POLÍTICA NACIONAL

Senadores apoiam ato de jogadores que saíram de campo após caso de racismo

Publicados

em


Em protesto contra o racismo, jogadores dos times de futebol Paris Saint-Germain (França) e Istambul Basaksehir (Turquia) protagonizaram um momento histórico em uma partida, nesta terça-feira (8), válida pela última rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa.

As duas equipes abandonaram o campo durante o primeiro tempo, após ofensa racista do quarto árbitro romeno Sebastian Coltescu contra Pierre Webó, ex-atacante e membro da comissão técnica da equipe turca.

Os senadores aproveitaram as redes sociais para prestar apoio à postura dos jogadores. Para Leila Barros (PSB-DF), a Liga dos Campeões viveu um momento histórico para o esporte.

“Que sirva de exemplo da luta contra o racismo nos campos e nas arenas esportivas no Brasil e no mundo”, disse Leila.

“Parem com a estupidez do racismo. Tem que dar um basta, e hoje os jogadores dos dois times deram o exemplo. Esse 8 de dezembro é para entrar para história e não parar por aí. Basta de racismo, chega”, publicou Paulo Rocha (PT-PA).

Os senadores Diego Tavares (PP-PB) e Jorge Kajuru (Cidadania-GO) observaram que a atitude dos jogadores revela um exemplo de combate ao racismo.

“Triste com o ocorrido e feliz pela atitude coletiva. O jogo de hoje do PSG ficará marcado na história”, disse Diego Tavares.

“Vimos uma aula de combate ao racismo no jogo”, declarou Kajuru.

Para Fernando Collor (Pros-AL), nenhum ato de racismo deve ser tolerado. “Os jogadores do PSG e do Istanbul Basaksehir estão de parabéns por abandonar o gramado após um insulto racista”, afirmou.

Rogério Carvalho (PT-SE) também aproveitou as redes sociais para parabenizar os jogadores. “Racismo é crime, denuncie”, enfatizou o parlamentar.

Já Randolfe Rodrigues (Rede-AP) declarou que a partida se tornou histórica pela atitude dos atletas contra o racismo. Segundo o senador, “o silêncio não é uma opção. Racistas não passarão”.

Investigação

Após a suspensão do jogo, a Liga dos Campeões da Uefa (União das Federações Europeias de Futebol) anunciou a abertura imediata de uma investigação sobre o ocorrido.

Nova partida será disputada nesta quarta-feira (9), às 14h55 (no horário de Brasília), com outra equipe de arbitragem.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Primeira reunião da CPI da Pandemia será realizada depois do feriado

Publicados

em


A semana no Congresso será mais curta, mas não menos importante. Com um feriado na quarta-feira (21), os parlamentares deverão apreciar vetos presidenciais e o Senado poderá instalar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia.

Na segunda (19) e na terça-feira (20), estão marcadas sessões do Congresso Nacional, ocasião em que deputados e senadores devem decidir de mantém ou derrubam vetos presidenciais. Dez vetos dentre os previstos para análise estão trancando a pauta de votações. Dentre eles, estão vetos referentes ao auxílio emergencial para a mulher chefe de família e à realização de videoconferências em audiências de custódia. Esse último veto faz parte do pacote anticrime, aprovado pelo Congresso no fim de 2019.

Existem ainda vetos relacionados à aquisição de vacinas contra covid-19. Trata-se do veto que determina o prazo de cinco dias para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) conceder autorização temporária de uso emergencial para importação e distribuição de imunizantes.

Outro veto diz respeito à lei que autoriza a União, estados e municípios a adquirir vacinas e assumir a responsabilidade civil em relação a efeitos adversos pós-vacinação. O governo federal vetou alguns dispositivos do texto original, como a autorização para que estados e municípios possam adquirir doses de vacinas em caráter suplementar, com recursos da União no caso de descumprimento do Plano Nacional de Imunização (PNI).

CPI

Passado o feriado de Tiradentes e do aniversário de Brasília, ambos na quarta-feira, existe a expectativa da realização da primeira reunião da CPI da Pandemia na quinta-feira (22). Nessa reunião, serão eleitos o presidente e vice-presidente do colegiado. Um acordo entre os membros da comissão, no entanto, deve confirmar o nome de Omar Aziz (PSD-AM) para a presidência e Randolfe Rodrigues (Rede-AP) como vice-presidente.

Câmara

Também na quinta-feira a Câmara dos Deputados poderá votar a prorrogação do auxílio emergencial para profissionais do meio artístico. Esse pagamento foi estabelecido no ano passado, na Lei Aldir Blanc, batizada em homenagem ao escritor e compositor que morreu de covid-19. A prorrogação já foi aprovada no Senado e aguarda análise dos deputados.

* com informações da Agência Senado

Edição: Claudia Felczak

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana