BRASIL E MUNDO

Rede Ebserh realiza ações educativas sobre o câncer de mama

Publicado


O câncer de mama é uma das principais causas de morbidade e mortalidade no mundo, causando um forte impacto financeiro sobre os sistemas de saúde e afetando 1,3 milhões de mulheres a cada ano. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), estima-se que uma em cada oito mulheres pode desenvolver essa neoplasia durante o seu tempo de vida. Causada pela multiplicação desordenada de células da mama, gerando células anormais que provocam o tumor, o câncer de mama é o tipo mais comum entre as mulheres e pode acometer os homens, embora seja raro e represente apenas 1% dos casos.

Nos hospitais da Rede Ebserh, vinculada ao Ministério da Educação, são desenvolvidas ações com intuito de divulgar informações de conscientização sobre a doença durante todo o ano e intensificadas no mês de outubro.

O Complexo Hospitalar da Universidade Federal do Pará (UFPA), além de atender a população, decidiu também contemplar as funcionárias que se dedicaram ao cuidado dos pacientes durante o contexto de covid-19 e que ainda não puderam realizar seu exame preventivo de mamografia. Até o dia 30, pacientes regulados do Sistema Único de Saúde (SUS), demanda interna de pacientes e colaboradoras dos hospitais Bettina Ferro de Souza (HUBFS) e João de Barros Barreto (HUJBB) podem realizar exame de mamografia e ainda receber orientações multiprofissionais, além da garantia de tratamento, caso necessário. São previstos 400 atendimentos até essa data.

Durante esse mês, o Hospital das Clínicas do Recife (HC-UFPE/Ebserh) realizou cirurgias de reconstrução mamária e ações educativas. Foram operadas cinco mulheres que são tratadas pelo HC e aguardavam pelo procedimento. As ações educativas contemplaram a distribuição de material informativo, exibição de vídeos, distribuição de laços cor-de-rosa, além de uma campanha de arrecadação de lenços e produtos de higiene e de beleza a serem doados às pacientes.

A Unidade de Diagnóstico por Imagem do Hospital Universitário Professor Polydoro Ernani de São Thiago (HU-UFSC) realizou quatro mutirões com o objetivo de zerar a demanda para um exame de mama específico: core biópsia guiada por ultrassom. O procedimento serve para coletar amostras do tecido mamário, que são enviadas para detectar doenças, como o câncer de mama. Também foi elaborada uma série de mensagens positivas para a campanha.

A Maternidade Escola Januário Cicco (Mejc-UFRN/Ebserh) iluminou sua fachada de rosa e disponibilizou consultas com mastologistas e exames de mamografia e ultrassonografia mamária para funcionárias, além de um conteúdo informativo de vídeos com depoimentos de pacientes que venceram o câncer de mama.

Sobre a Rede Ebserh

Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.

Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e, principalmente, apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas.

Com informações da Rede Ebserh

Fonte: Brasil.gov

Comentários Facebook
publicidade

BRASIL E MUNDO

Sete trabalhadores são resgatados em condição de escravidão na Aeronáutica

Publicado


source
Funcionários foram resgatados em condição de escravidão em Anápolis
Folhapress/Reprodução

Funcionários foram resgatados em condição de escravidão em Anápolis

Sete trabalhadores responsáveis pela construção de um hangar de uma da Aeronáutica em Anápolis (GO) foram resgatados em condições análogas à escravidão por grupo que inclui auditores fiscais do trabalho e MPT (Ministério Público do Trabalho). As informações são da Folhapress .

Os operários atuavam para uma empreiteira contratada pela Força Aérea para erguer uma estrutura metálica na Base Aérea de Anápolis (GO), a 150 quilômetros de Brasília.

Os trabalhadores moravam em um alojamento que fica a quatro quilômetros da base aérea. Eles faziam o serviço diariamente, inclusive aos sábados, domingos e feriados com frequência.

Na casa onde foram instalados, os auditores fiscais e procuradores do trabalho encontraram falta de condições mínimas de acomodação e de higiene, além da falta de comida.

Os documentos da fiscalização feita registram que os operários, levados de outros estados para a cidade em Goiás, tiveram de recorrer à fritura de formigas tanajuras para matar a fome.

O MPT (Ministério Público do Trabalho) ajuizou uma ação na Justiça do Trabalho pedindo a rescisão de contratos e o pagamento das verbas rescisórias, em caráter liminar (decisão provisória).

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana