TRIBUNAL DE JUSTIÇA MT

Resolução de conflitos e cultura da paz são temas de aula a juízas e juízes em formação

Publicados

em


O empenho do Poder Judiciário de Mato Grosso na promoção da cultura da paz se materializa em uma estrutura que vai desde o Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemec) aos 46 Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejuscs). Responsável por explicar como funcionam as unidades e o trabalho realizado com as conciliações, por exemplo, a coordenadora do Nupemec, juíza Cristiane Padim da Silva, foi a palestrante no Curso Oficial de Formação Inicial (Cofi) dos novos juízas e juízes, quarta-feira (13).

Ela contou que o Nupepec foi inaugurado em 20 de julho de 2011, por meio da Resolução no 12/2011. A primeira sessão de mediação em foi conduzida, à época, pela desembargadora Clarice Claudino da Silva.
Cristiane Padim ainda abordou a experiência do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) com a mediação e conciliação e avalia que as iniciativas que vieram ao longo da última década auxiliaram na resolução de conflitos e que tem feito diferença na vida das pessoas que procuram o Judiciário. Destacou que os juízes e juízas têm papel importante nesse processo que considera de amadurecimento e de evolução da sociedade.
 
“Todo lugar que estamos podemos fazer a diferença, se quisermos. Pensando no contexto de força, superação, sabemos que a vida, enquanto magistrado, é de superação no dia a dia, desde os estudos para a aprovação no concurso até a atuação nas comarcas. Contem comigo, somos parceiros. Vamos manter essa unidade, vamos nos identificar uns com os outros e vamos nos unir. Juntos somos sempre mais fortes. Lembrem-se que quem sabe as nossas dores são nossos colegas da magistratura”, afirmou aos colegas em formação.
 
Uma das ciências humanas e sociais que tem sido muito destacada no campo jurídico é a psicologia. Nesse sentido, a juíza abordou casos concretos envolvendo parâmetros e conceitos da psicologia judiciária no direito de família, no direito penal e na criminologia no direito da criança e do adolescente.
 
A facilitadora apontou a relevância de magistrados e magistradas entenderem perspectivas gerais sobre transtornos de personalidade e violência, como os elementos formativos de laudos e pareceres psicológicos, o estudo social, o estudo psicológico, o estudo psicossocial de fatos e atos intersubjetivos.
 
Os encontros do Cofi são realizados diariamente, pela manhã, na Escola Superior da Magistratura (Esmagis-MT), responsável pela realização da capacitação.
 
 
Esta matéria possui recursos de texto alternativo para promover a inclusão das pessoas com deficiência visual.
Descrição da imagem: Foto colorida onde a palestrante aparece em pé segurando um microfone enquanto fala à turma de juízas e juízes.
 
Andhressa Barboza/Fotos: Alair Ribeiro
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
 

 

Comentários Facebook
Propaganda

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MT

Judiciário oferecerá oficinas de Empreendedorismo para jovens que cumprem medidas socioeducativas

Publicados

em

O Poder Judiciário de Mato Grosso realizará a partir desta terça-feira (16 de agosto) o ‘Ciclo de Oficinas no Socioeducativo: Arte e Empreendedorismo na Socioeducação’, em parceria com a Secretaria de Segurança Pública do Estado (SESP).
 
O evento é uma iniciativa do Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e Socioeducativo de Mato Grosso (GMF), que oferecerá palestras e oficinas de empreendedorismo, de 16 de agosto a 23 de setembro, aos (às) adolescentes que cumprem medida socioeducativa na unidade masculina e feminina do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) de Cuiabá, Complexo Pomeri.
 
A ação tem o objetivo de oportunizar novas possibilidades e perspectivas aos adolescentes a partir do empreendedorismo. Eles aprenderão a criar uma marca, fazer gestão das redes sociais da empresa, precificar produtos, comercializar a mercadoria e demais assuntos relacionados ao ato de empreender, para que assim possam, em liberdade, garantir um novo futuro.
 
A entrega do projeto será de um plano para micro ou pequeno negócio pronto para a execução e com a identidade visual. Os cursos serão realizados por meio de parceria no formato voluntariado, com profissionais que irão ministrar cursos gratuitamente para oficinas de artesanato, culinária, danças étnicas e operacionalização de eventos, com a finalidade de promover aos adolescentes, por meio da capacitação e apoio técnico, oportunidades de emprego, geração de renda e inclusão social.
 
Palestra Magna – Após o início das atividades, os jovens participarão no dia 19 de agosto da ‘Palestra Magna: Autoestima e Empreendedorismo’, com a presença do supervisor do GMF, desembargador Orlando Perri. Serão oferecidas oficinas para produção de mandalas, tortas de frango no pote e restauração de móveis.
 
Também será disponibilizado aos jovens todo material de apoio com conteúdos relacionados às oficinas. A ideia do projeto do Judiciário é que as ações possam ser expandidas futuramente para todas as Comarcas que possuam unidades do Socioeducativo no Estado.
 
 
Marco Cappelletti
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
 
 

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana