mato grosso

Projeto dá visibilidade a pessoas LGBTQIA+ em exposição virtual, blog e documentário

Publicados

em


A instalação artística “Corpo Espetáculo” é um projeto aprovado no edital MT Nascentes da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT), e que criou espaço para que 11 pessoas LGBTQIA+, sendo a maioria pessoas trans, possam falar de suas existências e dialogar, por meio da arte e da fotografia, suas histórias, perspectivas e modos de estar no mundo.

O projeto conta com uma exposição virtual que pode ser acessada no Instagram @corpo_espestaculo. As modelos que participaram do projeto são de Cuiabá, Rondonópolis e Primavera do Leste. As fotos retratam por meio dos figurinos e da maquiagem um pouco da forma como elas se expressam, seja como multiartistas, estudantes, ativistas, e como pessoas que sonham com dignidade e respeito.

Além da exposição, o projeto apresenta a história dos participantes no blog https://corpoespetaculo.medium.com/. Corpo Espetáculo também está ofertando uma oficina de pintura intuitiva que apresentará técnicas de pinturas em diferentes objetos, espaços ou corpos. Serão duas turmas, a primeira nos dias 06 e 07 de agosto, e a segunda nos dias 20 e 21 de agosto. A oficina é online com transmissão pela plataforma Google Meet. A inscrição é gratuita e está disponível AQUI.

Também foi produzido o documentário “Corpo Espetáculo”, com pré-estreia marcada para o dia 14 de agosto (sábado), às 19h. Para assistir é necessário solicitar o ingresso pelo Sympla. O ingresso é gratuito. A transmissão será pela plataforma Google Meet, e depois da primeira exibição ficará disponível no canal do projeto no Youtube.

O proponente, Ricardo Almeida, conhecido como Paçoca, explica que o Corpo Espetáculo se trata de uma abertura de espaço para que as pessoas dialoguem e absorvam as vivências de pessoas LGBTQIA+ para além do que elas são. Almeida é o responsável pela direção artística, design de figurinos e maquiagem da instalação.

“Fizemos um recorte muito pautado em pessoas transexuais, que possuem certa invisibilidade. São trans, travestis, intersexo, queers, drag queens, pessoas que não seriam objeto de diálogo em espaços elitizados. Suas fotos e seus depoimentos que se transformaram em um documentário tratam sobre vivências, trabalhos e os desafios que essas pessoas enfrentam em suas vidas”.

Ocupando espaços

O Corpo Espetáculo fotografou e entrevistou a travesti preta Lupita Amorim, a drag queen Dan Close; o multiartista Pedro Scalart, que se define como uma bicha preta e afeminada; e Geo Rodrigues que é uma pessoa trans não-binária.

De Rondonópolis, participaram Abayomi Jamila, pessoa não-binária; Adriana Liário, mulher trans; Majur, indígena que é a primeira mulher trans a se tornar cacique em Mato Grosso; e Nicolas de Jesus, que é homem trans e que expressa nas artes sua visão sobre a vida.

O projeto traz ainda Camila Lima, mulher trans que se dedica ao ativismo em nome das causas LGBTQIA+ e que produz fantasias de carnaval, trabalho em conjunto com Mayara Lima, também mulher trans; e Monique Lorrayne, mulher trans que está ganhando as redes sociais como influencer digital. Ambas são de Primavera do Leste.

Serviço

Instalação Artística Corpo Espetáculo

Exposição virtual disponível no Instagram @corpo_espestaculo e no blog Corpo Espetáculo

Oficina online de pintura intuitiva: 06, 07, 20 e 21 de agosto

Inscrição: https://www.sympla.com.br/oficina-de-pintura-intuitiva-corpo-espetaculo__1281966

Pré-estreia documentário: 14 de agosto (sábado), às 19h

Ingresso: https://www.sympla.com.br/pre-estreia-o-filme-exposicao-da-instalacao-artistica-corpo-espetaculo__1291931

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Propaganda

mato grosso

Técnicos do Ministério da Saúde realizam pesquisa em diversos bairros de Cuiabá e Várzea Grande

Publicados

em


Técnicos de laboratórios contratados pelo Ministério da Saúde realizam, até o dia 10 de outubro, nos municípios de Cuiabá e Várzea Grande, a segunda fase da pesquisa de prevalência de infecção por Covid-19. Os profissionais devem percorrer 21 bairros e coletar material biológico da população com o objetivo de mensurar a quantidade de pessoas que já tiveram contato com o coronavírus.

A equipe de pesquisadores estará em Cuiabá e visitará os bairros Jardim Fortaleza, Pedra 90, Alvorada, Lixeira, Jardim Nossa Senhora Aparecida, Dom Aquino, Cophamil, Jardim Universitário, Campo Velho e Bandeirantes.

A equipe também estará em Várzea Grande, nos bairros Cristo Rei, Residencial Flor do Ipê, Residencial Aurilia Curvo, Jardim União, Princesa do Sol, Helio Ponce, Maringá II, Jardim Costa Verde, Jardim Imperador, Jardim Eldorado e Construmate.

Além de Cuiabá e Várzea Grande, os profissionais realizarão visitas na zona rural de Santo Antônio de Leverger.

As visitas ocorrem de segunda a domingo, de dia e também à noite. Durante as visitas, as equipes do laboratório estarão devidamente uniformizadas e identificadas. Serão realizadas perguntas sobre renda, raça/cor, escolaridade, idade e estado civil. O objetivo também é entender a situação sociodemográfica da população.

Este é um estudo transversal que vai medir a prevalência dos anticorpos IGG da Covid-19 na população por meio da análise sorológica. Para isso, serão coletadas duas amostras de sangue, uma para analisar o IGG e outra para compor o biobanco da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). 

“É importante destacar que a população deve cooperar e autorizar a entrada dos profissionais identificados com crachá para fazer a coleta de sangue, para dessa forma sabermos a porcentagem da população que já está com imunidade para Covid-19”, reforça a articuladora da pesquisa no Estado, Samia Nadaf.

Sobre a pesquisa

A Pesquisa de Prevalência de Infecção por Covid-19 no Brasil (PrevCov) é realizada pelo Ministério da Saúde e a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) em diversos estados brasileiros. O Estado auxiliará na divulgação da ação e na articulação, se necessário, junto aos municípios. 

Em Mato Grosso, o Governo Federal selecionou os municípios de Cuiabá, Santo Antônio do Leverger e Várzea Grande para participarem do estudo.

Esta é a segunda fase do estudo. Na primeira fase, o Ministério da Saúde ligou para as pessoas residentes dos municípios selecionados para agendar e realizar a coleta. Nesta segunda etapa, a equipe vai até a casa das pessoas selecionadas cujo agendamento não foi realizado porque não foi possível fazer contato telefônico. A expectativa é de que esta última etapa do estudo seja concluída até o dia 30 de setembro totalizando 1.233 casas visitadas e 4.193 coletadas realizadas em Mato Grosso.

A pesquisa tem a autorização da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) e do Comitê de Ética de Pesquisa da Opas Washington. O estudo é promovido por meio do comitê de governança composto pelo Ministério da Saúde, Opas, Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e Fiocruz.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana