ultimas

Rondonópolis inaugura novo parque ecológico

Publicados

em


A prefeitura de Rondonópolis entregou nesta terça-feira (28) uma nova opção de espaço e lazer para a comunidade da região da Vila Cardoso. Com área total de 20.800 m², o Parque Arareau “Dimas de Oliveira Castro” tem pistas de caminhada, campos de futebol, quadras de areia, quiosques e estacionamento.
Para tornar o local pronto para receber crianças, jovens e adultos a Prefeitura fez uma transformação do espaço que já serviu como depósito de lixo e foi até invadido por “grileiros” para construir casas. A criação do Parque foi possível com o trabalho conjunto de lideranças comunitárias, classe política municipal e federal e do prefeito Adilton Sachetti.
“A construção desse parque deve motivar ainda mais as pessoas para dar mais importância ao meio ambiente e pensar em projetos como esse que surgiu de uma iniciativa da própria comunidade local” comentou o prefeito Sachetti. Ele lembrou que assim como o Parque Arareau outras áreas estão recebendo tratamento especial para cuidar do meio ambiente, como o Escondidinho, Lageadinho e o recém criado Parque André Maggi.
Além da obra estrutural, o município vai realizar ainda um trabalho de preservação ambiental das margens do córrego Arareau, com o plantio de mudas que devem recuperar a mata ciliar do espaço e junto com isso deve ser realizada a conscientização dos moradores da região e também de quem passar pelo Parque.
O vereador Olímpio de Souza Alvis, um dos idealizadores do projeto, agradeceu o apoio da Prefeitura que deu a oportunidade de cuidar do meio ambiente e lembrou do trabalho incansável em tornar realidade de transformar o local e ainda preservar as margens do córrego Arareau.
No último fim de semana a comunidade local em parceria com a Prefeitura plantou cerca de 1.500 mudas de árvores de espécies como Ingá, Sarã, Imbaúba, Angico, Aroeira, Cedro, Genipapo, Cajuzinho do cerrado e Ipê.

RAFAEL OTAVIANO
Redação/Ascom

Comentários Facebook
Propaganda

ultimas

Paulinha Abelha, do Calcinha Preta, morre em consequência da encefalite

Publicados

em

A cantora Paulinha Abelha, vocalista da banda Calcinha Preta, morreu nesta quarta-feira (23.02), aos 43 anos, em Aracaju. Ela foi internada no dia 11 de fevereiro, com problemas renais e o problema evoluiu para uma encefalite. A artista morreu às 19h26 em decorrência de um quadro de comprometimento multissistêmico, segundo nota divulgada pela assessoria de comunicação do Hospital Primavera. om encefalite. Inicialmente a cantora apresentou um quadro de infecção renal e foi internada para fazer diálise, mas o problema se agravou, ela entrou em coma e os médicos ainda tentam descobrir o que provocou a encefalite.

“O Hospital Primavera comunica, com pesar, que a cantora, Paula de Menezes Nascimento Leca Viana, Paulinha Abelha, faleceu hoje às 19h26 em decorrência de um quadro de comprometimento multissistêmico. Nas últimas 24 horas apresentou importante agravamento de lesões neurológicas, constatadas em ressonância magnética, e associada a coma profundo. Foi então iniciado protocolo diagnóstico de morte encefálica, que confirmou hipótese após exames clínicos e complementar específicos. Ela estava internada no Hospital Primavera desde o dia 17 de fevereiro, sob os cuidados das equipes médicas de terapia intensiva, neurologia e infectologia”, diz a nota de falecimento.

O SUA SAÚDE AQUI falou sobre a doença da cantora dia 17. Saiba mais  aqui

QUEM FOI PAULINHA

Carreira e volta ao Calcinha Preta Nascida em 16 de agosto de 1978, Paula de Menezes Nascimento é natural do interior de Sergipe. Ela iniciou a carreira musical aos 12 anos, cantando em bandas locais e trios elétricos em pequenas cidades sergipanas. Antes do Calcinha Preta, ela chegou a tentar a carreira com outros grupos, criados por ela.

Por 3 anos, cantou na banda Flor de Mel, um investimento próprio que precisou interromper pela falta de recursos financeiros, tanto dela quanto de seus pais. Apesar da tristeza, Paulinha não desistiu, e pouco tempo depois foi selecionada para integrar a banda Panela de Barro. Ela ficou no grupo por mais três anos, período em que ganhou experiência e habilidade com o público. O destaque a nível nacional, no entanto, veio a partir de 1998, quando ela entrou para o Calcinha Preta após ser descoberta pelo empresário Gilton Andrade. O grupo, que é um dos maiores nomes do forró eletrônico, foi formado em 8 de dezembro de 1995 e, desde então, já passou por diversas formações.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana