POLÍTICA NACIONAL

PSDB se irrita com omissão do PP na campanha; partido deve ficar fora da gestão

Publicados

em


source
João Doria e Bruno Covas em comemoração da vitória no segundo turno das eleições em São Paulo
Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

João Doria e Bruno Covas em comemoração da vitória no segundo turno das eleições em São Paulo

O PSDB se irritou com o PP durante a campanha de Bruno Covas para a reeleição para a Prefeitura de São Paulo e deve deixar o partido de fora da composição da gestão que começa em janeiro de 2021. A avaliação de aliados do tucano é de que o PP não se esforçou para que Covas fosse reconduzido ao cargo.

O PP foi responsável pela nomeação de dois atuais secretários municipais no mandato de Covas que determina neste mês de dezembro: Maurício Bezerra Landim, no Esporte, e Carlos Roberto Queiroz Tomé, na Habitação.

Os aliados de Covas dizem não ter visto empenho dos candidatos do PP em reeleger o prefeito e analisam que ele pouco apareceu nos materiais de campanha do partido.

Com isso, deverão se abrir espaços para acomodar outras siglas da coligação. Os demais partidos são MDB, Podemos, PSC, PL, Cidadania, DEM, PTC, PV e PROS.

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Ministro da Saúde será ouvido nesta quarta-feira sobre vacinas e colapso no sistema hospitalar

Publicados

em


Itamar Aguiar/Palácio Piratini
Saúde - coronavirus - pandemia - Covid-19 - vacinas - vacinação - Chegada de vacinas ao RS
Chegada de vacinas contra a Covid-19 em Porto Alegre (RS)

A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados realiza audiência pública nesta quarta-feira (14) com a presença do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. O deputado Aureo Ribeiro (Solidariedade-RJ), autor do requerimento, disse que a audiência pretende discutir com Queiroga a situação das vacinas, a disposição de leitos e o planejamento para contenção da crise provocada pela Covid-19.

Na opinião do parlamentar, mesmo com o cenário de colapso do sistema de saúde, o Brasil tem uma taxa de vacinação baixa. “Precisaríamos de aproximadamente dois anos para que 70% da população seja vacinada. Em total desconformidade com um estudo da Universidade Federal de Juiz de Fora, que afirma a necessidade de o Brasil vacinar 2 milhões por dia para controlar a pandemia em até um ano”, afirma Ribeiro.

“Em meio a este cenário, para piorar a situação nacional, alguns estados sofrem com a falta de medicamentos para intubação de pacientes e tratamento da doença e oxigênio, como foi o caso do Amazonas”, lamenta o parlamentar.

Hora e local
A audiência pública será realizada às 13 horas, no plenário 11.

Da Redação – RS

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana