mato grosso

Seduc e Sintep debatem retorno das aulas, contratações e processo de atribuição

Publicados

em


A volta às aulas na modalidade híbrida foi tema de reunião entre a Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT) e representantes do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT). O secretário de Estado de Educação, Alan Porto, apresentou as medidas adotadas e os investimentos feitos pelo Governo do Estado para garantir o retorno seguro para profissionais e estudantes.

Foram abordados temas como o funcionamento das escolas, medidas de biossegurança, plano de contingência, além dos processos seletivo e de atribuição dos professores para o próximo ano, chamamento do cadastro de reserva do concurso de 2017 e ações para melhorar a educação e garantir a recuperação da aprendizagem dos estudantes. O Sintep apresentou sugestões que serão avaliadas pela Seduc.

Essa é a primeira de uma série de reuniões que serão realizadas entre a Seduc e o Sintep. Foi definido que as reuniões serão por temas. O secretário Alan Porto reforçou que a Seduc está aberta ao diálogo e que o objetivo da reunião foi sanar todas as dúvidas sobre o retorno das aulas.

Processos seletivo e de atribuição

A secretária-adjunta de Gestão de Pessoas, Flávia Emanuelle de Souza Soares tirou dúvidas sobre os processos seletivo e de atribuição para o próximo ano. Destacou que após uma consulta à rede, foi identificado que o processo seletivo é uma reivindicação da maioria. A Seduc já está trabalhando no edital.

Quanto ao processo de atribuição, a portaria será publicada nos próximos dias. Entre as mudanças, está a antecipação do início da atribuição para o mês de outubro de forma que até o final do ano, antes do recesso escolar, os profissionais já estejam atribuídos e saibam onde vão atuar no próximo ano.

Além disso, a atribuição passará a ser totalmente online e deixará de contar com os certificados para somar pontos. A decisão é para evitar fraudes com a apresentação de certificados falsos. “São soluções de gestão para incluir qualidade na educação”, enfatiza a secretária.

Concurso público

Foi reafirmado ao Sintep que o chamamento de 141 professores de área do Concurso de 2017, por polo, já está adiantado, aguardando apenas autorização da Secretaria de Estado de Planejamento (Seplag). São profissionais do cadastro de reserva, uma vez que todos os aprovados já foram chamados.

Biossegurança

O secretário Alan Porto esclareceu todas as medidas de biossegurança adotadas para o retorno seguro, com ampliação de recursos para as escolas, além da criação do plano de contingência, junto com a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), para casos de suspeita ou confirmação de Covid-19 nas unidades.

Enfatizou que os casos suspeitos e confirmados são acompanhados diariamente pela Seduc, por meio do sistema Indica-SUS.

Secretária adjunta de Gestão de Pessoas reforçou que o Programa de Educação para Redução do Absenteísmo (ERA) também está focado no pós-covid, acompanhando os profissionais com atendimento psicológico, de educador físico e outros atendimentos necessários.

Investimentos

Alan Porto fez, ainda, uma explanação dos recursos que estão sendo investidos em infraestrutura física e tecnológica, e na área pedagógica. São R$ 936 milhões do Programa Mais MT.

O secretário reforçou que todas as obras paralisadas da educação, em gestões anteriores, estão sendo retomadas pelo atual governo e serão concluídas.

Até o final de 2022, serão 35 novas escolas, 40 unidades reformadas e ou ampliadas, mais de 300 unidades climatizadas, mais de 30 novas quadras poliesportivas, manutenção em mais de 380 escolas.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Propaganda

mato grosso

Empaer testa capim kurumi como alternativa para produtores de leite

Publicados

em


Conhecido pelo valor nutritivo, o capim kurumi é a nova aposta da Empresa Mato-grossense de Pesquisa Assistência e Extensão Rural (Empaer) e vem sendo testado junto a produtores de leite da agricultura familiar de Juara, Terra Nova do Norte e Nova Bandeirantes. A equipe técnica segue na produção de mudas e avaliação do potencial nutritivo da cultivar, que pretende junto com o capiaçu ser uma das alternativas de baixo custo e auxiliar os produtores, principalmente durante o longo período de estiagem.

O técnico da Empaer em Terra Nova do Norte, Rodrigo Cezar Ribeiro, explica que quanto maior a produção de leite, maior a demanda energética e proteica. Independente das estações do ano, a alimentação dos animais devem ser uma constante e no caso do período de entressafra, quando a chuva diminui é quando o pasto e o cocho necessitam de uma redobrada atenção.

Ele destaca que as mudas de BRS Kurumi foram fornecidas o ano passado pela Embrapa Agrossilvipastoril de Sinop, multiplicadas e plantadas no sitio Nonoai do senhor João Luis da Rosa, na comunidade Quinta Agrovila.  Na propriedade, em uma área de 1 hectare, a cultivar foi desenvolvida conforme planejado e no dia 20 de novembro será realizado o primeiro pastejo e a avaliação do potencial produtivo do Kurumi com a produção das matrizes leiteiras que irão consumir o pasto.

Rodrigo frisa que insumos para produção da ração como a soja e o milho tiveram um grande aumento nos últimos anos. “Na teoria, o capim produz 20% de proteína bruta e, por este motivo, está sendo plantado na propriedade com a intenção de reduzir custos de produção, principalmente com a alimentação”, destaca.

Ainda em Terra Nova do Norte, 100 produtores já receberam as mudas de kurumi, mas a meta é chegar a 160, o mesmo público atendido nos últimos dois anos com capiaçu.

Trabalho semelhante dos técnicos da Empaer em Nova Bandeirantes, Luma Regina Maldaner e Eder José Barreiros, que vêm atendendo produtores dos Projetos de Assentamento de Japuranã e Japuranomann junto ao Programa REM.

Luma Maldaner destaca que as mudas foram trazidas do escritório regional de Juara através de um produtor. “Em Nova Bandeirantes, nós trabalhamos em parceria com a Secretaria de Agricultura, Meio Ambiente e Saneamento. Elas foram plantadas em uma área de 1 hectare no viveiro municipal e serão doadas posteriormente aos produtores da cidade”.

De acordo com Luma, o objetivo é buscar novas alternativas que sejam de baixo custo. O próximo passo será gradear a área para o plantio. “Temos bons exemplos de produtores dos estados de Goiás e da região sul país que o kurumi é uma boa alternativa por ser de pastejo. Em contrapartida, com o capiaçu de silagem. Duas boas alternativas para o produtor da agricultura familiar”.

Mudas sendo mutiplicadas para serem distribuidas e plantadas                              Foto: Empaer 

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana