BRASIL E MUNDO

RJ tem menor número de homicídios dolosos em 31 anos

Publicados

em

source
Operação policial em Jacarezinho, RJ
Ricardo Moraes/RJ – 06.05.2022

Operação policial em Jacarezinho, RJ

Pesquisa do Instituto de Segurança Pública (ISP) divulgada nesta quinta-feira (19) mostra uma queda nos registros de ocorrências criminais nas delegacias de polícia do estado do Rio de Janeiro.

Só no início desse ano, entre janeiro e abril, 1.025 pessoas foram assassinadas no estado do Rio, casos registrados como homicídio doloso, quando o autor tem intenção de matar. Apesar de alto, os dados apresentam queda 17% nas ocorrências nos primeiros quatro meses do ano, comparado ao mesmo período do ano anterior.

Esse é o menor número registrado nas delegacias do Rio de Janeiro desde 1991. Para se ter uma ideia, em 2021, o estado do Rio de Janeiro registrou 3.245 assassinatos. Esse dado que coloca o estado entre os mais violentos do país, ficando atrás somente de regiões do norte e nordeste.

Contudo, as quedas nos índices são bem vindas. Para Marcela Ortiz, presidente do ISP, “as constantes reduções expressivas nos índices de criminalidade do estado são resultado de investimento na segurança pública e nos servidores das forças de segurança feitos pelo governador do estado”.


Os números também caíram nas ocorrências envolvendo agentes do estado onde resulta em letalidade violenta. Uma queda de 23% com registro de 1.455 vítimas.  Incluindo de homicídio doloso, lesão corporal seguida de morte, roubo seguido de morte e morte, por intervenção de agente do estado. 

Já as ocorrências com mortes por intervenção de agente do estado apresentaram diminuição de 32% no período. O menor índice em 31 anos, somando 405 mortes com intervenção de agende do estado no primeiro quadrimestre. 

Crimes contra o patrimônio, como roubos de veículos e os roubos de carga registraram reduções expressivas no primeiro quadrimestre do ano, de 14% e 8% respectivamente e pela segunda vez consecutiva, os roubos seguidos de morte (latrocínio) caíram mais da metade. Um total de 16 vítimas em 2022, contra 39 em 2021.

Nos primeiros quatro meses deste ano, os roubos de rua (roubo a transeunte, roubo em coletivo e roubo de aparelho celular) tiveram queda de 21% no estado, somando 19.348 casos, contra 24.414 no mesmo período de 2021. Esse é o menor índice para o período desde 2005.

Os dados divulgados pelo ISP são referentes aos registros de ocorrência lavrados nas delegacias de Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro no mês de abril.

Comentários Facebook
Propaganda

BRASIL E MUNDO

Dia da Luta da População em Situação de Rua: Praça da Sé receberá ação

Publicados

em

Praça da Sé receberá evento sobre Dia da Luta da População de Rua
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL

Praça da Sé receberá evento sobre Dia da Luta da População de Rua

Nesta sexta-feira, 19 de agosto das 9h às 18h, a Praça da Sé, em São Paulo , recebe evento que marca o Dia da Luta da População em Situação de Rua. Na mesma região, em 2004, sete moradores em situação de rua foram mortos enquanto dormiam e oito foram feridos. Desde então, movimentos sociais adotaram o dia para dar visibilidade a essa população.

O evento é organizado pelos Movimento Nacional de Luta pela População em Situação de Rua, Movimento Estadual da População em Situação de Rua de São Paulo; Movimento Nacional da População em Situação de Rua; e pelo Fórum Cidades em Defesa da População em Situação de Rua, com apoio da Prefeitura de São Paulo, via Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC), Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS) e Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Haverá uma unidade móvel para auxiliar na inscrição no CadÚnico, equipes de abordagem social; aplicação de vacinas da gripe e da Covid-19 e distribuição de 800 marmitas do Programa Cozinha Cidadã.

Também serão oferecidos os serviços do Centro de Promoção e Defesa dos Direitos da População em Situação de Rua, da SMDHC. Na unidade itinerante que funciona em um ônibus adaptado, as pessoas receberão atendimento individual especializado; orientações, articulações e encaminhamentos para acesso a serviços públicos e equipamentos socioassistenciais, de saúde, educação, cultura e acesso ao trabalho além de ações de proteção e apoio para defesa em situações de violação de direitos à população em situação de rua.

A unidade móvel do Núcleo de Cidadania e Direitos Humanos da Defensoria Pública do Estado de São Paulo também estará no local. Haverá ainda atrações culturais que foram articuladas pelos movimentos envolvidos na organização.

Prêmio 19 de Agosto

Desde 2019, a SMDHC concede o Prêmio 19 de Agosto para iniciativas de organizações e pessoas físicas que desenvolvem trabalhos para a população em situação de rua na cidade de São Paulo.

Na 3ª edição do Prêmio, realizada em 2021, o Coletivo Projeto Vida, organizado por Clair Aparecida da Silva Santos, ganhou o primeiro lugar na categoria Pessoa Física. “Foi fundamental receber o prêmio, não só pela premiação em dinheiro, mas pelo reconhecimento governamental do projeto”, disse Clair Santos, que criou a iniciativa durante a pandemia de Covid-19 com o objetivo de promover a articulação e a formação de uma rede de apoio entre a sociedade civil, setores públicos e privados, para desenvolver ações para auxiliar a população em situação de rua com os cuidados para evitar a contaminação pelo coronavírus.

O dinheiro do prêmio foi utilizado para fortalecer o trabalho de três instituições: a Casa do Povo, no Bom Retiro; o Coletivo Imagens, no Grajaú, e o Consultório na Rua em Cidade Tiradentes; e também para realização do ‘Novembro Bem Garota’, para pessoas transexuais e travestis, e pagamento do frete de uma doação de 700 livros que o Projeto Vida recebeu e distribuiu.

Já na categoria Pessoa Jurídica, o prêmio foi para o Centro de Integração Social pela Arte, Trabalho e Educação (Cisarte), que atende pessoas em situação de rua na Bela Vista, região central de São Paulo. “O Prêmio 19 de Agosto é uma conquista do Movimento Nacional da População em Situação de Rua, da sociedade e do governo.

Ele é um símbolo na luta do direito da pessoa em situação de rua ser reconhecida como cidadã. Ficamos muito felizes em receber a premiação, que ajudou com as despesas mensais do espaço, na compra de insumos para as oficinas e na oferta de café da manhã”, disse Darcy Costa, presidente da Cisarte, que funciona diariamente, das 9 às 17 horas, no Viaduto Pedroso.

As inscrições para a edição deste ano foram fechadas em 15 de agosto e o evento de premiação das iniciativas vencedoras da quarta edição do Prêmio 19 de Agosto será realizado em setembro de 2022.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Nacional

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana