CIDADES

Quase 16,5 mil pessoas foram abordadas em 5 dias de barreiras sanitárias

Publicado


.

Desde quarta-feira (8) até domingo (12), 16.462 pessoas foram abordadas nas barreiras sanitárias instaladas em 4 rodovias de acesso à Cuiabá, sendo que apenas 38 delas precisaram ser encaminhadas para unidade de saúde, por apresentarem sintomas de Covid-19. Ao todo, foram 7.994 veículos parados e higienizados.

Conforme a Vigilância Sanitária, este domingo (12), registrou o maior número de pessoas atendidas, 3.978 condutores e passageiros a bordo de 1.702 veículos. Apenas uma pessoa foi encaminhada para atendimento médico. 

A barreira mais movimentada no da foi a da Rodovia Emanuel Pinheiro (MT-251), que liga Cuiabá a Chapada dos Guimarães, com atendimento a 1.471 pessoas a bordo de 519 carros ou caminhonetes e 59 motocicletas, totalizando 578 veículos.

Na rodovia Palmiro Paes de Barros (MT-040), que liga a Capital a Santo Antônio do Leverger, foram 1.119 pessoas que tiveram sua temperatura corporal aferida e responderam ao questionário utilizado para triar aqueles que apresentam sintomas característicos da Covid-19. Ao todo, foram abordados 562 veículos, entre 484 carros ou caminhonetes e 78 motocicletas. 

Na rodovia Helder Cândia (MT-010), a Estrada da Guia, 939 pessoas a bordo de 342 carros/caminhonetes, 32 motocicletas e dois ônibus foram abordadas. Já a barreira sanitária da BR-163/364, saída para Rondonópolis, foi a que apresentou menor movimento, com atendimento a 449 viajantes em 186 veículos, sendo 170 carros/caminhonetes, um caminhão e 15 motocicletas. 

As barreiras sanitárias acontecem nessas quatro rodovias das 8h às 12h e das 13h às 17h. Nas abordagens, são efetuadas a aferição da temperatura corporal dos condutores e passageiros de veículos, aplicação de um questionário junto aos condutores e passageiros, e desinfecção dos pneus dos veículos com cloreto de benzalcônio. Caso a pessoa apresente sintomas da Covid-19, é orientada a procurar assistência médica em uma unidade e saúde mais próxima ou na rede privada. A medida visa reduzir o risco de contágio pelo novo coronavírus através do controle e acompanhamento daquelas pessoas que são detectadas com sintomas da Covid-19.

Fonte: AMM

Comentários Facebook
publicidade

CIDADES

Agosto Dourado: inicia mês de incentivo ao aleitamento materno

Publicado


.

A amamentação traz benefícios que vão além dos aspectos nutricionais. É um momento único de ligação entre mãe e filho. Para conscientizar sobre a importância do aleitamento materno desde as primeiras horas de vida até os seis meses de idade, a Secretaria de Saúde promove o Agosto Dourado.  

Durante todo o ano, os profissionais da Secretaria de Saúde de Tapurah, nas suas áreas de atuação, estão incumbidos de incentivar a amamentação com a população em geral, esclarecendo sobre os benefícios da amamentação para a mãe e para o bebê, sendo que, para o bebê, os benefícios serão estendidos ao longo de toda a sua vida. 

“O trabalho é contínuo o ano todo, mas em especial no mês de Agosto, as ações são intensificadas, este ano devido a pandemia, serão feitas de forma online e orientações individuais, levando informação ligadas à gestação, aos cuidados com o bebê, troca de experiências”. Conta o Secretário de Saúde, Marco Felipe. 

Os profissionais das Unidades Básicas de Saúde do município estão à disposição das gestantes e das mamães e familiares para todo e qualquer esclarecimento ou auxílio para que a amamentação no peito seja ofertada com prioridade, pelo menos nos seis primeiros meses de vida dos bebês. 

“Sabemos que as primeiras semanas dos recém-nascidos são as mais difíceis, principalmente nos primeiros 15 dias, é uma fase de adaptação para ambos, mamãe e bebê. Aquelas mães que tem o desejo de amamentar, que sabem da importância do leite materno para o seu filho, nós damos suporte, nas Unidades de Saúde. São diversos profissionais capacitados, que podem ajudar a mãe a conseguir amamentar o seu filho no peito”, diz a enfermeira Elizabete Gawski. 

O sucesso da amamentação não depende somente das condições orgânicas e fisiológicas da mãe e do bebê. Depende principalmente do real desejo da mãe em amamentar, da persistência, dedicação e do apoio familiar, em especial do parceiro. Ainda que haja desejo e apoio familiar e que esteja tudo funcionando bem na mãe e no bebê, podem surgir algumas dificuldades que são pertinentes ao processo de amamentação. A informação sobre o processo de amamentação e sobre os inúmeros benefícios para mãe para o bebê são fundamentais para que a mãe e a família se fortaleçam na decisão de amamentar. 

A recomendação da Organização Mundial de Saúde é que o aleitamento materno seja exclusivo durante os seis primeiros meses de vida do bebê e que, após o sexto mês, com a introdução de outros alimentos, ainda seja mantida até os dois anos de idade ou mais. 

Fonte: AMM

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana