direitos humanos

Rádio Nacional apresenta série especial sobre saneamento na Amazônia

Publicados

em

Rádio Nacional leva ao ar duas reportagens temáticas sobre o investimento em saneamento básico na Amazônia. O especial é apresentado nesta segunda e terça, dias 16 e 17 de maio, na programação jornalística da emissora, no noticiário Repórter Nacional. O conteúdo da produção ainda ficará disponível na Radioagência Nacional.

As matérias destacam as ações para oferta de água tratada e recolhimento de esgoto a partir da realidade das regiões ribeirinhas de Manaus, no Amazonas. A proposta é contextualizar o ouvinte para mostrar como esse trabalho é feito, explicar os métodos mais eficazes e apontar os benefícios para a população.

Com reportagem de Daniel Ito, a produção especial teve sonoplastia de Messias Melo. A Rádio Nacional viajou até a capital do Amazonas a convite da empresa Águas de Manaus, que é responsável pelo serviço de saneamento básico na cidade.

Realidade local

Metrópole industrial em plena Floresta Amazônica, Manaus fica assentada às margens do Rio Negro, quase no encontro com o Rio Solimões. A capital amazonense abriga cerca de 3,7 milhões de pessoas em seu território.

O clima da região faz com que parte da cidade fique alagada durante metade do ano, na época das chuvas. Essa condição impõe um verdadeiro desafio para levar água tratada e fazer a coleta de esgoto para a população manauara.

Conteúdo voltado ao cidadão

A primeira matéria aborda as peculiaridades das regiões onde ficam as comunidades ribeirinhas. A Rádio Nacional foi até o bairro Cachoeirinha onde a população de baixa renda vive em casas elevadas com palafitas sobre um antigo igarapé que atualmente está contaminado.

A série acompanha as mudanças para os moradores dessas áreas de Manaus que passaram a receber água tratada. A produção investiga o processo que possibilitou melhoras na qualidade de vida e redução das doenças. Habitantes e autoridades comentam essa transformação com a nova infraestrutura instalada.

A segunda reportagem especial ressalta de que modo a capital do estado está em busca de universalizar o acesso da população à água tratada e potável. A equipe da Rádio Nacional visita a comunidade João Paulo Quarta Etapa, formada por quase 2 mil famílias de baixa renda.

A produção jornalística esclarece que o consumo de água contaminada é a origem de inúmeras doenças como cólera, hepatite A, rotavírus, giardíase e leptospirose. Por isso, o saneamento básico é um serviço essencial para garantir a qualidade da saúde pública.

Apesar das vantagens do abastecimento, alguns habitantes resistem à instalação da rede de água tratada com receio de não conseguir pagar a tarifa. A questão social está presente na região. A concessionária tenta atuar mais próxima à sociedade para elucidar situações dessa natureza. A ideia é entender o perfil de consumo e implementar a tarifa social para a população vulnerável.

Edição: –

Fonte:

Comentários Facebook
Propaganda

direitos humanos

Ação da Cidadania lança mobilização para o Pacto pelos 15% com Fome

Publicados

em

A Ação da Cidadania, em parceria com outras instituições, lançou hoje (23) o Pacto pelos 15% com Fome, uma convocação à sociedade para a luta contra a insegurança alimentar. O objetivo é mobilizar empresas, grupos de mídia, agências de comunicação e publicidade, cidadãos, instituições e organizações não governamentais (ONGs) para que façam parte do movimento, apoiando campanhas e projetos de entidades que atuarão junto ao pacto, seja fazendo doações ou até mesmo dedicando tempo ao voluntariado.

A plataforma www.15por15.org estará disponível nesta quinta-feira, com informações sobre o lançamento do pacto e sobre como é possível participar do movimento. A ideia é que empresas e pessoas físicas ou jurídicas possam criar suas ações para doar R$ 0,15, R$ 15, R$ 15 milhões, 15 segundos, minutos ou porcentagem de vendas. “Afinal, todo mundo tem 15 de alguma coisa para doar. E, para 15% dos brasileiros, esta é a única esperança”, diz a organização.

O lançamento da plataforma ocorreu ao final do Encontro Nacional Contra a Fome, no Rio de Janeiro, que debateu propostas para a solução da fome no Brasil durante três dias. A nova edição da Agenda Betinho também foi um dos destaques do evento. Este ano, o documento apresenta 92 propostas para o país e suas cinco regiões, com o objetivo de contribuir com a garantia, o desenvolvimento e o fortalecimento das políticas públicas estaduais e nacionais de segurança alimentar.

No estado do Rio, são quase 6 milhões de pessoas vivendo em situação alimentar grave ou moderada, segundo a Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar (Rede Penssan). Os dados integram o 2º Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil, que revelou, recentemente, que 33,1 milhões de brasileiros não têm o que comer.

Edição: Nádia Franco

Fonte:

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana