economia

Projeto do Senai vai qualificar trabalhadores para a indústria 4.0

Publicado


.

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) lançou projeto com o objetivo de capacitar trabalhadores em temas relacionados à chamada indústria 4.0. A iniciativa terá caráter experimental e será oferecida em parceria com o Ministério da Economia.

No projeto está prevista a oferta de conteúdos vinculados a essa nova modalidade de indústria, baseada na coleta e no processamento de dados em alta conectividade, como por meio da Internet das Coisas, e em novas tecnologias como inteligência artificial e manufatura avançada.

O curso de metalomecânica, por exemplo, abordará técnicas e recursos relacionados à manufatura avançada. No de Tecnologia da Informação estão previstos conteúdos sobre programação e testes de sistemas de inteligência artificial.

Poderão participar jovens de 14 a 24 anos. Os interessados deverão acessar a plataforma do Senai Contrate-me e fazer o cadastro. A seleção contará ainda com entrevistas para avaliar os perfis dos candidatos.

Segundo o Senai, o objetivo é que os cursos agreguem conhecimento para auxiliar na busca por vagas no mercado de trabalho. A entidade destaca que essa qualificação também pode contribuir para a busca de carreiras no ensino superior.

O projeto prevê parceria com indústrias e empresas, que disponibilizarão 280 vagas aos participantes. Segundo o Senai, seis em cada 10 alunos dos cursos saem empregados após as atividades.

“Vamos fazer não apenas um sistema de aprendizagem tradicional, mas voltado aos fatores da quarta revolução industrial. Estamos falando de um aprendiz que vai ter formação em internet das coisas, big data, digitalização. Como esses são os novos fatores, os cursos têm longa duração e o papel de formar para o mundo do trabalho”, disse o diretor-geral do Senai, Rafael Lucchesi.

Edição: Graça Adjuto

Comentários Facebook
publicidade

economia

Juros longos mais baixos vão impulsionar crescimento, diz Funchal

Publicado


O secretário do Tesouro, Bruno Funchal, afirmou nesta segunda-feira (26) que gostaria de juros longos mais baixos para impulsionar o crescimento, mas voltou a frisar que isso dependerá da volta à trajetória de consolidação fiscal.

Ao participar do X Congresso Internacional de Contabilidade, Custos e Qualidade do Gasto no Setor Público, ele afirmou que se o país não fizer seu dever de casa, os juros subirão, o que terá impacto na atividade econômica e também na despesa com juros.

Segundo Funchal, o desafio do país é travar o crescimento das despesas e voltar a ter aumento de arrecadação. Nesse sentido, ele afirmou que é preciso “endereçar grande agenda de reformas”, citando iniciativas como a reforma tributária e a PEC do Pacto Federativo.

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Agronegocio

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana