POLÍTICA NACIONAL

‘Querem dar o golpe para me tirar do poder’, diz Bolsonaro sobre TSE

Publicados

em

 

source
'Querem dar o golpe para me tirar do poder', diz Bolsonaro sobre TSE

O  presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou, nesta segunda-feira (13), que ele pode ser vítima de um “golpe” para tirá-lo do poder. Ele voltou a criticar o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e a defender a apuração simultânea dos votos nas eleições.

“Querem me dar o golpe para me tirar do poder. É fácil resolver isso aí, vamos deixar a apuração simultânea do lado. Qual o problema?”, afirmou Bolsonaro, em em entrevista à uma rádio.

O presidente ainda repetiu críticas ao presidente do TSE, Edson Fachin, e ao ministro Roberto Barroso. Bolsonaro afirmou que Fachin “deve favores” ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e chamou o ministro de “lulista”.

Segundo Bolsonaro, o objetivo do governo com a ideia da apuração paralela dos votos é “dissipar essa dúvida”. A tal apuração seria feita pelas Forças Armadas. De acordo com ele, o “ideal” para garantir a segurança das eleições seria o voto impresso, mas a medida não passou no Congresso “por interferência direta” de Roberto Barroso.

“Ninguém quer dar golpe. Não quero é que volte para o Brasil alguém sem apoio popular”, disse. Bolsonaro voltou a dizer que houve fraude nas eleições de 2018 para evitar uma vitória dele já no 1º turno.

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

“Antibolsonaro é alergia, antipetismo é epidemia”, diz Ciro Nogueira

Publicados

em

Ciro Nogueira criticou o PT
Reprodução: commons – 08/04/2022

Ciro Nogueira criticou o PT

Nesta quinta-feira (18), o ministro da Casa Civil Ciro Nogueira (PP) usou seu perfil no Twitter para alfinetar o PT e defender o presidente Jair Bolsonaro (PL). Na avaliação dele, o antipetismo sempre existirá, enquanto o antibolsonarismo é um sentimento passageiro.

“Há quem não goste de Bolsonaro? Sim. Mas não existirá um antibolsonarismo. Já o antipetismo sempre existiu e nunca vai acabar. Antibolsonaro é alergia. Antipetismo é epidemia”, escreveu o ministro.

Ciro Nogueira já foi aliado do Partido dos Trabalhadores e chegou a dizer que estaria com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva “até o fim”, quando o líder nas pesquisas foi impedido pela Justiça de concorrer à Presidência em 2018.

Naquele ano, o PP decidiu apoiar o então candidato Geraldo Alckmin. Porém, Nogueira acabou se tornando um “rebelde” e resolveu fazer parte da campanha de Fernando Haddad (PT) já no primeiro turno, subindo no palanque petista.

Em 2017, o ministro da Casa Civil chegou a criticar o presidente Jair Bolsonaro (PL), chamando-o de fascista. “O Bolsonaro, eu tenho muita restrição, porque é fascista, ele tem um caráter fascista, preconceituoso, é muito fácil ir para a televisão e dizer que vai matar bandido”, declarou para a TV Meio Norte.

A postura em relação ao chefe do executivo federal mudou no ano passado, quando passou a ser cotado para comandar a Casa Civil. Nos últimos meses, ele tem usado as redes sociais para atacar o PT, posicionamento muito diferente de quatro anos atrás.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

TECNOLOGIA

MATO GROSSO

Política Nacional

Mais Lidas da Semana