TECNOLOGIA

Samsung lança sensor de câmera minúsculo que faz fotos ainda melhores

Publicados

em


source
Galaxy S21 Ultra
Divulgação/Samsung

Galaxy S21 Ultra

A Samsung anunciou um novo sensor para utilizar em câmeras de smartphones . De acordo com a empresa, a novidade chamada ISOCELL JN1 tem os menores pixels da indústria, o que permite boas fotos mesmo com lentes pequenas.

O ISOCELL JN1 é um sensor de 50 MP composto por pixels de apenas 0,64 μm. Em 2019, a Samsung já havia quebrado recordes ao lançar o ISOCELL Slim GH1, com pixels de 0,7 μm.

Normalmente, avaliamos que pixels maiores resultam em imagens melhores e, portanto, por que a Samsung estaria apostando justamente no contrário? Segundo a companhia, o novo sensor pode dar às fabricantes mais versatilidade na hora encaixar câmeras nos smartphones .

Um sensor menor poderia ser usado em lentes telefoto ou ultrawide, que geralmente têm pouco espaço, ou para reduzir a altura da câmera principal (que geralmente fica saltada para fora nos smartphones).

Para manter a boa qualidade, o ISOCELL JN1 vai combinar vários pixels em um, permitindo maior sensibilidade à luz. Assim, as fotos serão capturadas em 12,5 MP com pixels combinados de 1,28 μm cada. Em relação ao ISOCELL 2.0, última tecnologia de lentes lançada pela marca , haverá aumento de 16% na sensibilidade à luz. De acordo com a Samsung , a novidade já está em produção em massa e, portanto, pode chegar em breve aos smartphones .

Comentários Facebook
Propaganda

TECNOLOGIA

Robôs ajudam a desafogar sistema de saúde na pandemia; saiba como

Publicados

em


source
Robôs ajudam durante a pandemia
Unsplash/Franck V

Robôs ajudam durante a pandemia

O uso de inteligência artificial por meio de robôs pode ajudar a fazer a triagem de pacientes para aliviar o sistema de saúde sobrecarregado durante a pandemia da Covid-19. Pesquisadores desenvolveram a Laura, uma assistente virtual capaz de identificar e interpretar informações de quem busca atendimento hospitalar.

O projeto é da Escola de Medicina da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Fundação Getulio Vargas (FGV) e Instituto Laura Fressatto. O algoritmo é capaz de descrever a gravidade da doença de um paciente a partir dos sintomas informados. Isso ajuda no direcionamento dessa pessoa para um profissional adequado, evitando tempo de triagem e encaminhamento.

Caso a pessoa seja identificada com sintomas leves, ela continua sendo monitorada pelo robô, sendo coletadas informações a cada três dias de seu estado de saúde. Caso haja uma piora, um enfermeiro entra em contato por meio de chamada de vídeo, para entender o quadro.

“O paciente entra em contato com a plataforma do robô Laura e digita algumas informações que o robô identifica e interpreta. O paciente tanto pode receber informações, como prevenção, vacinas e orientações sobre Covid-19, mas também pode descrever os sintomas [que está sentindo] para o algorítimo”, disse o médico Murilo Guedes, líder do estudo, à Agência Brasil.

Você viu?

Robô capaz de ajudar na saúde

A pesquisa compilou atendimentos realizados na plataforma da Laura com 24,1 mil pessoas entre julho e outubro de 2020. As tiragens foram feitas em três cidades brasileiras: Curitiba (PR), São Bernardo do Campo (SP) e Catanduva (SP).

44,8% dos pacientes analisados foram classificados com sintomas leves de Covid-19, 33,6% dos casos foram considerados moderados e apenas 14,2% foram diagnosticados como casos graves da doença. Os resultados preliminares de viabilidade dessa tecnologia foram publicados no jornal Frontiers in Digital Health.

O estudo segue em andamento e os próximos passos envolvem analisar a segurança do robô para fazer diagnósticos de saúde. Isso é feito medindo a precisão das avaliações médicas fornecidas pela inteligência artificial. Outros testes com a tecnologia já estão sendo aplicados.

“O que a gente ainda precisa fazer, daqui para a frente, é mostrar que a ferramenta tem eficácia na avaliação dela e que ela é segura. O grande objetivo aqui é otimização de recursos em saúde para desafogar as instituições de saúde”, finalizou Murilo.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana