POLÍTICA NACIONAL

Senado cria Comenda Irmã Dulce para homenagear serviços na área social da saúde

Publicados

em


O Plenário do Senado aprovou, na noite desta terça-feira (15), a criação da Comenda Santa Dulce dos Pobres (PRS 45/2020). A comenda é uma sugestão do senador Eduardo Girão (Podemos-CE) e homenageará pessoas ou empresas que tenham prestado relevantes serviços na área social da saúde. A proposta sugere a entrega, anualmente, do diploma de menção honrosa, pela Mesa do Senado Federal, a até três pessoas físicas ou jurídicas, durante sessão que será especialmente convocada com esse objetivo.

— Hoje é um dia muito especial. Acho que estamos fechando o ano com chave de ouro. O que estamos fazendo no último dia deste ano legislativo não é por acaso. Este país é o país da paz e da solidariedade — comemorou Girão.

De acordo o autor, o objetivo da matéria é reconhecer a atuação da religiosa brasileira que ficou mundialmente conhecida por dedicar sua vida a ajudar os doentes e os mais necessitados além de incentivar iniciativas de apoio social por parte da população. Irmã Dulce foi canonizada pelo papa Francisco em 2019, tornando-se a primeira santa brasileira.

“Esta proposição busca, portanto, reconhecer o amor de Santa Dulce dos Pobres pelos excluídos e o seu imenso trabalho social, bem como incentivar o desenvolvimento de relevantes trabalhos na área social da saúde. Esperamos que cada pessoa ou instituição agraciada com a Comenda possa renovar nossa esperança de viver em um país mais fraterno e mais humano”, afirmou o senador ao justificar o projeto.

Ainda conforme o projeto, a indicação dos candidatos a receberem a homenagem poderá ser feita por qualquer senador ou senadora, desde que apresente justificativa ressaltando os méritos do concorrente. A indicação deverá ser avaliada pelo Conselho da Comenda Santa Dulce dos Pobres, a ser composto por um senador de cada um dos partidos políticos com assento no Senado.

O conselho também terá a responsabilidade de definir, a cada ano, o período de recebimento das indicações e da premiação. O texto ainda determina que a partir da escolha das pessoas agraciadas, seus nomes e atuação serão amplamente divulgados pelos meios de comunicação da Casa e em sessão plenária. Os senadores Wellington Fagundes (PL-MT) e Jorge Kajuru (Cidadania-GO) comemoraram a aprovação da matéria.

— Esta comenda certamente vai incentivar outras pessoas na prática do bem — afirmou Fagundes.

Biografia

O projeto foi relatado pelo senador Styvenson Valentin (Podemos-RN). Ele fez apenas ajustes pontuais no texto em relação à atuação do conselho. Da tribuna, ele destacou a biografia de Irmã Dulce. Maria Ritta Souza Brito Lopes Pontes, mais conhecida como Irmã Dulce, nasceu em Salvador (BA), em 26 de maio de 1914. Desde sua adolescência, manifestou a vocação para trabalhar em benefício dos mais pobres. Aos 13 anos, ao visitar áreas carentes de Salvador na companhia de uma tia, manifestou o desejo de se dedicar à vida religiosa, transformando a casa da própria família em centro de atendimento, atendendo a mendigos e doentes.

Aos 18 anos, juntou-se à Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, na cidade de São Cristóvão, em Sergipe, e aos 20 anos foi ordenada freira, quando passou a se chamar Irmã Dulce Lopes Pontes, em homenagem à sua mãe. Em 1959, a freira baiana fundou a Associação Obras Sociais Irmã Dulce (OSID), que abrigaria tempos depois o Hospital Santo Antônio, referência na assistência à população carente no estado da Bahia. Atualmente, a instituição possui mais de mil leitos e atende diariamente a 4 mil pessoas. “Irmã Dulce era tão respeitada e amada que o papa João Paulo II, por ocasião de ambas as visitas feitas ao Brasil, fez questão de se encontrar com ela e de conhecer sua obra”, lembra Girão, na justificativa do projeto.

Irmã Dulce faleceu no dia 13 de março de 1992. Em 2009, o Vaticano reconheceu as “virtudes heroicas” da religiosa, autorizando oficialmente a concessão do título de Venerável, o reconhecimento de que Irmã Dulce viveu, em grau heroico, as virtudes cristãs da fé, esperança e caridade. Ao ser beatificada, em 2011, passou a ser reconhecida como Bem-Aventurada Dulce dos Pobres. Em 2019, a beata foi canonizada recebendo o título de Santa Dulce dos Pobres.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Bolsonaro faz passeio de moto em homenagem ao Dia das Mães

Publicados

em


O presidente Jair Bolsonaro realizou um passeio de moto de aproximadamente 1 hora em homenagem ao Dia das Mães na manhã deste domingo (9) passando pelas ruas de Brasília. 

Ele foi acompanhado por centenas de motociclistas, inclusive o deputado Hélio Lopes (PSL-RJ), que postou em suas redes sociais o trajeto percorrido pelo presidente e pelos demais motociclistas.

O passeio foi anunciado por Bolsonato durante sua live de quinta-feira (6). Na ocasião, o presidente falou que esperava cerca que 1 mil motociclistas o acompanhassem no passeio em homenagem ao Dia das Mães.

Edição: Fábio Massalli

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana