TECNOLOGIA

Robôs da Samsung arrumam a casa toda sozinhos; conheça as novidades

Publicados

em


source

Olhar Digital

Samsung CES robô
Divulgação/Samsung

JetBot, da Samsung, limpa a casa sozinho

A Samsung realizou nesta segunda-feira (11) sua apresentação  na CES 2021 , com grande foco em robótica. A empresa apresentou três produtos equipados com inteligência artificial , e o destaque vai para um novo robô da Samsung que pode ajudar nas tarefas domésticas.

O Bot Handy é um robô da Samsung que utiliza a inteligência artificial para navegar pela casa do usuário e se vale de um braço mecânico para poder reconhecer e pegar objetos, permitindo organizá-los. Durante a apresentação, um exemplo de aplicação desta capacidade foi a de coletar a louça suja e colocá-la na lavadora.

Outro robô da Samsung é o Bot Care , apresentando pela companhia como um assistente pessoal. Fazendo uso de inteligência artificial , a máquina reconhece padrões de comportamento para oferecer sugestões e apoiar o cotidiano do usuário.

Dois dos exemplos de funcionalidade apresentados foram o de dar lembretes para que a pessoa levante de sua cadeira regularmente para esticar o corpo e avisar sobre uma videoconferência que está prestes a começar, trazendo para junto do usuário um tablet para realizar a chamada.

Os dois produtos ainda estão longe da realidade, no entanto. A Samsung acrescenta que nenhum deles está disponível para venda e que as capacidades demonstradas em vídeo ainda estão restritas a um ambiente de testes, o que significa que pode demorar um pouco para que o produto possa estar na casa das pessoas.

O último robô da Samsung é mais próximo da realidade: o JetBot AI+, que chega ao mercado ainda no primeiro semestre. É um robô-aspirador que conta com inteligência artificial para navegar pela residência e reconhecer objetos delicados, como vasos, para manter uma distância segura. Equipado com câmera, ele também permite monitorar a casa à distância e interagir com outros aparelhos conectados.

Outros anúncios

Além dos robôs, a Samsung apresentou uma série de outras novidades, incluindo serviços, com destaque para o SmartThings Cooking, uma plataforma para ajudar o usuário a gerenciar sua alimentação, com um planejador de refeições e receitas, além de conexão com mercados para realizar pedidos de mantimentos automáticos entregues em casa.

A companhia também confirmou o Samsung Health Smart Trainer, que chegará às TVs da empresa em 2021, com um personal trainer virtual que utiliza uma câmera acoplada ao televisor para acompanhar o desempenho físico do usuário e oferecer feedback com base no desempenho.

A Samsung reforçou que a tecnologia Micro LED está chegando a um formato mais convencional de TVs após ser incorporado apenas ao mirabolante modelo “The Wall”. A empresa confirmou o modelo de 110 polegadas, capaz de iluminar individualmente cada pixel na tela, proporcionando o “preto real” e contraste infinito utilizando LEDs inorgânicos. A companhia destaca recursos como o “4Vue”, que permite dividir a tela em até quatro partes para acompanhar diferentes conteúdos simultaneamente.  

Por fim, a companhia falou da geladeira Bespoke, uma linha de geladeiras personalizáveis, que podem ter diferentes cores, tamanhos e formatos, dependendo da preferência do consumidor. O equipamento, que já estava disponível na Ásia, agora começará a ser vendido nos Estados Unidos.

Comentários Facebook
Propaganda

TECNOLOGIA

Superapps: os aplicativos ‘tudo em um’ têm espaço no Brasil?

Publicados

em


source
Superapps são tendência global
Unsplash/Rob Hampson

Superapps são tendência global



Há alguns anos, ouvimos falar sobre a tendência dos superapps , os aplicativos que reúnem diversos serviços e produtos em um só, facilitando a vida dos usuários.

Quando se fala em superapps, um dos mais famosos e citados é o chinês WeChat . O aplicativo é um verdadeiro canivete suíço digital e permite troca de mensagens, consultas médicas, delivery, paquera, compra de produtos, pedidos de táxi, publicações, assistir a vídeos e muito mais – tudo na mesma aplicação.

No Brasil, a ideia de reunir diversas funções em um só aplicativo também vem ganhando espaço. Por aqui, um dos maiores exemplos é o Rappi , que começou como um serviço de delivery, mas já possui jogos, recursos de transmissões ao vivo , venda de pacotes de viagens e eventos online. Outros exemplos são o Ame, Magalu e PicPay, que reúnem alguns serviços em um só app.

“O superapp nada mais é que uma resposta que a sociedade, na figura do consumidor, está dando para as empresas”, analisa Paulo Marcelo, CEO da empresa de tecnologia Solutis.

Você viu?

O especialista afirma que, cada vez mais, os usuários estão buscando praticidade, podendo encontrar diversas funcionalidades em um só aplicativo , ao contrário de ter vários sistemas instalados. Ele analisa, ainda, que embora não haja um superapp tão popular como o WeChat no Brasil, o cenário nacional segue uma tendência global e tem avançado nesse sentido.

Superapps em diversos setores da economia

Paulo afirma que o setor que mais investe em superapps é o varejo, que vem ultrapassando o conceito de compra e venda, com plataformas apostando também em outros serviços. Um dos exemplos é o app Magalu que, além de vender produtos do Magazine Luiza, também oferece cashback, compras de produtos de outras empresas parceiras e até supermercado.

Outro setor que tem apostados bastante nessa tendência é o financeiro. “O consumidor quer ter o canal com seu banco explorando outras alternativas, integrando não só produtos financeiros, mas também outros produtos de varejo, de serviços”, afirma Paulo.

Para o especialista, a área da saúde também pode se beneficiar bastante dessa tecnologia, já que o setor pode ser integrado em diversos sentidos. Paulo analisa que farmácias, hospitais e laboratórios, por exemplo, poderiam se integrar em uma só plataforma de telemedicina , prática que vem crescendo durante a pandemia de Covid-19 .

“Quando você faz uma teleconsulta com seu médico, isso tem a capacidade de se integrar com a compra de medicamentos, com suas receitas eletrônicas digitais, com disparar para fazer exames medicos”, exemplifica. “A saúde publica precisa se aproximar mais disso”.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana