POLÍTICA NACIONAL

Relatora propõe mudanças em projeto que define crimes contra o Estado Democrático de Direito

Publicados

em


Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
Discussão e votação de propostas. Dep. Margarete Coelho (PP - PI)
Margarete Coelho, relatora da proposta

A partir de emendas de Plenário, a deputada Margarete Coelho (PP-PI) apresentou mudanças no parecer ao Projeto de Lei 6764/02, que revoga a Lei de Segurança Nacional e acrescenta no Código Penal vários crimes contra o Estado Democrático de Direito.

No crime de violência política, a relatora retirou da tipificação de restringir o exercício de direitos políticos essa conduta em relação à orientação sexual. Também ficou de fora da caracterização do crime o uso de violência moral ou patrimonial.

Sabotagem
Quanto ao crime de sabotagem, Margarete Coelho excluiu a pena reduzida para os atos preparatórios de sabotagem se o fato não constituísse crime mais grave.

Espionagem
No crime de espionagem, além do fornecimento de documentos também será crime fornecer informações classificadas como secretas ou ultrassecretas.

Mais informações em instantes

Acompanhe pelo YouTube

Reportagem – Eduardo Piovesan
Edição – Pierre Triboli

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

49% apoiam impeachment de Bolsonaro, e 46% são contra, aponta Datafolha

Publicados

em


source
Quase 50% apoiam impeachment de Bolsonaro, enquanto 46% são contra
Reprodução: iG Minas Gerais

Quase 50% apoiam impeachment de Bolsonaro, enquanto 46% são contra

Em meio ao andamento da CPI da Covid, o índice da população que apoia o impeachment do presidente Jair Bolsonaro já é maior, numericamente, do que o número de quem é contrário ao afastamento. É a primeira vez que o índice de quem é favorável ao impeachment supera os críticos ao processo, de acordo com pesquisa Datafolha divulgada neste sábado.

Entre os investigados, 49% são favoráveis ao processo. Já 46% se dizem contrários ao afastamento do presidente. O Datafolha entrevistou presencialmente 2.071 pessoas em todo o Brasil entre terça-feira e quarta-feira. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, com nível de confiança de 95%.

A reprovação ao impeachment é de 52% entre homens e no Sul do país e de 60% entre entrevistados que dizem não ter medo do coronavírus, 57% entre evangélicos e 56% entre assalariados registrados.

Já o apoio ao afastamento é maior entre jovens de 16 a 24 anos (57%), moradores do Nordeste (57%), desempregados que procuram emprego (62%) e entrevistados que dizem ter muito medo do coronavírus (60%). Entre eleitores do ex-presidente Lula, o apoio ao afastamento é de 74%.

Você viu?

O levantamento foi divulgado na mesma semana em que a avaliação do governo do presidente atingiu a pior marca desde o início do mandato, segundo pesquisa Datafolha divulgada na noite desta quarta-feira.

O percentual dos que consideram a gestão ótima ou boa caiu de 30% em março, quando foi feito o levantamento anterior, para 24% neste.

O índice dos que consideram o governo ruim ou péssimo era 44% e agora 45% na pesquisa, realizada entre esta terça-feira e esta quarta-feira, com 2.071 entrevistas presenciais em 146 municípios de todo o Brasil. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

A avaliação de ótimo ou bom do Bolsonaro é maior entre os homens (29%) do que entre as mulheres (21%). Entre pessoas com 16 a 24 anos, apenas 13% acham a gestão ótima ou boa. O maior índice de aprovação está entre quem têm 60 anos ou mais (29%).

Já a classificação por escolaridade demonstra impopularidade maior entre os que estudaram mais. Enquanto entre os brasileiros com ensino superior chega a 57% a taxa de ruim ou péssimo, o percentual despenca para 40% entre as pessoas que têm só o ensino fundamental.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana