POLÍTICA NACIONAL

Senadores comemoram promulgação da emenda que torna o Fundeb permanente

Publicado


.

A aprovação e promulgação da emenda constitucional que torna o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) permanente foi comemorada pelos senadores. Na manhã desta quarta-feira (26), o Congresso Nacional realizou sessão solene para promulgar a emenda 108, decorrente da PEC 26/2020, aprovada pelo Senado na terça-feira (25) de forma unânime, com 79 votos favoráveis nos dois turnos de votação.

Para a senadora Simone Tebet (MDB-MS), a Constituição confirma sua natureza cidadã, ao garantir mais recursos para uma educação de qualidade. Ela disse que essa ampliação de dinheiro público vai permitir que os gestores da educação tenham mais condições de fazer um planejamento eficiente, para ações de valorização dos profissionais e para investimentos em infraestrutura para os alunos.

— A minha alegria não poderia ser maior. Não há forma maior de inclusão social do que a educação. Vitória da educação, dos profissionais e de um país mais humano — declarou a senadora.

Na opinião do senador Major Olimpio (PSL-SP), a emenda é uma vitória da educação. Ele disse que o Fundeb permanente é uma grande obra do Congresso Nacional para a população brasileira. De acordo com o senador, a educação básica vai dar um salto de qualidade muito grande. O senador elogiou os parlamentares envolvidos na mudança constitucional, cumprimentou os profissionais da educação e cobrou uma rápida regulamentação da emenda por parte do governo.

— A educação não é um dos caminhos. É o único caminho para uma nação — declarou o senador.

Twitter

Outros senadores foram ao Twitter comemorar o Fundeb permanente. O senador Jaques Wagner (PT-BA) disse que “lugar de criança é na escola e não trabalhando, como defendeu o presidente [Jair Bolsonaro]”. Ele lembrou que “temos no Brasil o Estatuto da Criança e do Adolescente [ECA], que acaba de completar 30 anos e protege meninos e meninas” e comemorou a aprovação do Fundeb “para aumentar os investimentos e termos mais crianças na escola”.

O senador Confúcio Moura (MDB-RR) afirmou que é um dia muito importante para o ensino público. Segundo o senador, “com a manutenção da política de apoio à educação básica, evitamos o risco de apagão na educação em 2021”. Ele ainda acrescentou que “a nossa luta para fazer justiça e ampliar a contribuição da União no setor é uma vitória dos municípios e um consenso da importância da educação para o desenvolvimento do Brasil”. 

Também pelo Twitter, o senador Eduardo Braga (MDB-AM) registrou que “o novo Fundeb resgata uma dívida histórica com o ensino público e abre o caminho para vencermos o subdesenvolvimento e as desigualdades sociais”. Segundo Telmário Mota (Pros-RR), o novo Fundeb “é o melhor caminho para tornar o Brasil menos desigual e mais desenvolvido como nação”. O senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR) lembrou que foi professor e reitor. Ele comemorou a aprovação do Fundeb e fez uma defesa da ética na formação do povo brasileiro.

A senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) também comemorou a aprovação do novo fundo e disse que “não há possibilidade de diminuir a desigualdade social sem garantir o acesso à educação de qualidade”. Na visão do senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), tornar o Fundeb permanente “é a decisão política consciente em respeito à educação, aos educadores e educadoras e ao futuro de 17 milhões de alunos que serão impactados com a medida”.

Na visão da senadora Zenaide Maia (Pros-RN), ter o “Fundeb na Constituição” é motivo para celebrar. Ela disse que “os repasses federais aumentarão, garantindo mais recursos para creches, para a educação infantil e para os ensinos fundamental e médio”. Paulo Paim (PT-RS) usou sua conta para destacar que “investir em educação é acreditar no desenvolvimento do país, no bem estar das gerações presentes e futuras”. Para ao senador, o Fundeb permanente vai ajudar a “combater o racismo, o trabalho infantil, a violência contra crianças, mulheres e idosos”.

Fundeb

Com a emenda constitucional promulgada pela manhã, o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) para a ser permanente. O fundo seria extinto no fim do ano, ameaçando a distribuição de recursos para o financiamento educacional no país. A emenda também aumenta progressivamente o percentual de participação da União nos recursos do fundo, dos atuais 10% para 23%, até 2026. O Fundeb atende tudo o que vem antes da faculdade e representa 63% do investimento público em educação básica.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA NACIONAL

Ibope: Paes lidera com 32% no Rio; Crivella e Martha Rocha têm 14%

Publicado


source
.
Reprodução: iG Minas Gerais

Eduardo Paes lidera a corrida pela Prefeitura do Rio com 32% das intenções de voto


Pesquisa do Ibope sobre a eleição para a Prefeitura do Rio , divulgada nesta sexta-feira (30), mostra que o ex-prefeito Eduardo Paes (DEM) continua lliderando as intenções de voto, com 32% das preferências.

O atual prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) aparece em segundo lugar, o mesmo percentual que Martha Rocha (PDT): 14%.


A pesquisa mostra que a disputa por uma vaga no segundo turno segue acirrada. Tecnicamente, Crivella e Martha Rocha estão empatados, tendo em vista que a margem de erro é de três pontos para mais ou para menos.

A margem de erro é de três pontos pontos percentuais para mais ou para menos.

  • Eduardo Paes (DEM): 32%
  • Crivella (Republicanos): 14%
  • Delegada Martha Rocha (PDT): 14%
  • Benedita da Silva (PT): 9%
  • Luiz Lima (PSL): 4%
  • Bandeira de Mello (Rede): 2%
  • Renata Souza (PSOL): 2%
  • Fred Luz (Novo): 1%
  • Paulo Messina (MDB): 1%
  • Cyro Garcia (PSTU): 0%
  • Clarissa Garotinho (Pros): 0%
  • Glória Heloiza (PSC): 0%
  • Henrique Simonard (PCO): 0%
  • Suêd Haidar (PMB): 0%
  • Brancos e nulos: 15%
  • Não sabem ou não responderam: 5%

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana