mato grosso

Sedec cadastra 55 artesãos em quatro aldeias indígenas do Alto Xingu

Publicados

em


A equipe da Coordenadoria do Programa de Artesanato da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec-MT) realizou o cadastramento de 55 artesãos indígenas em quatro aldeias pertencentes ao município de Gaúcha do Norte, região do Alto Xingu, entre os dias 14 e 17 de março.

As informações foram coletadas nas aldeias Nekupai, Kaupüna, Utawana e Yaramü, onde os indígenas fabricam brincos, colares, cestaria, máscaras, redes, cocares, remos, pás para fazer biju (comida típica indígena) e bancos de madeira em formato de animais e pássaros.

Os dados colhidos serão utilizados para a confecção de carteiras de artesão. A inscrição no Sistema de Informações do Cadastro do Artesanato Brasileiro (Sicab) permite ao artesão participar de feiras de artesanato nacionais e internacionais e se inscrever em oficinas e cursos de artesanato.

Os artesãos cadastrados ainda passam a ter direito a incentivos fiscais, isenção do ICMS na comercialização dos produtos, facilidade de obter microcrédito, poderão emitir nota fiscal avulsa de Emissão Eletrônica (e-NFA) e contribuir como autônomo para fins previdenciários.

De acordo com a servidora do Programa de Artesanato, Carolinne Luz, há um interesse crescente pela arte indígena o que incentiva a produção mato-grossense.

“As peças criadas pelos índios têm um design diferenciado o que atrai a atenção do amante de artesanato e com isso a procura por esses produtos tem aumentado bastante. O que vem despertando nos indígenas o interesse em ampliar a produção”, ressalta Carolinne.

Os índios da região possuem um espaço permanente no Parque Lages, no Rio de Janeiro, onde comercializam as peças produzidas em Mato Grosso. Inclusive, já exportaram peças para a Bélgica, Japão e Portugal.

Atuação

Atualmente a Sedec possui cerca de 8 mil artesãos registrados no Programa de Artesanato. Desse total, 6.980 possuem a Carteira de Artesão. Os atendimentos já chegaram a 91 municípios do Estado.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Propaganda

mato grosso

Estudantes poderão escolher duas áreas de conhecimento para cursar em 2023

Publicados

em

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT), por meio da Secretaria Adjunta de Gestão Educacional, promove a I Semana de Escuta do Novo Ensino Médio, de 04 a 08 de julho, em todas as escolas da Rede Estadual de Ensino. Cada unidade, sob acompanhamento da Diretoria Regional de Educação (DRE) do seu polo, definirá as melhores estratégias para desenvolver essa ação.

O objetivo é sensibilizar os estudantes sobre a importância da escolha dos Itinerários Formativos. Quem está matriculado no 9º ano do Ensino Fundamental ou no 1º ano do Ensino Médio precisa procurar a secretaria da escola onde está matriculado para formalizar a sua opção por uma das áreas de conhecimento de maior interesse.

“O novo currículo do Ensino Médio agora é organizado por uma parte comum a todos os estudantes e outra parte flexível. Na parte flexível, os estudantes agora têm ao seu dispor quatro áreas de conhecimento, mais a de formação técnica e profissional. Nesse momento, ele deverá escolher até duas áreas de conhecimento para cursar em 2023”, explica Andréa Melo da Silva Pereira, Coordenadora de Ensino Médio da Seduc-MT.

As opções estão divididas em quatro blocos: Linguagens e suas Tecnologias + Ciências Humanas Sociais Aplicadas, Matemática e suas Tecnologias + Ciências da Natureza e suas Tecnologias, Matemática e suas Tecnologias + Ciências Humanas e Sociais Aplicadas, além de Ciências da Natureza e suas Tecnologias + Ciências Humanas e Sociais Aplicadas.

Andréa observa que a Formação Geral Básica do Ensino Médio, comum a todos os estudantes, continua com todos os componentes curriculares. Já os Itinerários Formativos, que é a parte flexível do currículo, em que o estudante pode escolher o que deseja cursar, é composto por Projeto de Vida, Eletivas e Trilhas de Aprofundamento. “Os estudantes terão a oportunidade de escolher as áreas que mais atendam aos seus interesses”, explicou.

As escolhas que os estudantes fizerem em 2022 serão colocadas em prática no ano letivo de 2023, de acordo com sua identificação e interesse. Assim, terão mais tempo de estudos e a oportunidade de aprofundar e ampliar suas aprendizagens, indo além da formação geral e sendo preparado para desenvolver a capacidade de aplicar o conhecimento em diversos contextos.

NOVO ENSINO MÉDIO

Começou a ser implementado de forma gradual a partir desse ano e é um modelo de aprendizagem focada na formação de cidadãos e no desenvolvimento de competências e habilidades, com disciplinas integradas em quatro áreas do conhecimento que possibilitam que os alunos escolham Itinerários Formativos de acordo com áreas de seu interesse e projetos de vida e de carreira.

Na nova estrutura, até 1.800 horas da carga horária contemplam habilidades e competências relacionadas as quatro áreas do conhecimento que fazem parta da Base Nacional Comum Curricular. Outras 1.200 horas são flexíveis e ficarão reservadas para o aprofundamento.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana