diamantino

Setasc levará informações sobre violência doméstica a mulheres de Diamantino esta semana

Publicados

em

Uma equipe do Ônibus Lilás, da Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc) estará de 9 à 12 de maio em Diamantino, oferecendo serviços de orientação, acolhimento e prevenção da violência contra a mulher. A ação será realizada em parceria com a Secretaria Municipal de Assistência Social.

O titular da pasta, secretário Gilson Silva informa que o atendimento será realizado das 9h às 16h, de acordo com o seguinte cronograma:

Dia 09 – Sede da Secretaria de Assistência Social

Dia 10 – Centro Olímpico de Novo Diamantino

Dia 11 – Caeté – Escola Castro Alves

Dia 12 – Bojuí – Centro Comunitário

Nos dias 11 e 12 o atendimento contará com a presença do Ônibus Lilás.

Os serviços prestados pelo Ônibus Lilás são: informações sobre direitos e serviços; orientações específicas sobre violência doméstica; atendimento psicossocial a ser realizado no interior do ônibus; entrega de materiais institucionais; e acolhimento de denúncias sobre violação de direitos humanos.

Comentários Facebook
Propaganda

diamantino

Laboratório Municipal de Diamantino recebe capacitação em diagnóstico laboratorial de tuberculose pelo Lacen-MT

Publicados

em

O Laboratório Municipal de Diamantino recebeu, no último dia 22 de junho, capacitação em diagnóstico laboratorial de Tuberculose, ofertada pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Estado de Mato Grosso (Lacen/MT).

O objetivo da ação é treinar e atualizar os profissionais envolvidos no diagnóstico da doença, que atualmente figura entre as infecções mais graves no Brasil capaz de levar à morte por ainda ser negligenciada.

A capacitação conduzida pela farmacêutica do Lacen-MT, Doracilde Terumi,  foi ofertada para todos os técnicos de enfermagem e demais profissionais da Rede Municipal de Saúde que atuam no laboratório.

O biomédico Dr. Emerson Alves de Sá, coordenador do Laboratório Municipal, ressaltou sobre a importância de manter a equipe atualizada no que tange às mudanças de um dos agravos que mais fecha diagnóstico. Segundo o profissional da saúde, Diamantino tem apresentado de 5 a 8 casos diagnosticados no mês.

“É uma qualificação muito importante para nossa equipe porque permite atualizar sobre o diagnóstico da tuberculose no preparo e confecção de lâmina, além da orientação que deve ser repassada ao paciente. As coisas vão mudando dentro da técnica, do método nos procedimentos e precisamos buscar essas atualizações”, explica.

Terume enfatizou que a capacitação tem como propósito “favorecer para que a população tenha acesso a esse exame e realizar o diagnóstico precoce da doença, por meio da investigação apropriada, a fim de fazer o tratamento adequado. Quem fecha o diagnóstico dos casos de tuberculose é o laboratório, daí a relevância de aprofundar sobre o estudo das microbactérias causadoras tanto de tuberculose como outras doenças respiratórias com sintomatologia semelhantes”, ressaltou.

A farmacêutica também fez um alerta sobre a incidência dos casos de tuberculose no Brasil e como a doença tem sido negligenciada, o que torna imprescindível a qualificação. Pontuou que, no Brasil, a tuberculose está entre as 10 doenças infecciosas que mais mata.

“É uma das doenças que acometem todas as classes sociais, e de todas as idades, ou seja, todas as pessoas são susceptíveis de contrair esse microorganismo via respiratória. É muito importante capacitar esses profissionais porque a tuberculose é uma doença milenar de saúde pública e que incide na população sistematicamente, principalmente no Brasil, é uma das doenças mais graves e que mais matam, em termos de causa infecciosa. A tuberculose ainda é uma doença negligenciada, infelizmente”, advertiu.  

Outro apontamento diz respeito à forma como os pacientes podem ter a saúde comprometida por não realizarem o tratamento correto por falta de informação.

“Hoje, mesmo o paciente tendo acesso ao SUS e medicação gratuita, ele ainda não consegue fazer esse diagnóstico a tempo, muitas vezes pela demora do diagnóstico ou porque ao perceber uma certa melhora ele para de tratar. Esse abandono aumenta a resistência da bactéria frente às drogas utilizadas e que são tradicionalmente perfeitamente experimentadas e que em um tempo curto de tratamento é bastante eficaz”, finalizou.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana