economia

Rússia pode aceitar Bitcoin como pagamentos por gás, sugere legislador

Publicados

em


source
Rússia pode aceitar Bitcoin como pagamentos por gás, sugere legislador
Lorena Amaro

Rússia pode aceitar Bitcoin como pagamentos por gás, sugere legislador

Em meio às sanções após invadir a Ucrânia, a Rússia pode recorrer ao Bitcoin como forma de pagamento pelo petróleo e gás exportados e por outros recursos.

Foi o que sugeriu o presidente do Comitê de Energia da Duma da Rússia (parlamento russo), Pavel Zavalny, durante uma entrevista coletiva concedida nesta quinta-feira (24).

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia 

De acordo com Zavalny, a Rússia pode vender gás para o Ocidente por rublos. Ou então, pode comercializar seus produtos para países “parceiros”, como Turquia e China, tanto pela moeda russa quanto por Bitcoins.

Vale destacar que no ano passado a China baniu qualquer negócio envolvendo criptomoedas , desde negociações à mineração. Portanto, é pouco provável que a nação asiática opte por comprar da Rússia com BTC.

“Há algum tempo oferecemos à China a mudança para transações em moedas nacionais, como o rublo e o renminbi. Com a Turquia, isso seria a Lira e o Rublo. Os conjuntos de moedas podem ser diferentes; é uma prática comum. Se fosse necessário negociar com Bitcoin, nós o faríamos”, afirmou Zavalny.

Leia Também

Negócios com Bitcoin

A estratégia da Rússia em só aceitar pagamentos em rublos é uma tentativa de fazer a moeda nacional voltar a subir. Ao mesmo tempo, o país quer cortar o uso do dólar americano e do euro.

“Para nós, essa moeda se transforma em embalagens de doces”, comentou Zavalny. “Perdemos todo o interesse em euros e dólares”, afirmou Zavalny.

Na quarta-feira (23), o presidente russo Vladimir Putin anunciou que a Rússia começaria a exigir pagamentos em rublos por gás natural de “países hostis”. Ele também ordenou que o banco central desenvolvesse um mecanismo para o país aceitar esses pagamentos dentro de uma semana.

Leia Também

Enquanto isso, a aceitação do Bitcoin pode ser uma maneira para o país tentar contornar as sanções impostas pelos Estados Unidos e pela União Europeia.

Além disso, o BTC é uma moeda digital descentralizada que não tem limitações transfronteiriças, tampouco algum tipo de controle governamental.

Seu rival na guerra, a Ucrânia, também recorreu aos criptoativos para se armar. De acordo com a plataforma Elliptic, mais de US$ 100 milhões em Bitcoin, Ethereum Polkadot, Dogecoin e outras moedas digitais foram doadas à Ucrânia desde o início da invasão há cerca de um mês.

Comentários Facebook
Propaganda

economia

Petrobras: Senador quer que STF investigue interferência de Bolsonaro

Publicados

em

source
Bolsonaro é acusado de interferir na Petrobras
Isac Nóbrega/PR

Bolsonaro é acusado de interferir na Petrobras

O líder da oposição no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), apresentou um pedido ao Supremo Tribunal Federal (STF) para investigar o presidente Jair Bolsonaro (PL) por suposta interferência na Petrobras. A ação é motivada após o ex-presidente da companhia Roberto Castello Branco afirmar, em um grupo privado, que seu antigo telefone tinha provas que poderiam incriminar o mandatário.

Em um grupo privado de mensagens com economistas, Castello Branco diz que antigo seu celular corporativo tinha mensagens e áudios que provavam que Bolsonaro tinha interferido na Petrobras. O caso foi antecipado pelo site “Metrópoles”.

O aparelho foi devolvido à companhia após Castello Branco ter deixado a presidência da Petrobras, no início do ano passado. Na conversa, o ex-presidente não detalha quais seriam os crimes que Bolsonaro teria cometido.

No pedido ao STF, Randolfe pede, além da abertura do inquérito contra Bolsonaro, por parte da Procuradoria-Geral da República (PGR), que Castello Branco preste depoimento sobre o caso e que o celular citado seja apreendido para ser periciado. O senador pede também que as mensagens que eventualmente forem encontradas sejam divulgadas.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

“Solicitamos a Vossa Excelência que se oficie ao Procurador-Geral da República para analisar a abertura de inquérito investigativo em face do Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, para que esclareçam os fatos e os eventuais crimes cometidos por ele contra o erário público, com a tomada urgente de depoimento do Sr. Roberto Castello Branco, ex-presidente da Petrobras, e de Rubem Novaes, ex-presidente do Banco do Brasil, bem como a tomada das medidas acautelatórias indispensáveis ao esclarecimentos dos fatos, tais como a busca e apreensão do telefone celular indicado, a sua perícia e a imediata publicidade sobre os conteúdos que digam respeito ao caso, que contempla manifesto interesse público subjacente”, disse no documento.

Randolfe pede ainda que a apreensão do celular seja feita o mais rápido possível a fim de evitar que o conteúdo das mensagens sejam apagados.

“Tal medida acautelatória é, por pressuposto, urgente, na medida em que há real risco de iminente apagamento de todos os dados que porventura impliquem o Presidente da República em atos criminosos.”

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana