POLÍTICA NACIONAL

Próximo do PL, Bolsonaro quer Tarcísio no governo de SP e Salles no Senado

Publicados

em


source
Jair Bolsonaro e Tarcísio Gomes de Freitas, ministro da Infraestrutura
Antonio Cruz/Agência Brasil

Jair Bolsonaro e Tarcísio Gomes de Freitas, ministro da Infraestrutura

Com filiação engatilhada no PL de Valdemar da Costa Neto, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pretende fortalecer sua chapa lançando o ministro da Infraestrutura, Tarcísio dos Santos, ao governo de São Paulo, e o ex-chefe da pasta do Meio Ambiente, Ricardo Salles, ao Senado. As informações são da Folha de S. Paulo.

A candidatura do ministro da Infraestrutura já conta com o aval do presidente do PL. Tarcísio, porém, é quem ainda resiste à ideia. 

Salles, por sua vez, já teria aceitado a empreitada, com a condição de que Tarcísio aceite concorrer ao governo de São Paulo. Caso contrário, o ex-ministro do Meio Ambiente prefere se lançar à Câmara dos Deputados.

Bolsonaro não abre mão de ter um palanque forte em São Paulo — estado considerado ‘chave’ para a reeleição do chefe do Executivo. Tarcísio, no entanto, estaria mais disposto a concorrer ao Senado por Mato Grosso ou Goiás, estados onde acredita ter maior viabilidade eleitoral.


Leia Também

Impasses

Apesar de ter aceitado as exigências de Bolsonaro, interlocutores acreditam que Valdemar da Costa Neto seguirá trabalhando pela candidatura de Rodrigo Garcia (PSDB), atual vice de Doria, ao governo de São Paulo.

O acordo entre os dois já estava feito antes de Bolsonaro se aproximar do partido.

Em Goiás, Bolsonaro deseja ter o deputado Major Vitor Hugo (PSL) como candidato ao governo. O PL, porém, quer apoiar o prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha, que recentemente deixou o MDB.



Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

MP cria verbas para pagar Auxílio Brasil de R$ 400 em dezembro

Publicados

em


A edição extra do Diário Oficial da União (DOU) de hoje (7) trouxe o texto da Medida Provisória (MP) 1.076 de 2021, que antecipa o pagamento do novo valor do Auxílio Brasil – programa social de distribuição de renda que substitui o antigo Bolsa Família.

O instrumento cria um benefício extraordinário que complementa as parcelas já previstas do Auxílio Brasil para o valor de R$ 400 divulgado pelo governo. A manobra ocorre devido à necessidade de promulgação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios, que deverá ser fatiada e que possibilitará a alocação de recursos para o pagamento integral do Auxílio Brasil.

Segundo o calendário de pagamentos já divulgado pela Caixa, os créditos relativos à parcela de dezembro do Auxílio Brasil serão recebidos a partir da próxima sexta-feira (10).

Leia também:
» Veja o calendário do ciclo de pagamentos do Auxílio Brasil em dezembro

Mais cedo, o presidente Jair Bolsonaro comentou sobre a PEC dos Precatórios e afirmou que o instrumento não é “calote”, mas uma forma viável de realocar dívidas em prol de uma revisão justa de benefícios sociais.

“[A PEC dos Precatórios] não é um calote, muito pelo contrário. É uma renegociação, um alongamento de dívida para quem tinha mais de R$ 600 mil para receber do governo. É isso que nos permite um saldo, um espaço, para potencializar com justiça o programa”, disse o presidente durante a cerimônia de assinatura da concessão de frequências do 5G no Palácio do Planalto.

Título alterado às 8h22 para corrigir informação. O texto publicado em edição extra do Diário Oficial é uma medida provisória, e não um decreto.

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana