância para a sociedade. Alguns servidores da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec MT) contaram suas histórias no funcionalismo público em homenagem a todos os colegas, nesta data.

Quando criança, Flavia Assis (34 anos) sonhava em ser professora como a mãe. Por isso, não era muito difícil encontra-la reunida com seus colegas em frente ao quadro negro brincando de “escolinha”.  O desejo de ensinar e fazer a diferença, no entanto, acabou mudando os rumos no Ensino Médio, quando começou a fazer estágios em serviços públicos. “Acabei optando por isso porque é algo que gosto muito de fazer”, disse. 

A técnica administrativa já estagiou na Prefeitura de Cuiabá, no antigo Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet), que é atualmente Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT), e na Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp).

Flavia não se imagina fazendo outra coisa, apenas evoluir. “Eu penso em fazer um concurso para melhorar a questão financeira, mas eu sou feliz e realizada como servidora pública, eu gosto muito do que eu faço”, afirma.

Marcelo Silvestre (34 anos) estava em um dilema no ano de 2014: escolher entre continuar a carreira como psicólogo, onde estava em seu melhor momento, ou ser servidor público. Foi ao pensar no futuro que ele optou pelo serviço público.

“Tem muito da questão da estabilidade, porque o servidor não pensa em ficar pouco tempo e também tem a segurança, coisa que em rede privada não tem”, explica.

O que mais lhe surpreendeu foi a parte afetiva da secretaria. “O que me chamou atenção foram as pessoas da Sedec, aqui são muito próximas, há essa visão coletiva”, diz.

Para Marcelo, um dos momentos mais marcantes na carreira pública foi quando precisou passar por uma cirurgia importante.

“Graças ao emprego público que eu consegui ter esse tempo. Caso se eu estivesse em uma empresa privada, a gente sabe que as coisas seriam mais complicadas”, comenta.

Jackeline Peris Slavieiro (33 anos) ingressou na carreira pública muito nova, quando tinha apenas 20 anos. “Eu nunca tinha sido contratada, então foi algo muito novo. Em um primeiro momento comecei como servidora do Ensino Médio e, em 2010, fiz concurso de nível superior e fui aprovada”, conta.

A escolha foi incentivada, em um primeiro momento, por uma amiga do colégio. Mais adiante, foi o desejo de superar desafios que falou mais alto. “Minha amiga falar para tentar já que estava estudando para vestibular. Depois eu vi uma oportunidade de fazer a diferença”.

Para ela, como servidora é importante se sentir valorizada e adquirir conhecimento. “Muitas vezes, a gente não sabe o que outras áreas estão fazendo, mas aqui na secretaria temos esse acesso. Esse novo projeto do boletim interno, por exemplo, é fantástico para a gente conhecer o papel daqui, estimular laços e sentir valorizado como profissional”, menciona.

Para Samanda Cristina Souza de Moraes, uma das coisas que mais lhe chamou atenção no serviço público foi o ambiente tranquilo e confortável. “Quando eu entrei, pensei que era algo extremamente formal, só que não é assim. A gente tem muito trabalho, às vezes, não tem tempo para respirar, mas é tranquilo”, comenta.

A gerente de Gestão de Pessoas conta que o sonho de carreira começou no estágio da Justiça Federal quando adolescente. “No estágio eu fiz amizade com um monte de gente e quando eu via aquelas pessoas bem-sucedidas, pensava: ‘é isso que eu quero ser!’. Tanto que as pessoas lá me incentivaram a estudar, me ajudando com livros e cursinhos, para que um dia eu entrasse em um cargo público”, relembra.

Para os servidores, as lembranças do primeiro dia, do acolhimento, das amizades e do trabalho na Sedec vão ficar para sempre na memória.

               

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana