cultura

Secel agiliza processo de editais Movimentar com alteração de fases de análises; entenda

Publicados

em

Publicados no dia 15 de junho, os editais Movimentar da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT) seguem com inscrições abertas até 9 de julho. Devido ao caráter emergencial para atendimento aos profissionais dos setores cultural e esportivo afetados pela pandemia, o cronograma das seleções públicas prevê algumas especificidades nas fases de análise técnica e de habilitação documental.

Para diminuir o prazo das duas etapas, a avaliação técnica será anterior à de análise de documentos. Dessa forma, todas as inscrições recebidas serão primeiramente submetidas à Comissão de Avaliação Técnica que, além de verificar os requisitos básicos, irá classificar as propostas de acordo com a pontuação nos critérios de seleção. Assim, somente as propostas que alcançarem pontuação na pré-seleção passam para a fase de habilitação/documental.

“A inversão das fases permite que aceleremos o processo. Somando os dois momentos de seleção e de habilitação, teremos um prazo menor de processamento pois, em vez de imprimir e conferir os documentos de todo o lote de inscrições, só faremos isso com os projetos pré-selecionados. E considerando que a exigência documental é bem simplificada, a chance de uma inscrição ser inabilitada é muito pequena”, explica Jan Moura, secretário adjunto de Cultura da Secel.

É importante destacar que os editais Movimentar, tanto o de Cultura quanto o de Esporte e Lazer, seguem o mesmo cronograma, portanto o mesmo procedimento.

No Movimentar Cultura, serão 330 inscrições classificadas para a fase de habilitação documental, que corresponde ao total de projetos que serão selecionados no resultado final mais 10%. De demanda livre, as propostas podem abranger quaisquer atividades relacionadas aos 16 segmentos artísticos e culturais informados no edital.

No Movimentar Desporto, Paradesporto e Lazer está prevista a pré-seleção de 550 propostas que passarão pela etapa de análise de documentos. Assim como na cultura, esse total considera um acréscimo de 10% na quantidade de projetos a serem aprovados no edital.

Nos dois editais, 60% das propostas selecionadas serão de municípios do interior e, o restante (40%), de municípios da Região Metropolitana do Vale do Rio Cuiabá.

Para a seleção/análise técnica são pontuados aspectos da apresentação da proposta e de sua importância para a sociedade, como relevância, efeito multiplicador, adequação da proposta orçamentária e viabilidade do projeto. Nessa primeira fase são ainda considerados critérios econômicos e sociais, como renda e inclusão de profissionais com deficiência, e outras variáveis de acordo com o edital escolhido.

Já na etapa de habilitação documental, a comissão de avaliação analisará os documentos anexados no momento da inscrição. Para facilitar a adesão de proponentes, foram exigidos somente os documentos pessoais, CPF e RG ou outro documento com foto, e comprovação de residência em Mato Grosso.

As inscrições seguem abertas até o dia 09 de julho, devendo ser feitas exclusivamente pela internet. A previsão é que os resultados finais das duas seleções públicas sejam publicados até o dia 30 de agosto. Confira o cronograma detalhado.

Publicação dos editais: 15/06

Período de inscrições: 15/06 a 09/07

Análise técnica: 26/07 a 06/08

Resultado análise técnica: 09/08

Período para recurso análise técnica: 10/08 a 12/08

Publicação do julgamento dos recursos da fase técnica: 16/08

Análise documental: 17/08 a 20/08

Resultado análise documental: 23/08

Período para recurso da fase documental: 24/08 a 26/08

Publicação do resultado final: 30/08

Serviço

Editais Movimentar Cultura e Esporte

Prazo para inscrição: 09 de julho

Acesso aos editais e links de inscrição: www.secel.mt.gov.br/editais

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Propaganda

cultura

Documentário sobre Mestre Bolinha estreia na próxima quarta-feira (27)

Publicados

em

 

O documentário “Mestre Bolinha”, dirigido por Meire Pinheiro, estreia, nesta quarta-feira (27.10), no Cine Teatro Cuiabá, a partir das 19h. O projeto foi um dos selecionados no edital Mestres da Cultura, promovido pela Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT), com incentivo da Lei Aldir Blanc.

A entrada será um litro de leite e o evento seguirá todos os protocolos de biosegurança como uso obrigatório de máscara, aferição de temperatura, regras de distanciamento e disponibilizará álcool em gel para o público.

Kanoa de Prata, última banda em que João Batista Jesus da Silva, ou simplesmente Mestre Bolinha tocou, realizará uma apresentação especial antes da exibição do documentário, com repertório todo dedicado ao rasqueado cuiabano.

A obra biográfica vai exibir a história de um dos mais representativos artistas da cultura popular de Mato Grosso, que vai além da carreira artística bem-sucedida. O documentário de aproximadamente 1h38m conta com material inédito, homenagens e depoimentos de pessoas ligadas ao saxofonista.

“Vou contar de quando ele nasceu, quando começou a trabalhar, suas produções, os amigos que teve, as festas de santo, vou até o final da vida dele. A gente quer apresentar esse Bolinha, o João”, diz Meire Pinheiro, cineasta e proponente do projeto, que dividiu, como cantora por quase uma década, os palcos com Bolinha. 

Los Bambinos, banda do Bolinha na década de 60, tocando no Clube Sayonara com a convidada Eva Wilma

Durante sua trajetória, Bolinha integrou muitas bandas, entre elas a primeira de rock cuiabano “Jacildo e Seus Rapazes”, com a qual teve projeção nacional. Acompanhou também inúmeros cantores nacionais de peso, como Roberto Carlos, Ângela Maria, Cauby Peixoto e Nelson Gonçalves.

Mestre Bolinha regeu por 35 anos a banda da então Escola Técnica Federal de Mato Grosso (ETFMT). Após se aposentar na função, passou a atuar mais ativamente no movimento musical regional. É considerado um dos responsáveis pela retomada e valorização do rasqueado cuiabano.

O projeto rendeu muitas descobertas, entre elas a vasta diversidade performática do músico. “Eu não sabia que ele tocava tantos instrumentos assim, só de sopro eles [os entrevistados] falaram uns quatro ou cinco”, comenta.

Mais Bolinha

Esse ilustre personagem da cultura mato-grossense nasceu em 1940, em Cuiabá. Filho do músico José Albertino da Silva – o Mestre Albertino – e da dona Enedina Fernandes da Silva, Bolinha era ensinado em casa a valorizar a cultura.

“Essa paixão dele pela música é uma coisa que vem de berço, tem toda uma trajetória de vida que está ligada à musicalidade”, diz Francisco das Chagas Rocha, escritor e memorialista.

Saudoso Mestre Bolinha segurando fotografia em que aparece ao lado de seu pai, o ilustre Mestre Albertino

No dia 5 de agosto de 2019, aos 79 anos, o instrumentista aposentou o seu e passou a entoar suas melodias apenas nas lembranças de quem ficou. Bolinha se foi e deixou a esposa, a filha e uma legião de amigos e admiradores.

“Acho que a gente não vai ter um cara como ele nessa geração. Falo isso por causa da visão que ele tinha da história, da religião, da tradição. Ele fazia questão de colocar esse sax raiz”, recorda Meire.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana