CIDADES

Projeto cria bolsa para jovens de baixa renda estudarem música

Publicados

em


Estudantes de famílias de baixa renda poderão receber uma bolsa para estudar música. Esse é o objetivo do Projeto de Lei (PL) 2.980/2021, do senador Fernando Collor (Pros-AL), que começou a tramitar na Casa. A proposta cria a Bolsa de Formação Musical, destinada a incentivar  jovens entre 10 e 19 anos na aprendizagem de instrumentos musicais ou composição e regência. Para estudantes com 15 ou mais, a bolsa será de R$ 300. O benefício para os mais novos será de R$ 200. Os valores poderão ser reajustados pelo órgão federal responsável pela gestão da cultura, função hoje exercida pela Secretária Especial de Cultura. 

O estudante deve ser aluno de escola de música ou artes ou de organização ou projeto com finalidade cultural ou educativa, que sejam de natureza pública ou privada sem fins lucrativos. Também deve estar regularmente matriculado no ensino de nível fundamental ou médio, ou já ter concluído a educação básica. Outros requisitos são: não ter renda própria; contar com renda familiar per capita inferior a um salário mínimo.

A Bolsa de Formação Musical será concedida pelo prazo de um ano, a ser paga em até 12 parcelas mensais, sendo permitida sua renovação. A gestão da bolsa será de responsabilidade do órgão federal da área de cultura. 

Collor aponta que o projeto tem como objetivo estimular o uso da música como ferramenta de inclusão social.

“Essa é uma tendência mundial que no Brasil tem mostrado grande força. Os diversos projetos de inclusão pela música propiciam às crianças e jovens uma perspectiva de realização pessoal e de integração social que tem permitido, tantas vezes, que se afastem de atividades ilícitas e prejudiciais a eles mesmos e à coletividade. Além disso, a aprendizagem e a prática musicais contribuem inegavelmente para sua plena formação como pessoas e cidadãos”, aponta o senador na justificativa da proposta.

O projeto ainda será distribuído para a análise das comissões.

Fonte: AMM

Comentários Facebook
Propaganda

CIDADES

Mato Grosso registra 546.000 casos e 13.922 óbitos por Covid-19

Publicados

em


A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta terça-feira (26.10), 546.000 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 13.922 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 474 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 546.000 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 1.513 estão em isolamento domiciliar e 530.004 estão recuperados. 

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 71 internações em UTIs públicas e 40 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 25,82% para UTIs adulto e em 7% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (113.284), Várzea Grande (40.499), Rondonópolis (38.299), Sinop (26.330), Sorriso (18.396), Tangará da Serra (17.811), Lucas do Rio Verde (15.704), Primavera do Leste (14.786), Cáceres (11.944) e Alta Floresta (10.847).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

O documento ainda aponta que um total de 404.835 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 85 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

Na segunda-feira (25.10), o Governo Federal confirmou o total de 21.735.560 casos da Covid-19 no Brasil e 605.804 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país tinha 21.729.763 casos da Covid-19 no Brasil e 605.644 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados desta terça-feira (26.10).

Recomendações

Já existem vacinas para prevenir a infecção pelo novo coronavírus, mas ainda é importante adotar algumas medidas de distanciamento e biossegurança. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca da Covid-19. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Fonte: AMM

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO

Política Nacional

CIDADES

Mais Lidas da Semana