Saúde

Saúde e Anvisa atualizam regras para doação de sangue durante pandemia

Publicados

em


O Ministério da Saúde e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) atualizaram as regras para doação de sangue em função da pandemia de covid-19. De acordo com nota técnica divulgada ontem (25), quem foi infectado pelo vírus fica inapto para doação por dez dias após se recuperar da doença. Anteriormente, o prazo era de 30 dias. 

O período de inaptidão de dez dias vale para quem apresentou sintomas de covid, incluindo casos leves e moderados. No caso de assintomáticos, o mesmo prazo deve ser observado, mas em relação a data de coleta do exame. 

A nota também trata de pessoas que tiveram contato com indivíduos que testaram positivo. Nesse caso, a inaptidão é de sete dias após o último contato. 

O ministério e a Anvisa orientam os hemocentros a seguirem medidas de proteção para evitar contaminação durante a pandemia. É recomendada a higienização de superfícies e dos instrumentos, uso de antissépticos, além da manutenção do distanciamento entre os doadores. 

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Propaganda

Saúde

Covid: Ministério da Saúde libera terceira dose para adolescentes

Publicados

em

source
Intervalo para a terceira dose será de quatro meses após a segunda
Tomaz Silva/Agência Brasil – 17.01.2022

Intervalo para a terceira dose será de quatro meses após a segunda

O Ministério da Saúde decidiu liberar nesta sexta-feira a dose de reforço da  vacina contra a Covid-19 para adolescentes de 12 a 17 anos. O intervalo para a terceira dose, exclusivamente de Pfizer, será de quatro meses após a segunda. Até agora, a terceira aplicação estava disponível apenas para quem tinha acima de 18 anos ou imunossuprimidos.

O ministério deve publicar uma nota técnica nesta sexta-feira para orientar como estados e municípios devem conduzir essa aplicação, ainda sem data para começar. Cabe à pasta enviar as doses, mas cada unidade federativa tem autonomia para definir os próprios calendários de vacinação.

Técnicos da Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização da Covid-19 (CTAI-Covid) já haviam recomendado a medida há cerca de duas semanas. Agora, a pasta chancelou a aplicação da terceira dose no grupo após receber os últimos dados epidemiológicos que faltavam antes de bater o martelo.

Dados do Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe (SIVEP-Gripe), alimentado pelo ministério, registram que pelo menos 8.059 jovens de 12 a 17 anos foram internados por Covid-19 no Brasil desde o início da pandemia até o último domingo. 


Do montante, 729 tiveram a morte confirmada pela doença. A letalidade hospitalar da faixa etária está em 9,04%, o que aponta para os riscos e as complicações da doença para o grupo.

A recomendação anterior da pasta definia que apenas os adolescentes imunossuprimidos deveriam receber a dose de reforço, além da quarta dose. No grupo, incluem-se pacientes em tratamento de quimioterapia, com HIV/Aids ou que passaram por transplante, entre outros.

Segundo as orientações do ministério, adolescentes podem receber duas doses de Pfizer ou de CoronaVac. A pasta, contudo, não indica a vacina produzida pelo Instituto Butantan como opção para reforço por gerar menor produção de anticorpos contra a Covid-19. 

Já a AstraZeneca e a Janssen não têm aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para aplicação em pessoas menores de idade.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana