SUA SAÚDE AQUI

Sequela da Covid pode ser causa dos problemas de saúde da cantora Joelma: entenda e veja vídeo

Publicados

em

Por Edmundo Pacheco | Portal Mato Grosso

A cantora Joelma foi diagnosticada com um quadro de esofagite, gastrite e um edema (inchaço em algum ponto do corpo), que são, de acordo com os médicos, complicações possivelmente decorrentes da infecção pelo coronavírus. Joelma está internada no Hospital São Luiz, em São Paulo, desde segunda-feira (06.06) para a realização de exames após ter Covid-19 quatro vezes.

Cerca de 11 milhões de pessoas se recuperam da Covid-19, mas ficaram com alguma sequela, temporária ou permanente, em todo o mundo.
As mais comuns são:
Fadiga, cansaço, fraqueza, mal-estar
Falta de ar (ou dificuldade para respirar, respiração curta)
Fibrose nos pulmões e/ou rins
Perda de paladar e olfato (temporária ou duradoura)
Dores de cabeça
Dores e/ou fraqueza musculares
Dificuldades de linguagem, raciocínio/concentração e memória
Distúrbios do sono (insônia)
Depressão e ansiedade (que podem levar à gastrite, como no caso da cantora)
Dor no peito, palpitações, hipertensão e outros cardiovasculares
Tontura
Tromboses
Bexiga neurogênica (dificuldade de urinar de forma espontânea)
Queda de cabelo
Diarreia, dores abdominais, náusea, apetite reduzido}
Agravamento de doenças preexistentes

ENTENDA: Para você entender o problema da cantora, o SUA SAÚDE AQUI explica que a esofagite é uma inflamação do esôfago, que é o canal que liga a boca ao estômago, levando ao surgimento de alguns sintomas, como por exemplo azia, gosto amargo na boca e dor de garganta, por exemplo.

A inflamação do esôfago pode acontecer devido a infecções, gastrite e, principalmente, refluxo gástrico, que acontece quando o conteúdo ácido do estômago entra em contato com a mucosa do esôfago, provocando sua inflamação. Saiba mais sobre o refluxo gástrico.

Independente do tipo da esofagite, a doença deve ser tratada de acordo com a recomendação do médico, podendo ser indicado fazer uso de medicamentos que diminuem a acidez do estômago, por exemplo. A esofagite tem cura quando a pessoa segue as recomendações médicas e seguindo uma alimentação adequada.

Já a gastrite é uma inflamação da mucosa do intestino, que pode ser “aguda” – surgindo de repente -, ou “crônica” – que demora para ser tratada e evolui aos poucos. Ela também pode ser chamada de gastrite enantematosa – quando ocorre na parte final do estômago, podendo ser leve, quando a inflamação ainda está no início, não prejudicando muito o estômago, ou moderada ou severa quando provoca sintomas mais graves..

A gastrite geralmente causa dor e azia, além de uma forte sensação de queimação.

Existem diferentes tipos de gastrite. As mais comuns são a “nervosa”, que acontece geralmente após a pessoa passar por longos períodos de estresse e ansiedade, que aumentam a quantidade de produção de suco gástrico e podem acabar destruindo parte da mucosa do estômago, o que causa a gastrite; e a provocada por infecção da bactéria H.pylori, que também enfraquece a mucosa intestinal, causando os sintomas de gastrite.

Os sintomas são:

– dor abdominal, em especial, na região da “boca do estômago”;
– queimação;
– azia;
– náuseas e vômitos;
– perda do apetite;
– indigestão;
– presença de sangue no vômito;
– fezes escurecidas, ou seja, com sangue;
– sensação de que o estômago está cheio, mesmo sem ter comido nada.

COVID-19 – O caso de Joelma parece estar relacionada ao Covid-19, já que a cantora foi contaminada 4 vezes seguida. De acordo com recentes estudos desenvolvidos na China, 45% dos pacientes diagnosticados com Covid-19 apresentam problemas gastrointestinais como náusea, vômito, diarreia, dores abdominais e falta de apetite. Podendo evoluir para inflamação aguda do organismo provocada pela Covid-19 pode ser a causadora da falta de apetite, enquanto a náusea, vômito e diarreia ocorrem porque o vírus prefere atacar células que possuem um receptor de membrana chamado ECA2, que permite que o vírus entre nelas. E esse tipo de receptor está localizado em muitas células do trato digestivo (esôfago, estômago, intestino).

A Covid-19 é também uma doença que necessita do uso de um conjunto de medicamentos, e essa junção pode ocasionar sintomas gastrointestinais, já que as medicações podem agredir os órgãos do trato digestivo, causando, por exemplo, alterações na flora intestinal.

Para fazer a relação entre os sintomas gastrointestinais e a Covid-19, deve-se observar o estado geral de saúde e verificar se já havia um quadro gastrointestinal prévio ou se essa situação é nova e se houve algum possível fator desencadeante, como a ingestão de um alimento diferente.

NOTA:

A cantora publicou em suas redes sociais nesta quinta-feira (09.06) um comunicado sobre o resultado dos exames. A nota diz que ela apresenta uma melhora significativa do quadro de edema e que se recupera bem, com previsão de alta neste fim de semana. Veja:

 

 

Comentários Facebook
Propaganda

SUA SAÚDE AQUI

Conheça aqui as principais doenças cardíacas que afetam crianças

Publicados

em

Por Edmundo Pacheco | Portal Mato Grosso

Ao contrário do se que pensa, as doenças do coração não aparecem só em em adultos e idosos. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), pelo menos de 0,8% (nos países desenvolvidos) e 1,2% (cá em baixo nos países pobres) das crianças têm algum problema no coração.

 

HÁ UM  ANO AQUI

 

Pode parecer ser uma porcentagem pequena, mas quando você aplica esse percentual a uma população estimada em 210, 215 milhões de pessoas, temos, em números absolutos mais de 23 mil crianças (veja matéria de um ano atrás) que nascem com alguma doença cardíaca no Brasil anualmente.

Conheça algumas das doenças cardíacas infantis mais frequentes:

Comunicação Interventricular (CIV) – É um defeito na parte inferior do coração, onde se forma uma abertura na parede entre os ventrículos, câmaras que bombeiam o sangue. Quando a abertura é grande, o coração fica sobrecarregado. Em casos mais graves, a criança pode desenvolver sopro cardíaco, e o recém-nascido pode sofrer de falta de ar e interromper frequentemente as mamadas.

A partir dos sintomas, são realizados exames de radiografia de tórax, ecocardiograma e cateterismo para avaliar a necessidade de tratamento cirúrgico. Há situações em que a abertura é pequena e a cirurgia, desnecessária.

Sintomas

• Cansaço rapidamente
• Respiração acelerada
• Falta de ar (dispneia)
• Dificuldade para se alimentar

Coarctação de Aorta – O nome pode parecer complicado, mas o problema é de fácil entendimento: a coarctação é um estreitamento da aorta que dificulta o transporte do sangue para o organismo. O fluxo de sangue diminuído pode acarretar insuficiência cardíaca nos primeiros meses de vida. O médico diagnostica a coarctação de aorta avaliando alterações do pulso e diferença de pressão arterial nos membros inferiores e superiores. Geralmente, são requisitados os exames de angiotomografia, angioressonância e ecocardiograma.

Sintomas

• Dor de cabeça
• Dor torácica
• Fadiga
• Dores e fraqueza nas pernas (claudicação)

Tetralogia de Fallot – São quatro defeitos no coração que, em conjunto, impedem a oxigenação do sangue distribuído para o corpo: comunicação interventricular, desvio da aorta, obstrução do ventrículo direito e hipertrofia ventricular. A criança pode ter desmaios e apresentar os lábios e pontas dos dedos roxos ou azulados. Exames físicos, de eletrocardiograma, cateterismo cardíaco e radiografia torácica identificam se é necessário intervenção cirúrgica. Caso seja, coloca-se um tubo entre a artéria aorta e a artéria pulmonar para melhorar a oxigenação e transportar o sangue ao pulmão.

Sintomas

• Pele azulada no bebê (cianose)
• Dificuldade para respirar
• Cansaço

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana